icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Mas afinal quem me inspira a mim?

Hoje sinto-me bem, não é porque tenho algo gigante para contar sobre mim, ou que me tenha acontecido, mas sinto que me aproximo mais uma vez de um período de mudança.

O que me andava a fazer bem, deixou de fazer e passou a ter o sentido inverso, por isso, há que limpar e tomar as decisões certas. Preciso procurar a minha paz o meu sossego a minha confiança e principalmente a minha força.

Sinto que estou na altura de conhecer pessoas novas, na idade e na minha vida, que me voltem a impressionar pela sua história de vida e que fiquem curiosos sobre mim. A minha vida é feita de partilha e preciso de sentir que fazem o mesmo comigo. Se hoje alguém me agradece porque a inspirei a começar algo e acreditar nela eu também quero sentir o mesmo para continuar em frente. Eu quero e preciso ser inspirada novamente, preciso de atenção e que confiem em mim!!!

Não sou uma pessoa que gosta de mudar, sou ligeiramente comodista e quando estou em baixo o sofá passa a ser o meu apoio e a televisão a minha companhia. Mas hoje em dia da minha vida fazem parte milhares de pessoas e mesmo parecendo arrogante, porque na realidade é um universo de algumas pessoas…não digo as 32200, mas certamente umas 1000/ 2000, saber que posso as influenciar negativamente pelo meu estado de espirito ou porque deixei de querer ser feliz ou de lutar por o que acredito seria o maior erro de todos. Por isso o obvio é voltar a dar volta, arrumar a casa, colocar algumas coisas nos sítios, sacudir a poeira e seguir em frente mesmo que atrás não venha gente. o importante é ir. É não deixar ser afectado por pormenores da vida e muito menos transforma-los em catástrofes. Manter a calma a serenidade, ter a certeza de que tudo o que fizemos foi o correcto o possível e até o impossiovel sem nunca perder a dignidade, a elegância e a coerência.

Sou uma pessoa do mundo que não gosta de clichés nem muito menos que as coisas menos boas da minha vida se repitam. Eu não fujo do passado simplesmente, já não penso nas coisas que me fizeram mal, sou uma nova pessoa que nem se quer reconhecer na pessoa destruída de há 10 anos atrás e louca de há 2 anos e meio. Se alguma coisa que aprendi nisto tudo foi a gostar de mim, a cuidar de mim, a valorizar-me e principalmente a RESPEITAR-ME.

E quem quiser estar ao meu lado não pode nunca fazer sentir que estou a mais, isso é o 1º passo para o fim que neste momento se transforma num novo principio :). Como digo normalmente “Vai tudo correr bem!”, ou pelo menos bem melhor do que está

Beijinhos e Boa Noite

Sofia inspirada