icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Não há 2 sem 3

Ontem fui ao cinema ver a comédia “Não há 2 sem 3”. Uma comédia que tem tanto para resultar pelos actores, o tema e que acabou por ser uma surpresa ainda melhor pela mensagem, pela amizade e pela moral.

Vou tentar neste artigo não contar a história porque acho que as meninas que já foram traídas deviam mesmo ir ver este filme e as que não foram também, porque é bem giro.

Eu revi-me tanto na personagem da Cameron Diaz, não só porque se veste bem como tudo (e tirei umas boas ideias para futuros looks), como pela moral e valores que demonstra em todo o filme. Há realmente uma ideia que de uma mulher independente, profissional, confiante, segura, atrevida e sensual não tem muitos valores, ou moral e que só faz o que lhe apetece sem pensar muito nos outros. Ela foi a prova contrária e quando descobriu que afinal não passava de um amante disse aquilo que digo sempre: Porquê andar com um homem casado quando há tantos solteiros livres. Porquê destruir um lar, quando posso vir a ter o meu? E o caso morreu ali, sem direito a conversa, explicação, ou retorno.

Eu não suporto traições e mentiras e para mim a pessoa que o faz desaparece mais depressa do que entrou na minha vida. Impossível estar-se bem com a vida e com o mundo vivendo em constantes mentiras e esquemas.

Hoje em dia aprendi a não ter raiva dos traidores porque só consigo ter pena. Alguém que não consegue ser fiel ou gostar e de estar com uma única pessoa deve ter muitos problemas de auto-estima e de carência e a falta de auto-estima é tramada e realmente um homem assim também não me serve nem muito menos me atrai.

O engraçado é que também me revi na personagem traída, a mulher! Mas numa Sofia de antigamente, que era descontrolada nas emoções e que não fazia a mínima ideia do que estava a fazer. Que de 1 em 1 minuto sentia, queria e fazia coisas diferentes e principalmente sem pensar muito, ou melhor dizendo nada. Tinha as emoções no coração, na boca e na flor da pele. Os músculos tomavam conta de todo o corpo e a imagem geral não era bonita de se ver. A única diferença entre nós as 2 é que ela conseguiu ficar amiga das amantes e eu teria morto todas à pancada, porque sempre culpei mais as mulheres do que os homens que me traíram ou a mim mesma.

Fica aqui a dica de um serão bem passado, com cenas muito cómicas, hilariantes e outras bem giras e especiais. Já agora o irmão da traída é uma brazaaaaaaa tem uns olhos e sorriso lindo.

Beijinhos e cuidado com as traições, não são só os homens que o fazem há muita mulher que se anda a portar-se mal que eu sei.

Sofia