icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

No Silêncio

Este fim-de-semana estive sozinha nos 3 dias de NOS Alive
Sozinha, tive tempo para observar as pessoas.

De entender quem se estava realmente a divertir, apaixonado, quem estava farto da companhia do outro, os falsos que se fazem de amigo só porque dá jeito, dos que um dia dizem uma coisa pela frente mas nas costas a música é outra, etc

São nestes momentos sozinha, rodeada de milhares de pessoas que me apercebo que cada vez menos me enquadro, sinto que não faço parte e talvez porque não queira fazer parte.


Nestes últimos anos, escolhi ter uma vida simples, rodeada pela minha família, por aqueles que me querem bem e que gostam realmente de mim e dos meus adoráveis animais (e animais no canil)
que me fazem bem e feliz, Fartei-me de pessoas superficiais, dos sorrisos amarelos, dos brilhantes falsos, das marcas boas nas mãos das pessoas sem valores, das injustiças do Mundo, dos maus que têm sucesso e dos bons que se matam a trabalhar e dos arrogantes a que todos se vergam.


Sozinha senti quem me queria bem e por perto. Quem me recebeu com carinho, quem me procurou companhia, quem quis estar comigo, mesmo sem termos alguma combinação. Quem conversou comigo porque realmente queria saber se estava bem e queria ouvir o que tinha para dizer.


O silencio tem uma voz que não se esquece.


Beijinhos e Boa tarde

Sofia

PS. Não pensem por 1 segundo que sou triste ou estou triste quando estou sozinha. Eu felizmente tenho imensos amigos, uma família linda, os meus animais e em vários momentos estou rodeada de pessoas, seja nos meus trabalhos, na dança, na natação, nas minhas festas e eventos.

Hoje em dia não me custa estar sozinha até porque as redes sociais fazem-nos alguma companhia. Mas realmente quando estamos sós temos mais tempo para pensar, para ouvir, para sentir, para dar e receber.

Mulheres no Poder

Hoje comecei a manhã com um pequeno-almoço muito interessante, só com mulheres que trabalham no mundo gráfico.

A ideia da Ana Paula Cecília, editora da Revista Intergráficas, era juntar algumas mulheres que ficam um “bocadinho” longe das luzes da ribalta mas que são peças essenciais numa empresa que trabalha com impressão, papel, produção e tentar entender  se no nosso Mundo e Meio as oportunidades são as mesmas que a dos homens e como é trabalhar num mundo maioritariamente masculino e um bocadinho conservador.

Mulheres de armas há em todas as indústrias, mulheres resistentes às tradições (para não dizer conservadorismos) também. Mulheres lutadores, somos todas, Mulheres que lutam por uma posição, que não tem que ser necessariamente feminista, mas que procuram um trabalho de excelência e tão capaz como de qualquer homem. Mulheres que não se comparam com os homens porque não se vêm como géneros, mas como humanos.

Todos temos queixas, seja homem, mulher, cão, gato, passarinho ou tartaruga. Nem sempre os nossos trabalhos são fáceis, mas só passam a ser impossíveis quando deixamos de lutar por eles, ou perdemos as forças ou o interesse. Até lá temos que deixar de parte as nossas inseguranças, as nossas fragilidades, os nossos medos e fazer o melhor que podemos fazer daquilo que nos compete. No nosso caminho iremos sempre encontrar pedras, umas mais fáceiis de ultrapassar, contornar, colocar de parte e outras vão durante uns tempos andar dentro do nosso sapato a incomodar, mas um dia vamos saber parar, tirar o sapato e sacudir, até ela sair!!!

Um conselho que vos dou é se não querem ser vistas como Mulheres não se comparem aos Homens. Somos uma sociedade machista (principalmente por causa das mulheres), mas se fizermos o nosso trabalho, formos persistentes, profissionais, respeitarmos os outros, mais cedo ou mais tarde iremos chegar onde queremos. Cada vez há mais mulheres de sucesso, e porquê? Porque fizeram o seu caminho sem medo e de cabeça erguida, assim como tenho a certeza que eu irei fazer o meu e vocês o vosso.

No Pequenos almoço estavam presentes umas 20 mulheres, algumas donas de gráficas, outras fornecedoras, outras parceiras, etc e nenhuma delas pareceu-me menos importante que qualquer homem que trabalhasse na empresa. Até porque todas tinham o mesmo interesse “sucesso da sua empresa = sucesso profissional = a sucesso pessoal”.

Mudem o chip e que será mais fácil todos mudarmos, inclusive a sociedade. Papel de vitima não funciona para quem quer evoluir, apenas atrai mais inseguranças, mais desafios e menos realizações. Uma coisa vocês não podem nunca esquecer…Exigir Respeito e claro respeitar os outros.

As Mulheres ainda não Conquistaram o Mundo porque ainda não decidiram o que vão levar vestido nesse dia, só por isso 😀

Sejam muito felizes e lutem por aquilo que acreditam e vão ter muito sucesso na vossa vida.

Beijinhos

Sofia

 

Tempo é Precioso

Sempre fui uma pessoa bastante ansiosa. Queria que tudo acontecesse naquele determinado segundo, ou recusava-me a esperar por respostas, não havia tempo a perder.

Mas na realidade perdia imenso. Quando as coisas finalmente aconteciam eu tinha ansiado tanto por elas que não sabiam ao mesmo, ficavam uma seca e longe da minha expectativa.

Responder sem pensar,  nem vos consigo precisar as vezes que me entalei por causa disso. Tenho coração demasiado perto da boca e despejo logo as emoções sem pensar nas consequências e quem ficava a sofrer, a perder, adivinhem quem era?! Euzinha.

Por isso há uns anos para cá tenho vindo a treinar a gestão do meu tempo. Aprendi aos poucos a esperar. A entender que apesar de eu ser a Sofia Energia, tudo tem um ritmo diferente do meu e tenho que respeitar isso.

Por exemplo, se for segunda-feira e ansiarmos demasiado pela sexta-feira, os 3 dias do meio vão passar-nos completamente ao lado e na realidade continuam a ser dias perfeitos para sermos felizes, para realizar projectos, para fazer compras, ir ao ginásio, amar a família e os filhos, adoptar um animal 😀

Tempo dá-nos tempo também para conhecer uma pessoa. Quando sofro uma desilusão, costumo dizer, “tempo é óptimo para revelar as pessoas”. É claro que o mesmo acontece para termos certezas

Esperar passou a ser uma virtude, em todos os sentidos, principalmente quanto estou com as emoções todas ao rubro e à flor da pele. Se for reactiva no auge de um problema, de um desgosto de uma situação complicada, provavelmente irei ficar a perder e muito mais prejudicada.

Esperar, dá tempo para pensar o que é melhor para nós. Esperar dá-nos tempos para nos prepararmos, criar uma estratégia e ficar com os trunfos do nosso lado.

Melhor que esperar só mesmo saber ouvir, mas isso será outro tema a falar noutro dia, noutro artigo, esperem por outras dicas com calma 🙂 Roma e Pompeia não foram feitos num dia.

Beijinhos enormes e espero que sejam muito felizes

Sofia