icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Quem está por trás do Computador ou de um Telefone?

Atrás de um ecran, de telemóveis, tablets, de umas teclas, permanentemente online, é assim que passamos os nossos dias.

Estamos expostos ao que queremos partilhar, mas vemos tudo o que nos deixam. A teoria do “Big Brother is Watching You*” é real e  normal para qualquer comum mortal que faça parte de uma rede social. Em silêncio vemos tudo e sabemos tudo. Uma janela indiscreta, aberta e exposta a quem se interessa, aos amigos, à família, aos conhecidos, aos estranhos, aos curiosos e a maior parte das vezes aos perturbados.

O que para uns é saudável para outros pode ser um escape, uma forma de não se sentirem sozinhos, ou uma maneira de satisfazerem algumas das suas loucuras e perturbações. Do outro lado, podemos encontrar de tudo e é preciso ter cuidado, porque nunca se sabe quem anda por ai.

Os perfils falsos são comuns e há uma necessidade de algumas pessoas terem uma identidade que não sua. Não são felizes no seu mundo real, então aproveitam-se da inocência de muitos para viverem uma outra vida. Eu infelizmente já fui alvo de alguns loucos, alguns deles, meus conhecidos da vida real, mas que precisavam de sentir que eram algo mais. Por isso repito…todo o cuidado é pouco. se tiverem oportunidade vejam este filme – “Catfish“, porque demonstra bem o perigo das redes sociais.

Para além disso tudo, todos estes aparelhos domésticos permitem que algumas pessoas se achem no direito de dizerem o que lhes apetece. Criticam, julgam, condenarem e ofenderem os outros. São uns cobardes que se aproveitam do conforto da tecnologia para se sentirem os donos da razão, os perfeitos, os lindos, os que sabem tudo, mesmo quando ninguém lhes pediu a opinião. Esquecem-se da diferença que há entre a sinceridade, a malcriação e a arrogância. Uma coisa pode ser dito de milhares de maneiras sem ter que destruir o ego de outra pessoa, assim como a sua auto estima e segurança. As opiniões partilham-se de forma educada sem tentar impor valores, crenças, ideologias, politicas, religião e gostos.

Aprendam a respeitar os outros e só assim serão respeitados! Todos tempos direito aos nossos gostos. Todos fomos educados de forma diferente e todos crescemos de maneira diferente, mas todos vivemos em mesma sociedade e por isso há que tornar essa vivência a melhor de todas.

Aos cobardes que não são capazes de revelar a sua identidade e que se acham no direito de fazer parte do mundo dos outros, só vos resta mesmo a solidão e a tristeza de não fazerem parte do mundo de ninguem.

Beijinhos e bom Domingo

Sofia

 

 

 

* Podem saber mais sobre o livro aqui – http://www.globalresearch.ca/big-brother-is-watching-you-beyond-orwells-worst-nightmare/5367023