icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

There’s Nothing Wrong With Us

 

Começa aqui um novo projecto na minha vida.

“There’s Nothing Wrong With Us”- (Não há nada de errado connosco).

Tenho crescido com a constante pressão de me sentir culpada pela loucura, falta de respeito e valores, o massacre, o abuso, as traições, as mentiras, dos outros em relação a mim.

Estou cansada de me sentir culpada de estar solteira, sentir culpada porque ainda não casei, sentir culpada porque ainda não tenho filhos, sentir culpada porque cada vez que tenho um desgosto de amor, sentir culpada porque não gostam de mim, sentir culpada porque eu não me interesso por ele, sentir culpada porque ele me traiu e mentiu, sentir culpada de ter sentimentos, sentir culpada porque ele me deixou, sentir culpada que ele seja um “cabrão”, sentir culpada do que disse, do que não disse enfim sinto-me culpada por me sentir culpada a maior parte do tempo.

Nós mulheres vivemos numa sociedade que nos condena a uma pena fortíssima que é a da auto-punição. Nem precisamos que ninguém nos aponte o dedo porque somos as primeiras a achar que falhamos em todos os sentidos, que somos nós as culpadas da nossa fraca existência e coração mole.

Neste ultimo ano tenho aprendido imenso sobre a minha validação e como ultrapassar os meus próprios erros.

Erro quando me envolvo com uma pessoa que à partida nunca esteve destinada a estar comigo. Quando aceito que sou menos do que sou e do que ela e que mereço qualquer coisas e qualquer um. Quando aceito uma condição que à partida está condenada porque não o quero partilhar ninguém, não quero ser indiferente, não quero que me evitem no dia seguinte e que me façam sentir mais uma.

Chegou o momento em que quero que gostem de mim, que lutem por mim, que me incluam na sua vida e queiram fazer parte da minha. Basta de andar escondida como se fosse algo de mau ou vergonhoso na vida de alguém.

Chegou a hora de mandar calar a cantiga do bandido e sermos nós a dar as Cartas e a decidir as regras do jogo. Vocês aceitam este desafio?!

Para quem tiver interesse, na próxima 3ª feira estou a organizar uma tertúlia, para falarmos sobre estes temas.

https://www.facebook.com/events/1607061432880446/

Beijinhos

Sofia