icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

A Ausência do Amor

Ando eu aqui a escrever sobre o Amor, Romance, mas continuo a fazer parte de um grupo, cada vez maior, que vive sem ele.

O meu par romântico foi um querido que alinhou e apenas pousou para as fotos. Somos amigos na vida real.

Mas nesta fase e data, em que se comemora o amor a união, a paixão, milhares de pessoas tentam sobreviver à solidão, recuperar das desilusões ou mesmo tentam-se enganar que estão melhores sozinhos do que acompanhados. Mas lá no fundo, no fundinho, se olharmos bem, para dentro das entranhas, todos procuramos o mesmo….LOVE e um final feliz!!

E que pior altura da vida para se ficar sozinho, em que a tecnologia tirou o espaço ao romance e à fidelidade, que os valores se perderam e o egoísmo reina as almas e já ninguém ama sem cobrar ou sem interesses.

Costumo dizer às minhas amigas “casadas” que elogiam a minha liberdade “deixa-te estar quietinha que isto dos solteiros anda uma selva!”. É um salve-se quem puder de sentimentos estranhos e baralhados. Ora quer, ora desaparece, ora és fantástica, ora já nem te respondem…(isto para ambos os sexos).

O mais engraçado é que se todos procuramos o mesmo, porquê mudamos quando temos alguém? Medo da desilusão, da traição, da insegurança? Que raio de sina que parece que ninguém se entende ou que falamos línguas diferentes.

Na realidade há 2 factores que nos torna diferentes na forma de amar nos dias de hoje. Antigamente os casais aceitavam, lutavam e mantinham-se. Uns foram felizes outros miseráveis e mal acompanhados para sempre. Hoje procuramos a felicidade, mas também deixámos de lutar, passamos a pensar apenas em nós. As facilidades tiraram o lugar ao desafio, ao romance, ao conhecer a longo prazo. Quer-se tudo de uma só vez, e vive-se o principio, o meio e o fim num único dia. No dia em que se beija é o dia e que se começa a viver junto e por ai em diante….e claro muitas vezes as pessoas que estão juntas não deviam ter passado do café que tomaram.

Misturam-se sentimentos, inseguranças, carências e em 2 tempos a coisa azeda, desmorona-se e as fotos do facebook, da paixão absoluta desaparecem e dão lugar às frases cliclés de “Estou bem e melhor que nunca” “Eu sou Forte e estou-me nas tintas para o meu ex, mas só quero é que ele leia e que acredite” (e corto os pulsos enquanto escrevo isto).

E começa tudo novamente…a caça a busca, as saídas de engate, as app, os pedidos de amizades das amigas giras, dos amigos gostosos, tudo a correr, tudo para amanhã, tudo ao mesmo tempo e sem respirar.

O medo de ficar sozinho e a insegurança são os piores inimigos do Amor e da Felicidade.

Apesar de continuar sozinha, faço um esforço enorme para não deixar que essas minhas carências falem mais alto e que me atrapalhem, que me atirem para o 1º sorriso ou convite para jantar. As pessoas tornaram-se comodistas, interesseiras, oportunistas, clichés e desinteressantes.

A idade é lixada porque trás as rugas, o excesso de peso, mas também trás a serenidade, a tranquilidade e o poder decisão, a ponderação, a sensibilidade. Graças a isso tem sido fácil contornar a decepção de relações falhadas e condenadas.

Quanto mais olha para dentro de mim e das minhas entranhas, sei e desejo encontrar o homem da minha vida, mas tenho a certeza da pessoa que quero que esteja ao meu lado porque sei a pessoa que terá do dele. Já se foi o tempo em que precisava de agradar, já ficou para trás o tempo em que me achava menos que os outros e que era a escolhida de alguém. Agora a igualdade trás a união, o respeito, os valores e o Amor incondicional e para sempre.

Beijinhos e nesta fase de amor, aproveitem para fazer as vossas reflexões

Sofia