icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Os Tachos e Panelinhas do Portugal das Pequeninas

Apesar do Titulo, não venho falar de comidas e culinária, mas sim fazer um desabafo de algo que há muito tempo me anda a incomodar e que recentemente tive a prova de que a minhas desconfianças eram verdade.

Vivemos num pais de gente interesseira, falsa, que precisa pisar nos outros para sentir que estão a subir na vida. Não acho grave que se ajudem amigos, desde que os amigos sejam profissionais e mereçam determinado lugar. Agora, o tacho de ajudar por ajudar é que me prova que este Portugal nunca vai sair do buraco em que está. Os bons têm que sair de Portugal para serem reconhecidos e fazem pelo os outros países, mercados e marcas, aquilo que deveriam estar a fazer por nós.

Hoje confirmo o porquê não sou convidada para muitos dos eventos que acontecem neste pais, porque há um grupo de meninas que manipulam as agências e marcas a dizerem que se eu for elas não querem estar presentes. Se recusam a serem fotografadas comigo porque não querem ser associadas a mim. Eu, que nunca lhes fiz nada, que até há pouco tempo nem sabia quem eram. Nunca tive interesse em ser amigas delas, mas a minha educação ensinou-me a falar com as pessoas e a respeita-las apesar das diferenças. Lá porque trabalhamos todos no mesmo não temos que ser íntimos, mas profissionais.

Mas apesar desta minha revolta, em saber que há pessoas que querem prejudicar o meu trabalho, que faço com tanto carinho, dedicação e custo (devido à minha falta de tempo), andam a influenciar pessoas, agências e profissionais, que são contratadas e pagas por marcas na inocência de estarem a fazer um bom trabalho para elas e no entanto andam a compactuar com meninas parvas de liceu que têm menos seguidores, “views”, “respostas” e “engagement” do que eu.

Isto é tal e qual aquela coisa de que não se podem contratar pessoas com tatuagem porquê têm mau aspecto. Eu, porque me visto no chinês na primark, e não tenho medo de assumir, porque gosto de me divertir, sinto muito bem na minha pele, na minha beleza e pessoa, não sou profissional o suficiente?! WTF?!!! Quando é que neste país as pessoas vão deixar de serem julgadas pelas suas escolhas e gostos, mas pelo seu profissionalismos, decisões e coerência?

Não sei se me sinto mais indignada pelas miúdas tolas, que se acham vedetas porque criaram um blogue ou pelas agências e marcas que se deixam influenciar por isto. Os cúmplices são tão culpados como os gatunos.

De uma coisa não tenham dúvidas “EU NÃO VOU MUDAR”, por ninguém e por nada. Consegui na vida o que muitos não conseguem em 100 anos que é gostar de mim e do que sou. Sou feliz e sei procurar a minha felicidade. Durmo de cabeça descansada porque sei que sou honesta, trabalhadora, não faço mal a ninguém e sei que ajudo milhares de pessoas diariamente. Ajudo muito mais para alem do saber vestir, ajudo as pessoas a procurarem a sua felicidade, o seu espaço a sua confiança e auto-estima. Se essas parvas que andam a dizer mal de mim entendessem alguma coisa de moda, saberiam que o bom gosto não está no vestir marcas caras, mas saber o que fazer com elas e com qualquer outras marca. O conjunto final é o que interessa e nisso está incluído a beleza exterior e principalmente a interior e eu sou linda de qualquer maneira.

Quem está bem consigo não precisa pisar em ninguém para subir na vida. Eu não ligo a invejas e não olho para trás para saber o que dizem de mim (muito menos de pessoas que nem sequer admiro), eu ando para frente e dou a mão a quem me ama e merece.

Beijinhos

Sofia

PS. Não irei revelar quem são as pessoas, porque isto é um desabafo e longe de ser uma guerra. Não vou criar discussão e intrigas porque não faz parte do meu perfil e irei sempre cumprimentar essas pessoas mesmo sabendo o que andam a dizer de mim. As bofetadas dão-se de luvas brancas e eu sou louca, mas sou uma senhora muito bem educada.

E quem me conheço saber que opto sempre pela paz e que odeio conflitos, mas por favor não se metam no meu trabalho e não me tentem prejudicar só porque sou o que sou.