icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

A vida sem Facebook

No outro dia conheci uma menina de vinte anos que muito orgulhosamente disse que não tinha facebook. Não foi primeira nem ultima pessoa que conheci a ter a mesma opção de vida, mas foi a primeira pessoa que me deu os motivos correctos para não fazer parte das redes sociais.

Quando me veem com aquela treta que não tem facebook porque não querem a sua vida exposta ao mundo, nem respondo porque é pura ignorância. Só partilha a vida quem quer. Felizmente há muitas formas de bloquear, de fazer a gestão da informação pelos diferentes grupos de amigos.

Mas esta miúda foi completamente diferente e deixou-me calada mas muito pensativa. Ela disse com muito orgulho que não estava ligada ao facebook porque achava que havia coisas na vida muito melhores a fazer, do que estar sempre a controlar se alguém fez like nas suas fotos e publicações, se alguém a procurava no chat, etc.

E realmente às vezes dou por mim, apenas com olhos e cabeça no facebook, sempre à espera de alguma coisa, ao ponto de pensar quase que estou maluca e até chego a ter vergonha. Felizmente não estou sozinha e sei que acontece a várias pessoas estejam elas solteiras, casadas, felizes, infelizes, malucas ou saudáveis. É apenas um vicio de estarmos online e que provavelmente está mais ligado a carências que outras coisas. No meu caso ainda posso desculpar-me com o blog e a minha imagem, mas os outros desculpam-se com o quê? lol

Aproveitem a vida e saiam de casa, dos sofás, das náuseas, das complicações, das dores de cabeça. Respirem ar puro, passeiem combinem coisas com amigos, comecem a correrem (e contra mim falo), mas desliguem-se um bocadinho mais do facebook, um dia quando ele deixar de existir, não vamos saber o que fazer do tempo livre.

Beijinhos grandes e Boa Semana

Sofia