icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Bohemian Rhapsody

Cantei, ri, chorei, bati palmas, fiquei várias vezes arrepiada.

Estas foram as emoções que senti durante o filme “Bohemian Rhapsody“.

Uma incrível interpretação do actor Rami Malek que veste o papel de Freddie Mercury  e que no final do filme se torna uma fotocópia do original, duranteo concerto Live Aid

Não consigo dizer se as datas e os factos batem certo, até porque eu era apenas uma criança quando os “Queen” reinaram no mundo da Música. Mas creio que a ideia geral da banda, a excentrecidade de Freddie, a relação da banda e do processo criativo está lá.

Os actores secundários como o guitarrista e baixista são idênticos aos originais. Até faz impressão e levá-nos a uma viagem no tempo, em que cantávamos ao som de um homem que dava o corpo e alma no palco e às suas criações.

Se Queen não tinha uma linha a seguir, se gostava de quebrar as regras, e aproximar-se daqueles que ficam num canto e que são pouco compreendidos pela sociedade ,então Bem haja por essa ganância e pela vitória, porque chegou a bem mais pessoas que isso. Basta rever os concertos os originais e a estado do público.

Se gostava de Queen fiquei ainda mais ligada a eles. Sai de lá com vontade de acordar o Freddie que há dentro de mim e abanar a minha vida por completo.

Freddie é uma lenda, um génio e ele sim é legendary mil vezes!!! A banda é incrível e não se lhes pode tirar o mérito de serem excelentes músicos mas os Queen são Queen por causa de um pequeno indiano com dentes grandes que tinha atitude e confiança para dar e vender.

O nome do filme “Bohemian Rhapsody” vem de uma das suas músicas mais icónicas que atrevo a dizer que é uma obra de arte do mundo da música! Se alguém algum dia duvidou do seu sucesso é porque não entende nada de música.

Agora deixo-vos pois vou ouvir alguns dos clássicos deles e cantar como se ninguém estivesse a ouvir e a ver.

Vejam o filme e depois falamos 🙂

Já agora Freddie faz muita falta ao mundo. Se ele não tivesse apanhado a doença tão cedo, tenho a certeza que ele ainda estaria vivo a fazer-nos muito felizes

Beijinhos

Sofia