icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Sem Abrigo

Ao passar pela Gare do Oriente para apanhar o comboio para o Porto, relembro a minha ante-véspera de Natal a distribuir jantar pelos sem abrigo nesse mesmo sitio.

Nunca escrevi sobre essa experiência, porque o tempo foi passando e na realidade, terminamos a boa acção com o coração cheio de emoções, mas com um silêncio inexplicável.

Engraçado, porque com todos os voluntários com que privei antes de fazer a distribuição, não conseguiam explicar o que é andar na rua e encarar aqueles que diariamente viramos os rostos. Não porque fosse horrível, ou mau…apenas diziam “é diferente e vais ficar diferente”.

Não somos famosos por ser um povo prestável quando alguém precisa de ajuda. Mais depressa passamos e viramos o rosto a qualquer estranho do que paramos e tentamos ajudar. É uma questão de educação, receio cobardia e falta de tempo.

Mas ao estar 2 dias a ser voluntária para os Sem Abrigo na Associação C.A.S.A. reparei que há muita gente com um coração enorme e que disponibiliza-se para esta causa, seja na cozinha ou na rua.

Quis conhecer os 2 mundos, cozinhar para os Sem Abrigo, depois distribuir. 2 dias completamente diferentes e com missões diferentes.

A 1ª foi fácil. Estar numa cozinha enorme com algumas pessoas, cada uma com o seu serviço a fazer comida quente para distribuir ao inicio da noite. Cortei tomates, embalei refeições, cantei o fado, contámos histórias, rimos, partilhamos alegrias, embalámos mais comida, limpámos toda a cozinha, despedimo-nos e fomos embora.

Há várias equipas e dias de voluntários. Há quem só vá de 15 em 15 dias, há quem vá todas as semanas, há quem vá quando pode. Cada equipa tem um coordenador que ajuda na organização e distribuição do trabalho. Os voluntários são tudo e de todo o género, idades, feitios, trabalhos, histórias, experiências, caminhos, vivências, motivos, etc

A para além da C.A.S.A. há várias instituições que ajudam os Sem Abrigo e distribuem comida e alguns bens de 1ª necessidade. A C.A.S.A. é a única que distribui comida quente, com a ajuda do que sobra do Continente e do El Corte Inglês, fazem panelas gigantes de massas, arroz com legumes, carne, etc e sopa. Dão pão, fruta, bolos, iogurtes, pudins etc.

Como quase todos confirmaram, Graças a Deus não se passa fome nas ruas de Lisboa o que mais falta é o calor humano um pouco de conversa e carinho.

Mais tarde partilho a experiência que tive na distribuição de alimentos, que essa sim foi intensa. Para já deixo-vos a vontade de um dia fazerem o mesmo. Vai fazer bem ao coração e uma oportunidade de conhecerem pessoas fantásticas que colocam de lado o seu tempo para ajudar outras pessoas. Pessoas fantásticas que perderam tudo. Vão descobrir que nada está garantido nesta vida e que um dia estamos bem e no outro não somos ninguém.

Este texto é dedicado a todos os voluntários!!! Esta minha experiência foi pessoal, apesar de partilha-la convosco. Não me considero melhor pessoa porque o fiz, mas sei que fiquei uma pessoa melhor, alias especial são aqueles que todos os dias, semanalmente, mensalmente ajudam quem precisam e que não lhes é nada.

Caso queiram fazer o mesmo contactem: ana.silva@casa-apoioaosemabrigo.org

Beijinhos Sofia