icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Adeus Verão

Apesar de estar entusiasmada com a chegada do Outono porque considero

das Estações do Ano mais bonitas, logo depois da Primavera, entro sempre na fase da depressão do pós-Verão.

Sou daquelas pessoas que se recusa a acreditar que tudo vai mudar e que chegou a hora de trocar as sandálias pelos sapatos fechados, passar a usar casacos e casacos e casacos e mantas e cachecóis, que vou voltar aos collants que duram 1 dia ou 2 e a ficar branca já nem falar da rinite voltar a ser a minha BFF.

Vamos ter que esperar meses até voltar a sentir o calor no corpo, poder mergulhar no mar e sair à noite sem casaco e sem preocupações. A roupa secar de um dia para o outro e ficarmos giros e mais confiantes bronzeados

Para já enquanto está este meio tempo em que não chove vou acreditando que está tudo normal, até anoitecer às 19h e começar a ficar muito frio para estar com as pernas ao leu, ou sem casaco.

Este fim-de-semana vai ser duro, porque vou ter que começar a fazer a mudança da Roupa….Bahhh.

Beijinhos e aproveitem estes raios de sol, porque em toda a Europa já estão temperaturas baixissimas

Sofia

 

O Direito ao Não!!!!

Ontem muita coisa se passou no nosso País! A revolta dos Taxis contra os transportes de passageiros alternativos como a Uber e a Cabify foi triste de se ver. Acredito que todos devemos lutar pelos nossos direitos, mas tem que haver limites e respeito. Que se debata pelo que é justo e concreto e evitar que as emoções nos façam perder a razão. E ontem os taxistas perderam toda da pouca razão que tinham.

Mas não era sobre isto que vos queria falar até porque sou passageira frequente e muito satisfeita da Cabify e espero continuar a ser durante muito tempo. O que gostava de partilhar convosco o que realmente, acima de tudo me incomodou ontem foram as declarações de um taxista em que afirma calmamente que “as leis são como as virgens devem ser violadas”.

Sempre que repito isto, fico uns minutos sem conseguir se quer pensar. Dá-me uma dor no peito e apetece-me chorar, espancar este homem.

Fui uma criança e uma adolescente que facilmente era assediada por homens mais velhos. Tive o azar de ter momentos muitos constrangedores com “velhos nojentos” (desculpem o termo, mas são pessoas que não respeito), que em eventos e festas acabavam, camuflados pela confusão da gente, do barulho e da música, sempre por tocar um bocadinho amais onde não deviam.

A educação que tinha e o medo de ser falar, deixava-me sempre calada e a sofrer em silêncio. Tinha tanta vergonha, fechava os olhos e pedia para acabar depressa ou que alguém aparecesse. Só vim a contar, muitos anos depois à minha mãe, porque em criança tinha medo, vergonha, sei lá….não era capaz.

Uma das coisas que aprendi a fazer na psicoterapia, muitos anos depois (aos 28), foi a dizer que NÃO!!! Coisa que já veio tarde e que infelizmente não me fez esquecer aqueles momentos do passado e que até hoje me acompanham. Há coisas que nos marcam e ficam para sempre, estas ficaram.

Mas eu fui 1, entre milhares de crianças, miúdas, adolescentes, jovens, mulheres cuja sua intimidade foi abusada e que foram obrigadas a fazer o que não queriam. Tenha sido por um desconhecido, amigo da família, conhecido, familiar, não interessa, o crime é igual e medonho e a sensação é horrível, porque não existe vontade, não existe prazer, não existe amor, não existe nada!!! O acto da violação começa a partir do momento em que se diz que NÃO, seja no beijo, no toque, na penetração….

Na minha história nunca chegou ao ponto de final, ficou-se tudo pelos toques, as tentativas de beijos, mas infelizmente milhares, milhões de mulheres não tiveram a mesma sorte que eu. O seu NÃO foi negado e o seu corpo usado pelo prazer de um monstro que colocou o seu desejo em frente da vontade da outra pessoa.

Infelizmente hoje, tão evoluídos que somos, ainda continua haver homens que acham que as mulheres devem servi-los e que servem apenas para seres usadas e abusadas quando eles quiserem, continuam a ser vistas e tratadas como um objectos de prazer.

Há muitos anos jurei a mim mesma que mais nenhum homem iria tocar-me sem eu querer. Posso até morrer a lutar pelo meu corpo, mas a minha dignidade ficará eternamente viva.

Meninas, Mulheres não se calem, não permitam, não tenham medo. Peçam ajuda, falem com as vossas mães, amigas, professoras, colegas, médicos, autoridade, associações o que for, mas não escondam e não vivam com a culpa dentro de vocês. Vocês não merecem, ao contrário do que vos fazem sentir. Lutem pelos vossos direitos, pelo NÃO, pelo vosso Corpo, da vossa Alma e da vossa História. Não permitam que vos destruam os sonhos!

Quanto aos monstros que abusam da sua força, autoridade, virilidade para ter uma mulher deviam ser no mínimo presos.

Este texto é dedicado a todas as pessoas que passaram por situações como estas, como as bem piores e como as que perderam a vida.

Lamentável as declarações e comparações feitas ontem por um homem que devia no mínimo ser proibido de voltar a conduzir um transporte publico.

Beijinhos e força

Sofia

Portugal Não Está Preparado Para Cães e Donos que Gostem Deles

Por muito que se fale ou se escreva sobre este assunto, os avanços que se têm dado são muito poucos.

Os Portugueses adoram animais, e os seus pets. Apesar da infeliz taxa de abandono, há milhares de Portugueses que adoram os seus cães, gatos, periquito, coelhos o que for e tratam-nos como se tratasse de família. Ora a família gosta de passar férias juntas e quem habituou a ter o seu cão por casa, no sofá no quarto, pela casa como bem lhe apetece, não vai querer menos do que ele merece.

O tema das férias tem sido um problema que eu tenho tentado ao máximo ultrapassar e por muito que se escreva e leia sobre hotéis com facilidades de levar os cães a realidade não é bem assim.

Depois da noticia sobre hotéis que levam os cães enviei mensagens para as páginas de facebooks dos sítios fantásticos e até hoje nunca me responderam. Tendo eu 3 cães a maior parte dos sítios apenas aceita 1, logo tenho que privar algumas das minhas outras meninas de férias. Se levar a Blush o seu tamanho já não é aceite na maioria dos quartos (dos poucos hotéis que deixam levar cães).

Depois comecei a explorar o turismo rural e lá encontrei umas casinhas amorosas no Alentejo, mas só posso ficar mínimo 6 noites, pagar 100€ cada noite o que dá 600€ que neste momento está fora do meu rendimento. A coisa boa das casinhas é que cabem 6 amigos para além dos cães….mas eu até pensei para mim “será que tenho 6 amigos?1” e comecei a contar porque se ter 6 amigos já é dificil, imaginem 6 amigos que estão dispostos a passarem 6 dias comigo e com os meus cães.

Depois (o depois é de propósito) tive a brilhante ideia de alugar uma auto-caravana mas ninguém quer a caravana com pêlos e a cheirar a cão…e lá se arrumou a ideia, já para nem falar que nunca na vida acampei e dormir ao relento dentro de uma carrinha sozinha iria ser no mínimo assustador.

Tema de férias quase a ser cancelado. Resumindo quem tem cães não merece férias porque ou é rico e compra uma casa sua noutro sitio ou vai dormir dentro do carro…ahhh mas isso também não é viável.

Já sei para deixar os cães em canis…vocês não têm ideia do que custa deixar o Blush, ela foi uma cadelinha abandonada e nos seu olhos consigo ver o medo “vais deixar-me não vais?!” “Já não gostas mais de mim?!” “Fiz alguma coisa de errado?!”. Para além disso 3 cães a 15€ a noite e não os posso ir levantar ao domingo o que passam mais 15€ para 2ª feira….ora vamos fazer contas….pois deu-me novamente Rico!!!!

Ahhh espera e o gato…esqueci-me que tenho um gato, o que faço com ele?! deixo em casa sozinho com o comando da Tv e sem acesso às redes sociais para não fazer festas la em casa?! Pronto agora é que está tudo mesmo cancelado, mais 1 ano sem férias, também já foram 4 sem, mais 1 não faz diferença.

Mudando de assunto, mas mantendo o tema dos cães. Meu carro avariou-se no sábado e estou neste momento sem qualquer meio de deslocação, estou literalmente “descarrada”. Ao ponderar alugar um carro ou pedir emprestado quando se fala em cães…esquece, não dá e não é possível, claro os pêlos eu já sei, mas não haverá carros específicos para donos de cães que ficaram sem carro inesperadamente? Provavelmente a resposta é não. Então eu e as minhas meninas que somos umas sortudas porque trabalhamos juntas vamos deixar durante uns dias de ter essa felicidade, porque vou ter que as deixar em casa o dia todo até encontrar uma solução.

Beijinhos e lambidelas das meninas que vamos jogar nos Euro-milhões para ver se temos mais sorte

Sofia

 

O Carpinteiro das Almas

Com os remos dentro de água passeio-me por um rio escuro e denso de almas perdidas e magoadas.

A barca de madeira fura as pequenas ondas de água límpida e tranquila, suavemente temperada pelas lágrimas e mágoas dos seus naufrago e ao som das estrelas surge a luz moribunda da dor e da agonia de quem um dia deixou-se escorregar pela margem de lama.

À medida que a noite avança, recolho os corpos sem brilho que flutuam sem rumo certo pela correnteza. Sento-os no pequeno banco da proa e de costas para a margem atiro-lhes para o rosto a suave brisa do Norte e ao nos aproximarmos da terra deixo-os sentir o cheiro da mesma molhada e da lamaçal que nos espera.

Nos braços inocentes e por entre cobras viscosas e sanguessuga esfomeadas, carrego o peso morto de alguém que um dia foi gente e que agora se esconde por entre limos e algas imundas prontas a se enraizarem.

Durante semanas, na minha oficina, lixo-lhe as más recordações, corto-lhe os males, lavo-lhes o rosto, esfrio-lhes a febre, arranco as daninhas que vão crescendo dolorosamente debaixo das unhas, lambo-lhe as resinas que escorrem das feridas e como soro passo-lhes a minha energia.

Que nem Gepeto trato das almas dos outrora duros, maciços e destemidos humanos de como crias se tratassem. Carrego-os no colo comigo e mostro-lhes a intensidade do sol, cantamos à lua, dançamos na brisa, saltamos desejos, e corremos nos sonhos. Os inquebráveis bonecos mantêm-se sentados sobre a minha tosca bancada, no meio das suas farpas, dos meus pedaços do passado, das minhas mais dolorosas recordações e das minhas fortes e limadas ferramentas que desbastam-nos à procura da vitória. Aguardamos o dia em que voltem a sentir-se gente.

Sei que sou sou uma passagem, um momento, uma ponte. Não passo de um caminho de uma miragem fraca de Gil Vicente que se passeia por entre almas perdidas num pântano de gente. Longe do inferno mas perto do Auto, encontro almas partidas e transformo-as em força. E à medida que me afasto das margem, entre lágrimas de saudades, vou-me conformando com a solidão e aprender a esquecer e a viver apenas das recordação e dos bons momentos.

E se o cavalo me derruba, deixo que o burro me console, mas continuo sempre a galopar sozinha até à linha do por-do-sol.

Sofia

Na Amizade também se trocam de Amigos

Vocês se lembram daquele grande amigo(a), companheiro(a) que um dia se apaixonou, arranjou namorada(o) e que simplesmente desapareceu?! Deixou de ligar, de dar noticias, de ter tempo, de combinar coisas e com o tempo foi mesmo deixando de fazer parte da sua vida…

Um dia essa pessoa volta a ligar e a te procurar e se não fosse o facto de ela estar tão de rastos com a separação do namoro que até eras bem capazes de nem atender e virar a cara. Mas há um passado e não consegues ficar indiferente e na realidade sempre foste amigo(a) dele(a) e essas saudades perdidas no tempo acabam por trazer excelentes recordações, fortes o suficiente para que voltes a recordar os bons momentos de companheirismo, de viagem e de vida.

Dentro de ti há sempre uma esperança de voltar a recuperar e a voltar a viver tudo novamente.

Até que o teu amigo volta a fazer o mesmo e vai criando dentro de ti e entre vocês um afastamento, uma apatia na relação e na forma como ele olhas para ele. Vão haver coisas que nunca mais irão ser recuperadas e sentimentos cada vez mais inexistentes. Até que um dia ele vai voltar e tu não vais estar lá, porque nos momentos todos que precisaste de ajuda, de um carinho, de um abraço, de um sorriso, de uma gargalhada, de uns disparates, de um ombro, de um conselho, de uns empurrões e safanões ele não estava lá.

No final de 2015 entendi que me afastei de muita gente, nunca a este extremo, mas falhei com algumas pessoas, estava presente num chat, por telefone, mas não tinha tempo e quando tinha estava exausta e queria mais era ficar em casa.

Decidi voltar a mexer nas minhas prioridades e não vou permitir que falte nada à minha família, aos meus animais e aos meus amigos. Confesso que o facto de conhecer muita gente não ajuda, porque o dia não deixou de ter 24h, a semana 7 dias, e eu não deixei de ser apenas 1 e não passei a ter muito mais tempo livre, apenas mudei as minhas prioridades, deixei de perder tempo com pessoas que não interessam, de ter momentos mortos ou a evitar passar tanto tempo sentada no sofá. Por exemplo ontem era 1 da manhã e estava a lavar a casa de banho e preparava-me para limpar a cozinha. Mas fui jantar com um amigo e hoje tenho quase tudo preparado para estar com outro e no Domingo vou ensinar uma amiga a andar de patins!

A vida passa a correr mas não podemos permitir deixar para trás quem nos ama, quem nos merece.

Espero que este post ajude algumas pessoas a repensarem nas suas atitudes quando decidem se afastar principalmente porque existe outra pessoa. Sei que não é por mal, mas magoa quem fica para trás.

Beijinhos

Sofia

 

 

 

Cavalheiros, Cavaleiros ou Cobardes?!

Quem afirmar que todos os homens são nojentos, horríveis, sacanas e todos iguais, está completamente enganado. Felizmente há uma pequena percentagem que são incríveis e únicos e que continuam a dar-nos esperança que mais se convertam à decência e aos verdadeiros valores.

Felizmente nos últimos meses decidi não me envolver com mais ninguém e cada vez sinto que é o caminho certo para evitar os desgostos, os traumas, as dores de cabeça e as mágoas.

No entanto através das minhas amigas vou acompanhando as vulgaridades, as faltas de ética e o pior de tudo a cobardia dos cavalheiros.

Digam-me quantas de vocês continuam sem saber o que realmente aconteceu? quantos namorados, casos, amigos coloridos desapareceram e até hoje não sabem o que lhes deu ou o que fizeram? Nos anos 80 eles saiam para comprar tabaco e agora saem para correr?! Mas será que a ideia de serem frontais, sinceros, limpos, custa assim tanto ou é mais fácil ficarem com a fama de cobardes. O que lhes vale é que aconteça o que acontecer nós ficamos sempre com fama de malucas, loucas, desequilibradas. Estamos tristes, vulneráveis, não dizemos nada de jeito, temos medo de os perder, por isso as loucas acaba sempre por anular o efeito da cobardia…”claro entendo-te eu também teria fugido de uma louca dessas!”. O que se esquecem é que ela ficou louca porque ele a humilhou, banalizou completamente aquilo que ela sentia por ele, o carinho que tinha, a sua disponibilidade e entrega.

Quando me perguntam o que gosto mais num homem, digo sempre “Gosto de um homem que seja Homem!”. Eu cresci com a ideia de que os homens são aqueles que protegem, que lutam, que conquistam, os que enfrentam, que dão a cara, que nos salvam, que nos ajudam, que nos amam. Hoje em dia a coisa parece que se inverteu, por isso é bom que comecem a mudar os filmes de hollywood e colocarem a mulher no cavalo branco e ele na torre a pentear os seus cabelos e a colocar creme nas mãos para deixa-las brilhantes e suaves.

Homem que é Homem não tem medo de usar cor-de-rosa.

Homem que é Homem, não tem medo de gostar de uma mulher e de a enfrentar, mesmo que seja para dizer “já não gosto de ti”.

Homem que é Homem, sabe que o respeito começa pela forma como é sincero na sua vontade e no seu desejo.

Homem que é Homem não precisa de florear, de inventar para chegar a um fim

Homem que é Homem tem valores, sabe o significado da entrega, do carinho e do compromisso

Homem que é Homem não desiste e não vira a cara à primeira dificuldade que vê

Homem que é Homem luta pelo o que quer e valoriza.

O mais importante de tudo é as meninas excluírem a ideia de que a culpa foi vossa. Muito provavelmente não fizeram nada de errado e o problema é dele, ele fartou-se, agoniou-se, não era para ser o que foi, mentiu etc.. Depois agradeçam a essa pessoa ter saído da vossa vida, porque mais cedo ou mais tarde, vos iria falhar, vos iria humilhar, vos iria decepcionar e acho que nenhuma mulher gosta de se apaixonar e relacionar por um cobarde, eu falo por mim, até teria vergonha.

Rapazes espero não ter sido muito dura com convosco. Vejam isto como um conselho, um abrir de olhos para atitudes que são muito pouco louváveis. Ninguém é obrigado a gostar de ninguém, mas todos merecem respeito principalmente aqueles que vos foram fieis, trataram-vos bem, deram-vos carinho e que até perderam o seu tempo a gostar de vocês. Sejam homenzinhos e digam a verdade e encerrem os casos como deve de ser. Isto dos casos e dos relacionamentos não conta só o tamanho o coiso, mas o tamanho das coisas que estão por baixo.

Isto para qualquer idade, essa coisa de culparem uns de serem miúdos novos e vai a ver-se os adultos parecem autenticas crianças parvas e birrentas. Cresçam!!!

Beijinhos

Sofia

 

Dona à Beira de um Ataque de Nervos

Vou fazer um gigante desabafo aqui, porque pode ser que alguém me ajude a encontrar uma solução, neste momento não estou mesmo a conseguir sozinha. Isto depois de ter tido vários cães em casa e nunca ter tido nada que se compare a este drama e problema.

Sabem aquelas 3 lindas beldades que vivem comigo? Sim essas mesmas a Pipa a Maggie e a Blush.

As meninas nunca foram muito asseadas, mas isto está cada vez pior. A ultima vez que as levo à rua chega a ser como hoje, às 3h30 da manhã (hora nada recomendada para donzelas como nós), mas vou tarde, mesmo para evitar os dissabores matinais às 9h da manhã, hora a que acordo todos os dias.

Hoje acordei às 8h e lá estavam os xixi, os cocos à minha espera na cozinha….e tudo fora do resguardo. Desespero porque nunca consigo ter a casa limpa o suficiente, nunca consigo evitar isso acontecer, já tentei de tudo e Bammmm…Os Bons Dias caninos espalhados no chão da cozinha :(, estou farta e cansada.

Evito cada vez mais levar e ter pessoas lá em casa porque nunca sei como vou encontrar a casa quando chego, quando saio, enfim é o disparate total é caso mesmo para dizer selvajaria.

A minha Yorkshire é a pior, tenho que andar de radar atrás dela porque faz coco a andar e sem eu dar conta, caso não olhe para trás, deixa os brindes por onde passa. Felizmente Deus é grande faz-me sempre ver e limpar a tempo antes que outra pessoa veja.

Por isso deixo aqui o meu desabado de uma mãe amargurada e cansada de 3 filhas tão porcas e em idade +ara terem juizo – 6, 5 e quase 2 anos.

Caso tenham alguma dica, por favor aceito de bom grado estou a entrar em fase de desespero

Beijinhos de uma dona à beira de um ataque de nervos

Sofia

Mas que Raio de Amor é Esse?!

Ontem estava a espumar, mas felizmente dormi e a coisa já não está tão violenta, mas continuo a ouvir barbaridades sobre o facto de eu estar solteira.

Continua a existir uma mentalidade medieval com tendência às cavernas que

me deixa possuída. O homem escolhe a mulher, aponta “és tu” e ela segue o seu caminho para casa com ele, ou pelo seu pé ou arrastada pelos cabelos. Mas a escolha é dele, se ela quer é indiferente. Estamos a falar de uma mulher muito clássica, dona de casa a puxar para a fada do lar, muito elegante, que faz pouco barulho até no momento do auge, que só sai de casa para comprar alimento para o homem e o convívio com as amigas (escolhidas por ele) é feito dentro da sua casa acompanhado por uma chávena de chá e bolachas feitas por ela. É isto que a sociedade procura?!

Dizem-me coisas do género “já pensaste que estás sozinha pelo estilo de vida que tens?!”. E eu pergunto? o estilo de vida de vagabunda, ladra, drogada, bêbada, delinquente?! É que se for este eu até entenderia que não é lá muito sexy ter uma namorada assim….mas será que é pelo facto de eu ser divertida, gostar de dançar, de ter bom sentido de humor, adorar desporto, aventura, ser boa companheira, gostar de mimar, vestir-me bem, cuidar de mim, gostar de proporcionar experiências fantásticas, ser uma boa amiga, será que fica a faltar alguma coisa?! Ahh espera se calhar o facto de eu gostar de trabalhar ou até ter um blog é o suficiente para um homem perder o interesse…”esquece aquela trabalha…e pior…gosta!”…Loucura das loucuras e pergunto-me, em que século vivemos?!

Depois falam-me da minha exposição, da minha notoriedade como se eu fosse uma super star famosa, impossivel de andar na rua. Como se tivesse paparazzis atrás de mim a fotografar com quem estou e onde estou para ser capa de revista. Como se eu tivesse a minha vida género Truman Show em que tudo o que faço é obrigatório partilhar nas minhas redes sociais… please menos, muito menos!

Então que raio de amor é esse em que alguém primeiro se apaixona pelo estilo de vida da outra pessoa e depois pela pessoa. Ou quando ama de verdade deixa-se de lutar por esse amor por uma questão de conservantorismo? Mas é assim que alguém espera amar de verdade e ser amado, mudando o outro? Ou começo já a mudar para ser mais fácil desencalhar?! É que eu não me sinto encalhada, muito menos desesperada ao ponto de começar a ser uma pessoa que não sou. Já me estou a ver a criar um questionário online para fazer uma estatística e mudar o nome do Blog “Diário de uma Mulher como um Homem quer”:

  • Gostas de uma mulher caseira ou de uma que gosta de se divertir?
  • Gostas de uma mulher que cosa as meias ou que te compre umas novas?
  • Gostas mais de uma mulher com pêlos ou depilada?..

E quando alguém me diz….cuidado que esta é deliciosa “por causa dos teus animais ninguém te pega” (te pega….juro que já me disseram várias vezes). Mas quero lá eu estar com alguém que não sinta o mesmo carinho pelos animais como eu sinto. Que não entenda que eles são família para mim, que irei continuar a salvar as gaivotas, as abelhas e até os burros que se atravessam no meu caminho, sejam eles de 2 ou de 4 patas. Para mim a compaixão é geral e cada vez mais universal, por isso não interessa a raça, a espécie, o momento, o dia, que eu irei sempre continuar a ser assim.

Depois há a questão dos filhos e da minha idade avançada, 41. A sugestão de algumas pessoas é apressar-me para não perder a oportunidade! “Despacha-te! olha que está a ficar tarde! Como se eu não soubesse, mas ter filhos para alguns deve ser igual ao apanhar a carreira, ou ir ali ao talho comprar chouriço ou tão rápido como plantar couves…, escolhes um bom terreno, fazes um buraquinho, colocas a semente e esperas 9 meses e pronto tens um filho. Nem precisas de te preocupar em gostar do pai, esquece o conceito de família, está ultrapassado, e contas e logo se vê…inscreve é já couve no infantário para ter vaga porque as alfaces entram sempre primeiro.

É por estas e por outras que sozinha e solteira, vou reparando na infelicidade dos casais, das pessoas que não conseguem ter vida própria, que não se respeitam, que namoram umas com as outras só paras as poder mudar e porque não conseguem estar sozinhos. Nos solteiros que não conseguem viver consigo mesmos e procuram alguém só para fechar um vazio, que na realidade nunca chega a fechar, ou nos solteiros que não sabem o que querem que andam a magoar todos por quem passam, porque ser sincero dá muito trabalho e pode ser chato.

Sou muito irónica e dura neste texto, mas eu vivo num Mundo diferente. O Mundo de Sofia é feito de pessoas genuínas, que sabem o que querem, que são limpas de alma, seguras de si e que não precisam de mudar ninguém. Podem sofrer como tudo, mas sofrem porque amam demasiado ou porque se entregaram a alguém que não as merecia. Amam de corpo e alma e não deixam nada por dizer. Falam com o coração e a boca é apenas uma interprete das palavras e mas é a causa de todos os beijos. As mãos são aquelas que seguram em caso de ajuda, mas também as que entrelaçam no passeio. O abraço é o que protege, mas que apertado une os 2 corações.

Sou louca, porque vivo, porque sinto, porque gosto, porque nunca morro do que não tenho ou do que não tentei. Quero tudo e tenho tudo e no mesmo sentido é a única maneira de ter alguém novamente na minha vida. Até lá, posso fica sozinha mais 1000 anos que vou sempre preferir estar assim do que pessimamente mal acompanhada.

Beijinhos enormes e bom-fim-semana

Sofia

 

 

Quem está mesmo do outro lado?

Confesso que isto das redes sociais por vezes assustam-me. As pessoas perderam completamente a noção da realidade.

Vejo coisas diariamente que me deixam preocupada. Não tem nada a ver com os post e o que escrevem nos seus murais, nem as partilhas. Isso até entendo e faço o mesmo, para quem me segue no meu perfil pessoal. Dá um certo conforto os likes e os comentários que temos. Não digam o contrário porque sim.

Mas as abordagens, as raivas, os perfils falsos, as fáceis traições, o abuso do espaço alheio, os engates acho que revela muito a personalidade de cada um.

A expressão “amigo” foi completamente banalizada e queremos ser todos amigos uns dos outros, como se isso fosse possível.

Os engates sem qualquer selecção. Bora lá tentar mais uma…ou todas e todos!! E não der amuo e bloqueio…ridiculo

As tentativas de traição chega a ser ofensivo. Homens e mulheres casados, procuram sexo fácil, amizades falsas e ocas. Mas o que é isto?! Felizmente já nem escondem e assumem que são comprometidos assim também não enganam ninguém.

As pessoas são assim na vida real, tão agressivas? tão taradas? tão desesperadas? Ou a desculpa do computador revela um perfil pseudo-psicopata que na vida real é abafado por umas roupas normais, um trabalho, uma familia? Isso é assustador. Faz-me pensar o que realmente se passa quando a porta de casa fecha, será que somos assim tão fantásticos como as fotos que temos, tão divertidos como as piadas que partilhamos? será que somos assim tão genuínos como as musicas que ouvimos?

Onde pára a nossa máscara social e começa a verdadeira, crua e pura identidade?

Beijinhos

Sofia

20 Longos Minutos

Hoje acordei super bem disposta, fiz a minha meditação matinal. Cheguei relativamente cedo ao escritório e apesar ter alguma fome, porque tinha que ficar 4 horas em jejum e 2 horas antes ainda estava na cama, estava bem tranquila.

Ainda consegui ver os emails e tratar de algumas coisas antes de ir fazer a minha

Ressonância Magnética ao Joelho.

Continuava muito feliz e bem disposta e isso vê-se pelo nível do meu sentido de humor e a ter necessidade de fazer piadinhas a tudo. Uma característica um pouco infantil eu sei, mas que não consigo controlar lá muito bem.

Chego ao Centro e pedem-me para despir e para tirar tudo o que tivesse metal. Começa o descasque, pior que aeroporto, não se pode esquecer de nada!. Tiram-se fotos com o look da bata, ah ah ah muito animadinha ainda.calçam-se os sapatinhos de plástico…

Entro na sala onde está uma máquina gigante e a menina, um pouco rebiteza, pede-me para deitar, ajeita-me na distancia pretendida e começa a fazer as recomendações:

“Não se pode mexer, caso contrário tenho que repetir o exame”, “Vai ouvir um barulho muito alto, por isso coloque estes phones”, “Volto a repetir tem que ficar imóvel!”, “coloque os braços ao longo do corpo e em caso de urgência e aperte esta buzina que todo o Hospital ouvirá o alarme!”….”Volto daqui a 20 min”….

Tranquilo, tudo controlado na minha cabeça. Phones é porque vou ouvir musica e vou aproveitar para meditar um pouco….A menina bate a porta e começo sozinha na sala a ser engolida para dentro do túnel da máquina….e sou engolida até a cabeça ficar de fora….menos mal é só o corpo a cabeça continua no ar…com ar…tenho ar. Respira Sofia, está tudo bem a cabeça está de fora e tens uma buzina na mão. Porque é que é ela foi falar na buzina. Será que é normal ter que tocar, será que alguém já a tocou, serei a primeira?! Calma está tudo bem, são apenas 20 min de cabeça de fora ainda com ar para respirar.

Talvez seja importante referir que sou claustrofobia. Que entro facilmente em pânico se me apertam os braços, o pescoço, se fico fechada num elevador. Quando fazia solário ficava com um braço de fora nos botões caso fosse preciso parar aquilo tudo.

O barulho começa e a menina não estava a brincar. Nem quero imaginar como seria se não tivesse os phones nos ouvidos. Musica nem ouvi-la, já percebi que vai ser tudo a cru. Começo a tentar abstrair-me. Não tinha feito um plano no que pensar. Não consigo meditar com este barulho, é impossível, nenhum dos meus anjinhos vai ouvir e nem posso abrir a boca para dizer que seja o que seja. Estou a começar a ficar muito impaciente.

Espera…calma, estou a ter ataques de comichão em tudo o que corpo. Dedos dos pés, ponta do nariz, costas…..esquece Sofia, esquece, pensa em algo bom. Por favor abstrai-te!!! Tenho este efeito das comichões sempre que alguém diz que não me posso mexer. Calma acabei de abrir a boca de sono!!! Será que isto é considerado mexer….Ohhh não há ninguém a quem perguntar e começo a ter espasmos na perna e nos pés. O meu corpo está a trair-me.

A maquina mexeu, juro que entrei mais um bocadinho, agora só tenho a testa de fora. Ohhhh falta quanto tempo?! Ainda muito?! Respira, respira, fecha os olhos e pensa em coisas boas e tranquilas ao ritmo de um barulho ensurdecedor! Será que podem baixar o volume um bocadinho, não me consigo ouvir pensar…acho que vou desmaiar de nervos, se a máquina voltar a mexer aperto a buzina. A máquina volta a mexer, fecho os olhos e começo a contar, a imaginar, cada vez com mais força. Não quero mesmo apertar a buzina, nem muito menos ter que repetir o exame.

A máquina cala-se, a porta abre-se, eu tiro os phones e sento-me a tremer, nem perguntei se já podia. Acho que vou desmaiar de nervos. A menina não me parece muito preocupada com isso e eu vou tentando acalmar-me e a pensar que felizmente era no joelho, caso contrário não teria corrido tão bem

As piadas acabaram, ainda a tremer fui-me vestir. Sai e liguei de imediato à minha mãe….a fazer queixinhas, seja lá o que for.

Somos adultos em tanta coisa, mas há sempre o momento em que temos todo o direito em ser crianças. Hoje foi o meu…

Beijinhos

Sofia