icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Tira-me do sério

Eu sou uma pessoa muito pacifica, boa onda, divertida, tranquila e que odeia discussões, lutas e pessoas violentas, mas há determinados gestos da sociedade que me fazem perder o controlo e ficar a ferver por dentro.

E apesar de toda a informação que temos acesso hoje em dia e de tudo o que se diz ainda há pessoas a fazerem actos menos próprios à frente de toda a gente e num simples gesto pimba.

Alias escrevo este artigo porque recentemente voltei a assistir uma pessoa a atirar coisas através da janela do carro, como se o mundo se tratasse de um enorme caixote do lixo. Depois estava à conversa com uma rapariga e ela abriu o maço de tabaco e pimba atirou com o plástico para trás das costas. Fiquei incrédula e de boca aberta. Normalmente nestas situações não costumo dizer nada, o que faço é ir apanhar o que a pessoa acabou de deitar no chão mesmo para a envergonhar.

Ensinaram-me a ser a educada em casa e na rua e as mesmas regras que tenho para não viver numa pocilga aplico-as onde partilhamos o mesmo espaço com outras pessoas e que é um espaço publico. Já para nem falar do mal que faz ao ambiente e nos anos que demora um papel ou um plástico a desaparecer do mundo. Visualmente é horrível andar pelas cidades, estradas, passeios sujos.

Por isso, aos culpados, que sabem perfeitamente do que andam a fazer, agradeço que pensem um bocadinho e respeitem o facto de viverem em sociedade e que os outros não têm que “apanhar” com o vosso lixo. Vivem num mundo que deve ser protegido, mantido e respeitado, em que já basta tudo o que não controlamos e de mal que lhe acontece para ainda ajudarem com mais um papelinho que seja.

Beijinhos limpinhos e civilizados

Sofia