icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Exercício 2

Bom dia :),

Tiveram oportunidade de ver o exercício de ontem e de pensar nele?

No exercício de hoje vamos pensar em algo diferente. Como é que gostariam que os outros vos vissem?

Libertem-se de tudo e dos rótulos e dos clichés. Simplifiquem essa imagem.

Podem começar por pensar como Acham que os outros vos Vem e depois podem pensar como gostariam que vos vissem? depois comparam e vêm o que está a faltar.

Vou dar um exemplo à toa (não é o meu caso):

  • “Eu acho que as pessoas me vêm como uma pessoa frágil”
  • “Eu gostaria que me vissem como uma pessoa forte e resistente

A ideia é vocês tentarem procurar dentro de vocês uma forma de passar outra imagem. Sem que seja falsa, claro, mas lutando por aquilo que pretendem e que mude. É um principio para tudo mudar

Beijinhos e que corra tudo bem com as vossas mudanças

Sofia

 

Exercício 1

Meus queridos,

Gostava de vos lançar um desafio.

Ontem enquanto tomava banho pensava na imagem que tinha de mim mesma, naquele exacto momento e comparei-a com a imagem que em criança projectara de mim…literalmente nada a ver. Entre o champô e o máscara do cabelo, pensava onde e quando me perdi?

Ao esfregar a cabeça deparei-me com a dúvida: Se quando olhas para ti não vês exactamente aqui que pensavas que eras, ou que um dia imaginaste que irias ser, como queres ficar? Quem és tu ou quem podes vir a ser?

Quantos de nós, vocês, eles se perderam pelo caminho?

Se colocassem à vossa frente a vossa pessoa em criança como acham que ele se sentir? e o que ela diria? teria orgulho, vergonha, medo da sua versão adulta?

A minha criança devia estar a perguntar…”Onde está aquela mulher de negócios que iria viajar pelo mundo todo a fazer a gestão da sua fortuna e dos seus negócios, junto de uma linda e maravilhosa família?!! (eu era criança tá?! os sonhos eram altos ok?! lol). Pois bem eu teria que explicar a essa criança muita coisa, inclusive que me perdi ao acreditar nas pessoas erradas, a ouvir os que me deitavam a baixo e a juntar-me aqueles que me tiravam as forças. Que me tinha custado muito, mas nadei mais para me salvar do que para chegar à outra margem. Que fui tantas vezes ao fundo que lhe tinha perdido a conta e que engolira muita água apesar de continuar a sentir-me seca. Mas que cá estava pronta para recomeçar as vezes que fosse possível até ficar bem.

Mas foi importante para mim, enquanto tirava o excesso de champô do cabelo, ver-me e olhar-me de fora e tentar entender que aquilo que sou, ainda está muito longe daquilo que acho que tenho capacidades para ser. Confesso que perco imenso tempo com merdices. Se a minha cabeça pensasse menos ou desse menos importância a determinadas coisas e pessoas, era fantástico e a minha vida seria perfeita 🙂

Acredito que eu, ou tu, ou nós e eles estamos muito a tempo de alterar as coisas e voltarmos aos sonhos de crianças e às realizações pessoais!!! Nada é impossivel, certo?

Amanhã vou lançar o outro exercício que pensei enquanto passava o gel de banho…não comecem a pensar no que não devem :D…são exercícios mentais…bem é melhor estar calada e deixar as explicações para amanhã, vocês ficam com a vossa imaginação 😛

Beijinhos e sejam muito felizes

Sofia

As Rainhas Também Perdem a Cabeça

Na semana passada fui ver o filme Mary, Queen of Scots com as actrizes Margot Robbie que interpretava o papel de Elizabeth I da Inglaterra, e Saoirse Ronan de Mary I, da Escócia

Adorei o filme, apesar de a história ter sido complicada de seguir (porque eu preciso de tempo para decorar os nomes das personagens, associar as caras aos nomes, e confesso que essa parte custou-me um pouco, até porque a história segue a um ritmo um pouco rápido.

O filme tem uma fotografia incrível e uma interpretação brilhante das 2 actrizes, Margot e a Saoirse. Aproveito também para salientar o guarda roupa que está deslumbrante e dá vontarde de fazer parte da época.

Mas o que queria chamar a vossa atenção é como nós mulheres somos fantásticas, poderosas e podemos assumir cargos de grande responsabilidade e cargos que qualquer homem faria até…..até….uma mulher se apaixonar e assim sim começa o drama e a escambar tudo.

Não vou contar o filme, obviamente, mesmo que não haja algo a esconder pois a história foi verídica…foi Historia!!!! Mas e realmente incrível como as mulheres, sejam elas as quem forem, de origem, raça, espécie, tribo, planeta, tipo sanguíneo, tenha pele mista ou seca, pé chato ou a gretar…que apaixona-se e estraga tudo!!!

É como se ela deixa-se de funcionar direito, os sensores dela passam a ser flores para atrair coisas que não devem!!! Deixam de ouvir e acham que só elas e o amor delas têm razão.

É uma linda forma de amar sem dúvida, mas depois de verem o filme e lembrarem-se de algumas das vossas paixões em que perderam mais do que ganharam vão perceber o que digo. Eu por exemplo sou dessas mulheres que deveria ser proibida de me apaixonar para não fazer porcaria. Fico mole, bamba, trolha, tonta, perdida, apática e só vejo corações e a cara do meu amor pela frente…depois quando descubro que ele é um bandido, um criminoso, fico sem chão porque estive o tempo todo sem rede. Tento remediar a coisa, mas entre a dor da perda, da traição pareço uma barata tonta acabada de apanhar um choque eléctrico.

Resumindo foi isso que tramou uma das Rainhas. A outra foi consumida pela doença chamada de ter, mas não querer e não saber o que fazer para não abdicar do poder…até rimou :D. Queria muito ser mãe mas não se decidia deixou o tempo passar, ficou invejosa e bimba foi rainha, mas infeliz.

Enfim que isto seja um alerta para vocês minhas Princesas e Rainhas que podemos ter um amor equilibrado sem abdicar de nada muito menos dos nossos poderes e (feitiços) e conquistas. Sejam razoáveis e estáveis e não precisam de ouvir os conselhos dos outros, mas sinta os sinais, os vossos instintos

Beijinhos e sejam muito felizes

Sofia

A Bipolaridade do Corpo

Hoje estava a ver uma foto muito sincera de uma seguidora que mostrava o seu esforço há 2 anos atrás quando decidiu emagrecer, a sua foto de hoje depois de ter engordado novamente alguns quilos. Pelo que percebi deixou de treinar durante uns tempos e o corpo lá voltou ao que era.

Realmente é duro e muito ingrato esta bipolaridade do corpo. Já para nem falar desta tralha das hormonas e das complicações que a cabeça inventa e as vezes que ela nos destrói em vez de ajudar.

Vejo por mim, desde que o meu peso passou a mandar em mim e a definir quem realmente sou. Sou uma fraca que deixou de puder contar com a genética e passou a ter que mudar tudo o que era hábitos e gostos e prazeres para tentar não ganhar quilos atrás de quilos.

Fiz uma dieta aos 12 anos por ordem do médico. Ele dizia que se não emagrecesse nessa altura iria sempre ter tendência para engordar (*). Ele tinha razão. consegui ser elegante até aos meus 40 anos, o que ele não estava a prever é que a minha cabeça iria pregar-me inúmeras partidas emocionais. Ora estou triste, ora estou feliz. ora estou a comer como se não houvesse amanhã, ora estou arrependida e a pensar “o que raio fiz eu!”.

Infelizmente basta uma pequena instabilidade, um tremelique, uma brisa para abanar o sistema de uma mulher. Para ela ter uma necessidade tola de se punir, maltratar e depois viver de arrependimento.

Quantas de vos não passam horas a pensar nas dietas que vão fazer e de como vai ser o método mais rápido de perderem peso até serem pessoas elegante e de como isso vai mudar a vossa vida para melhor.

Não sei dizer se melhora ou não, mas acredito que não passa tudo por  perder “o peso”, mas pela boa relação que passam a ter com corpo e confiança que ganham para tudo o resto. A aceitação é o primeiro passo para a felicidade, seja com o peso certo ou com uns quilos a mais.

Mas chega o dia em que decides fazer uma dieta, provar a ti que consegues e que és mais forte que as tuas carências e inseguranças e que te apercebes que ter uma vida saudável não é assim tão impossivel e pode ser o principio de muita coisa boa. A única questão é que se essas mudanças não forem para sempre, mais cedo ou mais tarde, quando voltares a cometer alguns pecados estás a um bolo de voltar ao que eras, porque o corpo não esquece tão facilmente o passado.

Nestes últimos 3 anos tentei de tudo e fiz muita coisa (tudo super saudável, não tomo nada) e consegui finalmente este verão ao incluir treinos diários, perder uns 3 ou 4 quilos, até ao dia em que comecei a sentir falta dos doces, das batatas fritas, dos chocolates, do pão cheio de manteiga e a pensar para mim é só mais um, é só mais hoje e tem sido um descontrolo.

Continuo a treinar diariamente e tem-me ajudado a manter a forma, a tonificar e até a queimar algum excesso, mas já volto a sentir a roupa mais apertada, a cara mais redonda, o meu corpo mais pesado e a minha consciência mais insegura e com vontade de comer ainda mais.

Já lá vai o tempo em que almoçava uma sopita e ficava cheia lol agora isso só acontece depois de ter comido um cozido à Portuguesa lol.

Quero que pensem neste texto porque para quem tem tendência para engordar fazer 1 dieta única só irá resultar nos primeiros tempos até vocês voltarem aos maus hábitos.

Beijinhos enormes e não deixem que os outros ou as redes sociais definam a vossa felicidade

Sofia

(*) acho que nunca agradeci à minha mãe a força de vontade dela de me ter ajudado nessa dieta. Eu era uma miúda, sabia lá dizer que não aos doces e foi preciso um braço de ferro para me impedir de comer até rebentar. Bastou 1 mês para perder 5 quilos e enjoar de comida quase por 20 anos. Vejo imensas crianças demasiado peso para a idade delas e tamanho, penso com tristeza será que algum dia vão deixar de ser assim? será que a vida delas será uma luta constate com o corpo a sonharem ser diferente.

Não acho que todas as pessoas a cima do peso são infelizes, mas acredito que quem se aceita com uns quilos a mais e gosta do ser corpo assim, é uma minoria que Graças a Deus é muito bem resolvida.

O Mal de Querer Agradar a Todos

Nasci com um mal horrível que não desejo a ninguém, chamado de síndrome de querer agradar a todos!

Pode parecer uma realidade muito romântica, mas infelizmente é o principio da nossa destruição.

Achar que os outros vão gostar mais de nós pela vossa serventia é um erro, um engano crasso.

As pessoas aproveitam-se dessas acções e dessa vulnerabilidade. Elas não se tornam mais boazinhas, mas sim bem mais mazinhas e egoístas. Vão ficar mais exigentes e começar a dar ordens e mais cedo ou mais tarde, vais passar a fazer tudo o que elas querem.

A serventia gratuita  enche os egos dos outros, como uma bomba de oxigénio e fá-las crescer e voar como se estivessem cheia de hélio. Infelizmente quem fica cá em baixo somos nós a ver os outros darem-nos com os pés e a gozarem como Reis graças às nossas bonitas acções.

Para além disso se acham que alguém vos irá valorizar mais por isso estão super enganados, provavelmente irão ser esquecidos na parte dos agradecimentos, das validações, dos prémios, dos bónus, das festas da cabeça e nem com uma palmadinha no rabo se safam.

Atenção, não confundir esta características com lambe egos. Os  1ºs são pessoas inseguras e precisam da validação de quem admiram ou querem conquistar, os 2ºs podem ser até aproveitadores, manipuladores, pessoas má intencionadas com o intuito de ganharem alguma coisa.

Os que querem agradar, querem fazer parte, querem ser amados, querem a validação. Precisam de agradar, precisam de conforto, precisam de amor e de um agradecimento. Infelizmente não iram ter nada disso, porque ninguém que se faz de tapete é admirado, apenas serve para ser passado por cima e os outros limparem os pés.

Vocês só terão o que pretendem no dia em que deixarem de ser assim e começarem a se respeitar mais. O primeiro amor da vida tem que ser aquele que temos por nós mesmos depois vem o amor dos outros.

Para agradar os outros, vais mudando a tua maneira de ser, vais-te tornando outra pessoa também. Espero que não seja tarde demais quando chegares à conclusão que já não sabes quem és.

Agora toca a deixar a deixar essa serventia desmedida e comecem a tratar da vossa auto-estima e amor próprio

Beijinhos e sejam muito felizes

Sofia

 

Como Lidar com a Dor

Depois do texto Ninguém está livre de Sofrer, achei que era importante e pertinente escrever sobre como lidar com a dor.

Não é tarefa fácil e neste momento que se vêem quem são os valentes que se levantam mais depressa. Mais depressa, até do que a queda em si.

Mas levantar depressa não  significa que não doa ou que não custe o importante é saber até que ponto é que as feridas foram bem curadas, o pó bem sacudido para que não haja quebras durante a viagem ou que se dêem passos para trás quando a viagem já vai no meio.

Alias pegando numa situação minha pessoal de há uns anos atrás, após ter caído no palco no Coliseu num espectáculo de salsa em que os músicos convidavam pessoas do publico a juntarem-se a eles. O vocalisfa chamou-me ao centro (coisa que eu rezava para que não acontecesse pois só queria desaparecer) e disse “Não interessa a forma como cais o importante é a forma como te levantas”

Foi uma lição de vida que uso para tudo.

Nas minhas consultas de Coach noto que a maior parte dos meus pacientes cultiva a dor e mantém-na por mais tempo que necessário. E isso é um mal muito comum:

Evitar:

  • Músicas lamechas que só vão dar depré e ajudar a ficar ainda mais triste. Coloquem uma música animada pois é preciso contrariar a mente que quer sofrer e deixar o corpo apanhar o ritmo
  • Falar a toda a hora do tema que vos faz sofrer. Se não aprenderem nada com o que dizem ou com as pessoas com que conversam, pois só estão numa de necessidade de desabafar, então é melhor não dizer nada, pois vão estar a mexer no assunto a toda a hora. Vão acabar por fartar os vossos amigos e a vossa cabeça vai estar sempre a pensar no tema.
  • Longe da vista, longe do coração. O que os olhos não vêm o coração não sente. Não preciso explicar mais nada certo. Eu recomendo o bloqueio imediato nas redes sociais e acabam por bloquear na mente também.

O que Fazer:

  • Tentem aliviar a mente com meditação. Sentem-se de forma confortável, respirem e Projectem imagens bonitas, as vossas ambições e desejos. Tentem imaginar o vosso estado feliz, ou o que vos  faria feliz naquele momento
  • Procurem dentro do vosso coração motivos para sorrirem.
  • Leiam histórias de superação e inspirem-se
  • Dêem-se um prazo para sofrer (faço isso imensas vezes e ajuda-me imenso
  • Pesem a situação e  vejam se não estão a fazer uma tempestade num copo de água.

Espero ter ajudado e prometo que alguns casos irá ajudar muito a encontrarem paz no vosso coração

Beijinhos e um excelente fim-de-semana

Sofia

Cropped shot of an unrecognizable senior man holding his chest in pain
Cropped shot of an unrecognizable senior man holding his chest in pain

Ninguém Está Livre de Sofrer

Ninguém está livre de ser enganado, manipulado ou traído.

Assim como ninguém está livre de se sentir uma merda quando isso acontece. Ou Perdido, sozinho, assustado, vazio, zangado, humilhado, baralhado e traído.

Ninguém está preparado para estar com alguém que não cumpra os principais valores numa relação (seja ela amorosa, amigável, familiar ou profissional) princípios, respeito, fidelidade, sinceridade, honestidade, cumplicidade, dignidade.

Aprendemos com a vida que devemos valorizar quem nos ama, quem nos apoia, quem nos atrai, quem nos admira, quem trabalha para nós, quem tem o mesmo sangue, quem conhecemos. Se não o fizermos iremos estar a desrespeitar os sentimentos e funções dessa pessoa assim como a desrespeitar quem somos como indivíduos.

Se acham que isto só acontece aos fracos, estão muito enganados. Como disse no inicio, ninguém está livre de sofrer um desgosto, uma desilusão, uma apunhalada pelas costas. Basta alguém confiar ou abrir o seu coração que se torna cego, iludido, crente, apaixonado, vulnerável.

E se acham que sofrer não é para todos, enganam-se, a dor depende muito do nosso estado entrega e do nível da maldade que nos praticaram. Até porque quando há entrega não ha rede de segurança e quando o voo é muito grande a queda é maior ainda.

Espero que pessoas que sofram saibam colocar um fim rápido a essa dor e que em breve estejam já a erguer-se e a recuperar

Escrevo sobre como lidar com a dor daqui a pouco

Beijinhos

Sofia

 

Bons Sonhos e Até Amanhã

Mesmo, mesmo, antes de dormirem escrevam num bloquinho (que guardem junto à cabeceira)

3 agradecimentos relacionados com o dia que passou

3 pedidos para o dia de amanhã.

Podem escrever o que quiserem. O conselho que vos dou é que sejam genuínos e inteligentes nos pedidos.

No meu caso, peço determinação, coragem, alegria, foco, organização, porque são temas que considero importantes para o meu dia-a-dia.

Esses pedidos são as ultimas coisas que faço antes de adormecer e acredito que fiquem bem gravados na minha cabeça até ao dia seguinte.

Uma boa forma de vocês “manipularem” e “controlarem” a vossa mente.

Experimentem e depois digam-me se sentem diferença

Beijinhos e Bons Sonhos

Sofia

Shiuuu…Só Faço Isto Porque te Amo e tu me Provocas

Eles eram felizes e tinha tudo para dar certo.

Um dia ele sentiu ciumes dela e pediu-lhe para trocar de roupa. Disse-lhe que estava demasiado provocante para ir à rua.

Mesmo contrariada ela obedeceu sentido a insegurança dele como uma prova de amor. Estranhou tal pedido, pois nunca o havia feito antes, mas não lhe fez perguntas.

Dias depois, de forma mais agressiva e impaciente ele voltou a dizer-lhe para mudar de roupa, mas desta vez ele não pediu, ele ordenou.

Em tom de ameaça proibi-a de se vestir como costumava. Libertou um ódio que ela desconhecia existir dentro dele. Perguntou-lhe que homens ela via e se gostava de os provocar. Se eles se metiam com ela e se ela dava conversa. O tom foi piorando e as perguntas eram pesadas e injustas. Apesar das respostas sinceras, ele provocava-a com a contradições. Não havia nada que ela dissesse que ele via coisa de forma contrária.

Foram para a cama e fizeram amor, mas ela não queria, estava baralhada e magoada, mas ele disse-lhe que era uma prova de amor. “Preocupo-me porque te amo e não te quero perder”.

Na manhã seguinte ele pediu para ver o seu telefone e ler as mensagens, ela deu-lhe. Desconhecia aquela pessoa “quem era aquele homem”. Foi trabalhar triste, assustada e com medo. Naquele dia passou-o sozinha apesar dos convites dos colegas para tomar café, almoçarem. Não queria estar com ninguém porque os recentes episódios não lhe saiam da cabeça.

Seu marido ligou-lhe milhares de vezes durante aquele dia e envio outras mil mensagens. Disse-lhe para ela ir para casa depois do trabalho. Sinceramente ela nem tinha forças nem vontade para ir ao ginásio.

Foi assustada e sem saber para o que ia. Ele mal lhe falou e era agressivo no olhar e nas respostas.

O silencio era horrível naquela casa, mas mesmo assim ela tentava ser carinhosa com ele e perguntava-se “O que será que fiz de errado para ele estar assim?”

No dia seguinte durante o jantar ela recebeu uma mensagem de uma amiga a perguntar se queria ir jantar com ela.  Ele arrancou-lhe o telefone da mão e respondeu por ela “Não posso”. Ela estava incrédula e perguntou-lhe “porque fizeste isso?” ao que ele respondeu “não quero te voltes a dar com essa mulher, é uma péssima influência para ti. Deve ser por causa dela que te andas a fazer a homens a pareces uma puta pela forma que te vestes!”

A discussão começou, entre berros, ameaças, mentiras, contradições, pedidos de desculpas.

Ela tentava justificar-se, explicar-lhe, mostrar-lhe a verdade, mas ele estava cego, obcecado. Ela chorava e implorava-lhe para parar, mas ele estava possuído. Entre choros descontrolados, ela ajoelhou-se, agarrou-lhe na perna e disse “eu só te amo a ti” e ele levantou a mão com toda a força e deu-lhe uma estalada na cara “Cala-te, se me amasses não me farias sentir assim, não me humilhavas, nem me enganavas”. Ela ficou estendida com as marcas dos seus dedos tão perdida e sem chão.

Chorou até de manhã e acordou com a cara tão pisada como o seu ego. Não foi trabalhar nesse dia, nem nos que se seguiram. Alias nem saiu de casa. Sua rotina passou a ser chorar, ter medo, isolar-se e tentar perceber o que se passava na sua vida e que homem era aquele.

A relação era vivida nos extremos entre o odeio-te e o te amo como nunca amei ninguém. Entre as noites de amor depois de múltiplos safanões, murros e estaladas. Ela já não sabia quem era, o que sentia, o que era verdade ou um pesadelo. Culpava-se por tudo e pedia desculpa constantemente por coisas que nem tinham acontecido.

Queria fugir, mas para onde? Estava sem trabalhar e nem tinha dinheiro para tal. Tinha vergonha de contar e ninguém acreditar, ou saberia lá ela o que contar, até porque ele lhe batia porque ela o provocava, apenas pelo simples facto de estar viva, ali, com ele.

Pensou mil vezes ir à policia mas contar o quê? e depois voltava para casa, para ele com uma denuncia feita, uma ameaça, um processo aberto e uma humilhação pública.

Ele continuava a dizer que a amava e fazia tudo por amor e que ele queria mudar e queria acreditar que ele iria mudar…perguntava-se baixinha, escondida na casa-de-banho para ele não a encontrar “Ele vai mudar não vai?!”

Mas ela mudou. Para ela, para a vida, para da família, para os amigos. Já não era a mesma pessoa, já não sorria e o brilho dos olhos se tinham transformado em nódoas negras, em berros, em desespero, em medo constante e uma ansiedade angustiante.

Ela quis acreditar que tudo podia ser diferente, que tudo iria voltar a ser como dantes. Mas afinal quando começou tudo isto?! Quem eram eles? o que tinha sido sonho ou realidade?

Infelizmente esta é a realidade de milhares de mulheres que um dia apaixonadas e ao engano, começaram uma vida de inferno junto do homem que escolheram ser felizes para sempre.

Se estiverem numa relação assim, saiam, fujam peçam ajuda, sejam inteligentes na forma como lidam com a situação e protejam-se. O problema é que com a vulnerabilidade e baixa auto-estima a vitima não consegue pensar nem ser manipuladora da situação, apenas e vitima. O desconhecido, o medo de viver sem esta pessoa é tão grande, que nem conseguem ver a luz ao fundo do túnel. Estão completamente presas na teia, até ao fim, até que a morte muitas vezes os separe.

Beijinhos e muita força

Sofia

PS. Esta história não é minha. Apesar de ter vivido relações doentes e desequilibradas no meu passado, ficaram-se apenas pela dor das palavras, pelas ameaças, pelo medo constante, pela inseguranças, pelo desespero, pânico e tentas mais coisas.

Apenas 1 pessoa foi fisicamente violenta comigo e foi apenas 1 vez. Uma história que um dia talvez conte. Mas hoje conto milhares de histórias que se podem estar a passar neste momento com a vossa vizinha da frente, com a colega de secretária, amiga intima, filha etc. Estejam atentos para apoiar quem precisa e atenção aos conselhos, ao pensarem que estão a ajudar, podem estar colocar a vitima numa situação muito pior. Até porque a justiça não consegue actuar facilmente nestes casos, sem provas, sem testemunhas…a vitima volta para casa com o agressor, até quem sabe para ter o seu ultimo dia de vida.

Woman being kidnapped and abused
Woman being kidnapped and abused

 

Para Quem Espera pelo Amor

Ontem li uma publicação muito interessante que cada vez faz mais sentido para mim.

“One of the most loving things you can ever do for your future partner is to work on your self untill you meet them”.

O engraçado de ler isto é porque é uma das coisas que ando a fazer são umas pequenas mudanças em mim, para me preparar quando conhecer alguém muito especial.

Pessoas que passam muitos anos solteiras e a viver a independência ao limite torna-se muito desafiante deixar entrar alguém na sua vida. Há umas certas cedências para o qual, nem toda a gente está preparada e é necessário aceitar. Como diz o ditado são precisos 2 para dançar o tango”. Relações mancas, em que apenas 1 está envolvido, não funcionam muito bem ou acabam sempre em ruptura.

No meu caso, decidi fazer um ajustes nas minhas rotinas e se pensam que estou a mudar a minha maneira de ser por causa de alguém que ainda não conheci, não é disso que se tratar.

Chama-se, ao que estou a fazer, amadurecimento do meu carácter e melhorias na minha personalidade. Não vou deixar de ser quem sou, ou mudar os meus valores e princípios nem muito menos a minha maneira de ser, mas há coisas que entendo que não são apelativas e que de certa forma acabo por enviar os sinais errados e atrair as pessoas erradas.

A maior decisão que tomei é não deixar que a beleza impere no momento da sedução. Muitas pessoas se perdem por essa falha e esquecessem-se que a beleza envolve a personalidade, a inteligência, a postura, a educação, entre milhares de coisas.

Pensem nisto e acreditem que se vocês estiverem bem convosco mesmo, vão atrair mais facilmente alguém que esteja ao vosso nível.

Beijinhos e Boas Festas

Sofia