icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Dançar no Tivoli – Jazzy

Ontem foi a apresentação final da escola de dança Jazzy Dance Studios. Não vos disse nada, porque já me bastavam os nervos que não queria mudar a tradição, Confesso que sou supersticiosa ao ponto de nunca convidar ninguém para me vir ver dançar, não faço grande alarido nas redes sociais, até tive medo que a sorte me mudasse quando soube que uma das minhas professoras ia estar presente, porque nunca consegue estar.

Mas depois dos nervos e os ataques de ansiedade passarem, consegui finalmente recuperar o bom senso e começar a divertir-me. É uma grande pressão, mas que na realidade é colocada pelos alunos. É claro que ninguém gosta de se enganar em palco, principalmente quando estamos a falar de um “monstro” como um Tivoli esgotado.

Ao menos de alguma coisa serviu-me (e outras claro), o meu ex namorado, quando me enviou uma mensagem num dia como estes antes de uma actuação no Santiago de Alquimista em que estava quase a ter um colapso pelos nervos “este dia é para te divertires, desfruta”. Plimmm, fez-se luz. Realmente somos alunos, estamos e vamos dar o nosso melhor e não somos profissionais. É o dia da escola de milhares de turmas e ontem estiveram, cera de 250 alunos a actuar, o que não é brincadeira nenhuma e foi o máximo!! O ambiente nos camarins, a animação, a diversão, o apoio que deram uns aos outros foi maravilhoso.

Apesar de hoje em dia já controlar muito mais os nervos, aprendi a estar calma, a relaxar, a ter o meu momento zen antes de entrar no palco em que revejo na minha cabeça a coreografia, a libertar-me na altura certa, a não permitir que ninguém me enerve ou me prejudique com as suas ansiedades.

Estas semanas de ensaios até à meia noite quase todos os dias foi muito cansativo, mas repetia tudo novamente, ou continuava pelo menos mais 1 mês. Hoje estou “morta”, mas tão VIVA por dentro, porque mais uma vez consegui, dar o meu melhor. Diverti-me ao máximo. Sei que ajudo outras pessoas a sentirem-se melhores com elas mesmas e mais confiantes. Dei tudo o que sabia e que tinha no palco.

Quero agradecer à minha Jazzy por nos proporcionar este grande momento no final do ano e tantos outros durante o ano. À minha professora Vanda Gameiro que será sempre uma inspiração para mim como bailarina e amiga (coreografia de Burlesque – Tango Roxanne). À minha querida Ana Cartaxo que adoro de coração e sua “sócia” Sara Claro que nos brindaram com as animada coreografia de Glenn Miller e Cats – Broadway. A todas as minhas colegas “de dança” que me acompanham nestas aventuras e que me aturam, nas macacadas, comentários, piadas, cantigas e dançariquices e às nossas companheiras de camarim, um grande obrigada assim como tantas outras pessoas queridas que me apoiaram enquanto viam o espectáculo com mensagens carinhosas.

Deixo algumas imagens que representam aquilo que se passou ontem e que tanto segredo fiz

Beijinhos e vou tentar encontrar os videos para vocês verem as actuações, que é giro e quem sabe vos consiga fazer mudar de ideias em relação à dança

Sofia