icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

És Hipervigilante ou Impotência Aprendida?

Hoje li sobre um tema e gostava muito de partilhar convosco porque acho que podem encontrar alguma semelhança com a vossa vida,

Sabem o que é a Serotonina?

A Seretonina é uma hormona que os nossos corpos libertam e que nos fazem sentir bem.

As pessoas que não se sentem suficientemente bem consigo póprias vivem num estado constante de niveis baixos de Seretonina

As hormonas Seretonina e Dopamina têm um papel muito importante no nosso equilíbrio e estado de felicidade. Têm um papel muito importante na regulação do nosso comportamento e estado interno. A Dopamina torna-nos activos e alerta – promove o movimento, o pensamento e a concentração. É o que nos leva a procurar alimento e abrigo. Quando atingimos os nossos objectivos é libertada a Serotonina que cria uma boa sensação que é uma recompensa para os nossos esforços.

E isto é um ciclo que decorrer durante toda a nossa vida. Em que uma dopamina acontece como sobrevivência e a Serotonina para nos aplaudir.

Há uma situação que estraga esta rotina e que nos causa a dita tristeza e  frustração:

Hipervigilância é um estado em que temos na corrente sanguínea uma quantidade superior do que o normal de Dopamina em que nunca nos sentimentos realmente realizados. Nada parece suficientemente bom. Nunca relaxamos por completo para receber uma dose completa de Seretonina.

Este problema manifesta-se quando passamos muito tempo numa situação de stress em que aprendemos a estar constantemente vigilantes, por sentirmos que algo podia correr mal a qualquer momento.

Estes estados tem muitas causas. Pode dever-se a maus tratos físicos ou emocionais na infância. Também pode ter surgido numa infância com muito amor, mas em que se espera que constantemente que a criança alcance algo, nunca lhe dando espaço para simplesmente brincar. Pode ser causado por uma relação dificil ou por emprego demasiado exigente.

O que quer que lhe aconteceu, foi um ambiente stressante que durou tanto tempo que se tornou norma e o nosso instinto de sobrevivência reconfigurou o nosso “botão de Seretonina” para um estado hipervigilante  com elevados niveis de Dopamina.

Esse estado leva as pessoas a procurarem constantemente a Seretonina. Comer, por exemplo causa uma libertação temporária de Seretonina, que produz uma sensação agradável. mas como o estado base é o da hipervigilancia, o corpo reverte rapidamente para um nível elevado de dopamina e o ciclo recomeça. Esta é a situação química que está por trás de muitos comportamentos da dependência. Qualquer que seja essa dependência: comida, drogas, álcool, pornografia (dos piores vícios que existe, dos mais graves, juro que é verdade) , compras, etc. É uma fonte temporária de Seretonina que nos alivia da hipervigilância.

O estado contrário, em que as pessoas não têm  Dopamina suficiente, cria o mesmo problema. Essas pessoas encotram-se num estado conhecido como “impotência aprendida”. Nesse estado, parece-lhes que nada que façam terá importância.

Têm baixos níveis de Seretonina, portanto não se sentem bem, mas também têm baixos niveis de Dopamina e por isso não  fazem nada para mudar a situação. Sentem-se Presas. Comer, produz um aumento temporário do nível de Seretonina, o que, faz com que se sintam bem, mas logo de seguida voltem a sentir-se desanimadas e desmotivadas. Apenas têm prazer temporário.

Espero ter-vos ajudado a entender alguns estados psicológicos difíceis de explicar e de entender. Eu desconhecia estas hormonas e revi-me em todas as situações em cima. O meu caso é o de Hipervigilancia e por isso sinto-me rapidamente triste mesmo quando algo bom me acontece.

Agora é tentar encontrar Seretonina  suficiente para agradecer a minha vida e tudo o que tenho.

Beijinhos enormes e cuidem da vossa Seretonina e Dopamina, eu vou ler mais sobre este tema

Sofia

Nota: Estes texto foi em parte transcrito do livro: “Banda Gástrica Hipnótica” – Paul Mckenna