icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Um almoço na A5

Hoje dei por mim à hora do almoço sozinha. Ainda fiz umas tentativas de uns amigos almoçarem comigo, mas não correu tão bem quanto esperava.

Depois de tentar perceber onde me apetecia ir e o que me apetecia comer, apanhei no carro e decidi ir almoçar às bombas de gasolina da A5. Agora escrevendo, isto não soa tão sexy quanto eu achava. lol. Admito desde já que fui comer daquelas porcarias que engordam mas que sabem lindamente, mas hoje a minha linha nem vem para aqui chamada. Mas estava eu sozinha, na esplanada do Pans&Company a almoçar sozinha com o meu menu Europa quando comecei a pensar em todo o cenário: eu a almoçar sozinha, numa esplanada, no meio da auto-estrada, com o céu azul maravilhoso, com o som dos carros a passar a grande velocidade, muito calor e uma ligeira brisa a afastar-me os cabelos do rosto. Estava a adorar a sensação, o que parece ridículo, porque tirando o menu Europa o cenário pouco é interessante. Mas acho que realmente o que gostei foi da sensação de parar, não ter para onde ir, nenhuma obrigação (tirando voltar para o escritório), não tinha nenhuma carência para ir gastar dinheiro, apenas estava ali, com os meus pensamentos, o meu telefone para ir mantendo um contacto ou outro, a minha calma, a minha sandes e as minhas batatas fritas.

Foi delicioso! Cheguei ao escritório e comentei, adorei o meu almoço, era mesmo disto que precisava.

Para quem não me conhece bem, pode imaginar pela alcunha de Sofia Energia que eu não paro um segundo, mas se fosse do físico que eu levasse ao limite seria fantástico, mas na realidade a minha cabeça anda bem mais atarefada que tudo o resto. Quando acordo faço um género de horário de todos os meus compromissos e quando digo isto não são apenas os profissionais, mas é em relação a tudo. Desde tratar dos animais, limpar a casa, sair de casa, arranjar-me etc. Então ainda na cama dou horas e metas para tudo.

Minha cabeça quando acordo: “tenho 10 min para tomar banho, 20 min. para me vestir, 5 para comer, não, espera, como no carro, preciso desses 5 min. para me maquilhar….” e isto é calculado até à noite. Durante o dia sou capaz de fazer alguns updates porque há coisas que nos fogem do controle, como o excesso de cansaço, como me aconteceu no sábado que depois da angariação de ração para animais, tinha calculado ir à ExpoCosmetica, correr e limpar a casa e acabei por adormecer no sofá 3 horas.

Entendem agora, quando digo que estou cansada, estou cansada de mim, de eu mesma não me dar descanso. Há 3 anos que não tiro férias, continuo a dormir no sofá, continuo a correr para todo o lado a não querer deixar de fazer nada e cada vez estou mais activa e com menos tempo para tratar de mim.

Eu que nem gosto de férias calmas e não me imagino em retiros, ando a sonhar com um. Estar no meio de nada, apenas de vegetação, natureza, eu e o mundo e as minhas bonecas a olhar para o céu e a contar nada. Mantenho-me ligada sempre ao mundo, porque não consigo, nem quero deixar de saber de vocês, mas preciso ter os pés na terra, ou na areia, ou na lama. Preciso dormir sem horas, e acordar feliz

E foi sentada na esplanada da A5 que me dei conta que para continuar o que faço, preciso disto tudo, preciso encontrar-me, parar, sentir-me. Podem não ter reparado para há mais de 2 semanas que perdi o ritmos de escrever no blog. Não ando seca de assuntos, mas não os consigo desenvolver, baralho-me com histórias, depois passo para outro tema, não consigo criar conteúdos, ligações emocionais a nada. Sinto-me a secar e preciso de estimulo, voltar a olhar para as coisas e as ideias, surgirem na minha cabeça. Tenho tanto para dar e dizer que até me custa pensar que vos estou a privar disso tudo (agora foi brincadeira de convencida).

Isto para dizer que tirei 2 dias de férias, 5ª e 6ª, mas estarei conectada e no fim-de-semana prometi não fazer nada relacionado com trabalho, mas falta-me a coragem de sair de casa por muito que adorasse dormir noutra cama que não a minha, preferencia um hotel maravilhoso com lençóis muito brancos e muito esticados. Ou vou para a praia, ou vou passear, ou vou estar com amigos, logo se vê, porque só quero decidir tudo na altura, conforme me apeteça!!!!!!

Beijinhos e desculpem e desabafo e a secura dos ultimos tempos.

I promise i’ll be back!!!

Sofia Energia descarregada

 

 

 

 

Os Gentleman estão de volta

Os homens nos últimos anos viram-nos mudar de meninas rebeldes para mulheres, senhoras, divas maravilhosas.

Pacientemente aguardaram para ver se era apenas mais uma fase ou se era algo para ficar. Mas com o tempo têm comprovado que crescemos que somos mais sedutoras, femininas e confiantes. No geral as mulheres andam cada vez melhores porque para além das novas características mantivemos a força, a independência e a combinação de todos estes atributos é muito sedutor.

Felizmente com a moda vieram os movimentos, os gestos e o saber andar de saltos, a elegância e o saber falar e estar em qualquer situação. Muitos homens até dizer que a inteligência é sexy e que uma mulher os prende mais pela cabeça do que pelo o corpo (acho que alguns mentem lol)

No entanto com todas estas mudanças os homens começaram a sentir que não estavam a acompanhar. A diferença de estilos começava a ser muito grande e alguns começavam a sentir-se deconfortável. Para quem sem ideializou viver de chinelo no pé e de calções, os rapazes começavam a preocupar-se com o que vestir “Espera lá se tu vais assim eu tenho que me mudar!” Mas mesmo colocando umas calças melhores ou uma camisa continuavam a achar que não faziam justiça á beleza do seu par.

Então os homens procuram ajuda, de uma forma muito tímida e gritando sem voz para ninguém na realidade repare que eles estão preocupados com a sua imagem. Mas aos poucos até têm conseguido e no geral os meninos andam muito mais giros, mais elegantes, bonitos, simpáticos, galãs e claro cavalheiros.

Dizem que a roupa não muda as pessoas, mas que acho que as ajuda a transformar. Não nos comportamos da mesma maneira quando estamos de ganga e de vestido comprido de gala. Sabemos para já que estamos em contextos diferentes e por muito que os rebeldes gostem de dizer que não, na realidade o mundo chique é sempre elegante e há sempre uma vontade de pelo menos um dia fazer parte dele.

Mas voltando atrás os homens querem mudar, os homens querem vestir-se melhores, eles querem andar bem, seja fim de semana, numa festa, num evento, para o trabalho, mas estão perdidos. As marcas continuam a dar pouco valor a este mercado que está desejoso de investir seja em roupa, produtos de higiene, imagem, comportamento. Eles querem, eles precisam, eles pagam!!!

Eu também sou um bocadinho culpada, porque acabo sempre por só falar de assuntos femininos e vou deixando os meninos do Diário um bocadinho abandonados, mas eu prometo começar a falar mais um bocadinho neles e em temas que lhes interesse.

Vou tentar ensinar algumas dicas de cavalheirismos, até porque as meninas agradecem e quem acha que abrir a porta de um carro está fora de moda, está muito enganado e os rapazes que conseguiram entender a tempo que não só da virilidade vive o homem e que começaram a dar a devida prioridade à mulher, mas que por causa disso não perdem mais masculinidade é um homem que vai conseguir, de certeza levar a sua companhia a bom Porto.

Vá meninos vamos lá começar a pensar em vocês e mostrar que ficam elegantes de fato, gravata, lencinho, sapatos de atacadores caramelo e até papillon.

Beijinhos

Sofia

Hormonas Party

Isto de ser uma mulher é uma festa, tanto para nós como para quem nos rodeia.

Confesso que afastada dos maus humores, das crises de histerismo, de insegurança, contradições, variações de humor, cenas dignas de diva, sopeira, princesa, mimada, criança, etc, até acho piada a isto tudo e adoro fazer piada com o nosso género e os nosso humores.

Somos um prato que é servido quente mas que às vezes sabe a frio e a insonso. Somos carne e somos peixe e se quisermos podemos ser as 2 ao mesmo tempo. Somos perfeitas em tantas coisas e no entanto num segundo conseguimos mudar a imagem que têm de nos…para negativo claro.

Os homens lamentam-se que não nos conhecem, mas eu revelo aqui e agora, que nem nós umas às outras, nem a nós próprias. Isto é uma montanha russa de emoções que às vezes está descontrolada, outras parece que vai sair do carril, mas felizmente depois do looping e da descida vertiginosa lá chegamos seguras e satisfeitas e de repente tudo muda para melhor e como se nada tivesse acontecido.

Conseguimos ser profissionais, mães, mulheres, amantes, amigas, filhas, netas, companheiras, brincalhonas, divertidas, aventureiras, românticas, independentes, graciosas, altivas, “cabronas” quando queremos , cuscas, fofoqueiras, etc tudo num único pacote igual a qualquer ser humano do sexo oposto, mas com um mundo dentro de si. É como se existisse toda uma comunidade habitada por varias pessoas dentro de nos e animais incluidos, vai depender tudo de pessoa para pessoa (há quem tenha cabras, galinhas, vacas, peruas, avestruzes, éguas, burras, camelas, tubaroas, etc).

Dizem que as hormonas são mensageiras químicas que circulam pelo sangue, que desempenham um papel essencial no equilíbrio do organismo. São elas que estimulam ou inibem a actividade de certos órgãos, de tal forma que o seu excesso ou carência afecta o nosso bem-estar. Em ligação constante com o sistema nervoso, as hormonas comandam a sexualidade, o humor, o sono, a temperatura corporal, entre tantas outras funções vitais. Desvendamos-lhe as substâncias mais poderosas do seu corpo, mas eu acho que são mulheres pequeninas que vivem dentro de nós e que vão partilhando o que sentem conforme o dia e essas mulheres por suas vezes estão cheias de micromulheres que controlam o que elas sente. Estão a entender onde quero chegar? Então somos controladas por umas guerreiras enraivecidas que de vez enquanto dormem, mas quando lhes dá a fúria saiam todos da frente que nós viramos bicho.

Não deixa ser divertido ser assim, mas às vezes tenho pena dos homens que acabam por ficar sem saber o que fazer, mas se eles estavam à espera de soluções a ler este artigo estão muito enganado porque não vos consigo dizer mesmo como ultrapassar uma crise, porque os ditos estímulos vão sempre mudar para o oposto do que vocês dizem

Mulher – Quero dar um tempo na nossa relação

Homem – Mas porque?

Mulher – Porque sim

Homem – ok vou respeitar

Mulher – ahh é o que tu queres certe, ver-me pelas costas? Vá admite, por isso é que queres dar o tempo….

Vá admite tens outra, já não gostas mais de mim?

eu bem andava a achar-te diferente

bla bla bla bla vezes horas

Homem – :/

(silencio e acredito que têm medo também)

Escrevo sobre isso porque desde ontem já tive 2 ataques e depois da hora do almoço já tive que enviar uns sms’s a pedir desculpas e a atribuir as culpas ás hormonas e agora que estou mais calma até fico envergonhada de pensar que disse o que disse sem sentido nenhum e agora estou aqui discreta e silenciosa no meu canto à espera que a outra pessoa esqueça os episódios…

Por isso tanto para nós como para os homens isto é sempre uma festa, com direito a fogo de artificio, confetis, ressaca e alguns arrependimentos. Mas felizmente somos todos felizes e o que era vida sem um pouco de adrenalina?! Uma seca certo? 🙂

Beijinhos meninas e tentem controlar as vossas hormonas que vou tentar controlar as minhas

Sofia

 

 

 

Começar a Treinar

Muitas de vocês têm me procurado para saberem mais sobre os meus treinos. Para mim fica complicado explicar de onde veio a minha força de vontade e tentar motivar-vos a fazer o mesmo, porque sei que tem que ser uma força interior de cada um.

Para além disso o meu treino é especifico para aquilo que eu pedi: perder uns kilos a mais, tonificar e ficar com um rabo fantástico (não vou fazer género e fingir que não era das minhas prioridades). Felizmente isso tem acontecido. Comecei a correr varias vezes por semana e mesmo sendo apenas 2 km é mais do que não correr nada. Passei a beber mais água e chá e comecei a comer melhor e hoje já como menos naturalmente.

Sinto-me fantástica, muito mais tonificada e o meu rabo não abana e já nem preciso usar os meus boxers da Spanks para sentir-me riginha.

Continuar a ler

Andar Direita

Há muitos anos atrás no auge da minha depressão andava a arrastar-me pelo Holmes Place a fingir que fazia algum desporto e que me fazia sentir bem, mas na realidade estar fechada num ginásio ajudava-me a sentir ainda mais infeliz e depressiva.

A minha posição normal era andar curvada nas costas e com a cabeça baixa e sempre a olhar para o chão. Sentia-me a corcunda de Notre Dame mas era fechada na torre do HP.

Mas um dia um PT veio ter comigo e disse “andas muito curvada”. Como qualquer depressivo disse-lhe que estava com uma depressão, até porque estava um pouco comovida de ele ter reparado que eu não estava bem. Até pensei finalmente alguém olhava para mim ou que me acharia piada.

Muito despachado e assertivo disse-me, nada disso, não tens é trabalhado os músculos das costas e sentou-me numa máquina e sugeriu-me fazer x exercícios por dia. Assim fiz e com o tempo a posição do meu corpo foi mudando e ficando cada vez mais vertical, forte e confiante, mesmo quando nem sempre a minha cabeça acompanhava essa mudança.

E felizmente volto a sentir o mesmo. Como estas ultimas semanas de treino os meus ombros vão para trás e a minha posição é muito mais elegante. Por isso nos vossos ginásios peçam para ter em atenção a esse pormenor, mulheres e homens, porque a maior parte das pessoas treina todos os músculos e esquece um pouco as costas e umas costas bonitas e musculadas  fica bem a toda a gente.

Beijinhos e bons treinos

Sofia

Direcções

No outro dia, após escrever e publicar o artigo “O Solteirão mais desejado” e ter terminado com o seguinte PS: “Solteironas do meu coração se eu fosse Solteirão casava-me com todas vocês lol. Estes homens não sabem o que é bom e no dia em que aprenderem a tratar uma mulher é o dia em que vão saber o que é felicidade eterna e constante”, um amigo procurou-me e disse:

– “Nem todos os homens são literados nesse assunto”

Isso deixou-me a pensar porque é tal qual como os caminhos. Mas há algum homem que peça direcções, que pare o carro quando está completamente perdido ou não faz a mínima ideia de onde tem que ir. Prefere chegar 3 horas depois, quase arruinar uma relação e quando finalmente chega só lhe apetece voltar para casa.

Quando falo isso quero dizer que as mulheres tenham bom sentido de orientação…nem todas têm a mesma sorte que eu lol , mas ao menos somos praticas e poupamos tempo e discussão. Quando não sabemos perguntamos e tudo fica mais fácil e chegamos sempre a bom porto, seja qual for o destino.

Se os homens fizessem o mesmo com os “caminhos” tudo iria ser muito melhor, mais agradável e iriam ter uma “copilota” feliz, contente e sempre pronta a ajudar e alinhar em todo o passeio. O problema é quando só um dos dois é que quer ter prazer na viagem obviamente fica a faltar alguma coisa. É como se convidassem uma mulher para dar um passeio de carro e acabassem por ir sozinhos e depois ficassem muito admirados que ela não tivesse chegado com ele.

Uma mulher feliz é uma mulher que é capaz de dar tudo porque se sente incluída, segura, bonita, mulher etc, e se alguns homens estiverem dispostos de as ouvirem mais e saberem os caminhos que preferem e até , para os mais confiantes, deixa-las conduzir o carro, serão de certeza mais felizes e terão o prazer das suas vidas.

Beijinhos e partilhem, conversem, oiçam e sejam felizes

Sofia

 

 

A tartaruga e as Pegas

Um dos meus livros favoritos é o “Clube da Sorte e da Alegria” da escritora Amy Tan. Fala da de 3 e mais gerações entre mães e filhas que viveram em épocas diferentes e culturas opostas sempre acompanhada da mitologia chinesa. É muito interessante para entender a relação intensa que às vezes as mães têm com as filhas. A mim ajudou-me muito a equilibrar a relação com a minha mãe e a entende-la melhor.

Mas desse livro há uma passagem que me marcou muito e embora a entendesse, agora, uns 15 anos depois de ter lido o livro consigo pô-la em prática, mesmo sem querer, porque há medida que a vida me amadurece menos me importa o que os outros pensam sobre mim.

Continuar a ler

Stratti no meu Cabelo

Eu ando sempre de volta do meu cabelo, sou género Sansão e preciso da força dele para me sentir bonita.

Talvez por ter tido a sorte de nascer com ele tão forte e brilhante e por ter tido um desgosto tão grande aos 28 quando fiz um tratamento ao acne em que um remédio estragou-me a raiz do cabelo e passar os 8 anos seguintes a tentar encontrar algo que me desse firmeza aos caracóis, brilho, definição em vez de andar com ar de espanador ou de leoa deprimida.

Por isso preocupo-me muito com ele porque quero que esteja cada vez mais lindo para que eu me sinta cada vez mais linda

Como sei que para vocês os vossos cabelos também são uma preocupação, atrevo-me a ir experimentando algumas marcas e produtos e assim que acho que devo partilhar convosco é na hora que faço um artigo ou post.

Já vos tinha falado desta linha porque estou a usar o champô que não tem sal e tenho notado imensa diferença, nas ondas, no brilho, na resistência, etc.

Desta linha ando a usar a definição de caracóis que por acaso tem o cheiro favorito a orquídeas. Tem sido óptimo. Aplico com o cabelo húmido e com o cabelo seco. Não sinto que fica empapado, mas também não aplico junto à raiz, mas espalho livremente pelos fios de cabelo.

A linha tem outros que podem ir ao encontro das vossas necessidades, como por exemplo de Argan e Chocolate para quem estica muito o cabelo ou usa o secador quase sempre. Apliquem antes de passar a chapinha e o secador e depois :). Assim protegem o cabelo desse mal e vicio.

Se necessitarem de mais informações podem ver no site:

www.labsupernova.com

www.belanatur.com

Podem encontrar estes produtos em lojas da especialidade, como o Carlos Santos e algumas ervanárias.

Os preços podem variar consoante o local de venda, mas rondam mais ou menos estes valores:

– shampoos: 7,50e

– condicionador: 6,50€

– creme de pentear: 6,50€

– máscaras de 550g: 7,50€

– máscara de 1.100g: 10,00€

– recargas: 8,00€

Beijinhos e bons cabelos

Sofia

PS. este é o champô que ando a usar

Flexibilidade Zero

Como há bocado comentei no blog, haverá algo pior do que chegar a uma aula de alongamentos, entrar um rapaz muito giro e vocês saberem que quando ele olhar para aquele espelho e ver uma loira confiante que não chega com as mãos aos pés quando está de pé, sentada, de joelhos, de gatas e de maneira alguma, a possibilidade de haver um flirt está completamente fora de questão e se isso acontecer, o que é muito pouco provável, é amor para sempre.

Tão mau como isso é entrarem na nossa casa de banho para uma surpresa no duche e estarmos com a toca na cabeça. Se ainda continuarem com vontade de uma brincadeira sexy debaixo do chuveiro é porque é amor.

Continuar a ler