icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Olha a Simpatia!!!

Há uma coisa que me irrita complemente. Lá porque acham que tenho, ou quem tem, uma exposição pública que podemos e devemos ouvir todas as verdades, a coisa não é bem assim.

A exposição pública trás e permite a partilha de opiniões que podem ser feitas através de observações pertinentes,  criticas construtivas, alternativas e soluções.

Ninguém é saco de pancada das frustrações dos outros. Há milhares de maneiras de se fazer uma observação e o caminho de deitar a baixo é de longe ser a solução.

Gostos não se discutem e devemos respeitar os outros. Não gosta não come…não gosta não segue!

Quando penso nas criticas que me fazem e dos 2 ataques que recentemente fui alvo (1 deles por mensagens do snapchat), imagino sempre que impacto teria, numa pessoa emocionalmente instável, ou insegura?!

Pergunto-me, mas quem se acha no direito de deitar ou destruir o ego de outra pessoa?! Uns cobardes que se escondem atrás de um computador ou de um telefone?! Como é que é possível ter tal pertinência. Isso deixa-me louca, porque nunca fui assim e nunca serei e espero não ter nenhum amigo que o seja.

Dei aulas de consultoria de Imagem e sempre disse às minhas alunas. Nunca se diz a um cliente que não se gosta do que ele usa, do estilo, etc….vocês dão soluções….”em vez de usar isso,  experimente isto”. Vocês não são ninguém para fazer determinadas avaliações e julgamentos. Ninguem vos passou certificados de bom gosto absoluto, apenas são profissionais que têm as ferramentas para tornarem os outros mais elegantes, atraentes, confiantes, etc mediantes as necessidades.

No caso da foto em cima, enviada via mensagem privada do snapchat, 1 de algumas, que educadaemente sempre respondi, mesmo quando me chamou de velha, vulgar, etc. Pergunto-me qual a necessidade de um ser humano dizer isso a outro que não conhece e a quem não lhe pediu a opinião sobre coisa alguma?!

Há uma linha que separa a falta de educação e respeito da sinceridade.

Escrevo mais uma vez sobre este assunto para sensibilizar as pessoas a terem mais cuidado com a forma com que escrevem, respondem, comentam. Nunca se sabe o estado emocional de quem está do outro lado, podem traumatizar uma pessoa sem necessidade alguma, ou leva-la a actos mais graves.

Eu por exemplo tenho seguidoras que só comentam quando não gostam…nunca lhes li algo de simpático sobre mim, mas vivo bem com isso sou educada, até sentir que me pisam os calos, também não vou deixar que batam no ceguinho até porque não devo nada a ninguem e só me segue quem quer e eu não tenho que aturar determinadas faltas de educação. Como disse no inicio, não sou saco de pancada de ninguém…têm problemas eu também tive e fui resolve-los.

Beijinhos e cuidado com o excesso de sinceridade

Sofia

Os idosos e o Continente

Custa-me muita fazer isto que  vou fazer agora, mas custou-me mais ainda, hoje assistir a uma cena lamentável numa grande superfície com uma senhora de idade/ casal de idade.

Para mim ser blogger , ou ser considerada uma opinion maker não é andar a dizer quem anda bem ou mal vestido, ou deitar a baixo outras pessoas, mas sim usar a minha “voz” para melhorar o sistema e a sociedade. Considero-me uma pessoa com bons e valiosos valores e sinto uma necessidade enorme em viver numa sociedade em que volte a existir respeito, solidariedade, carinho, orgulho, persistência, educação, etc. pelo próximo.

Hoje fui fazer compras ao Continente do Oeiras Parque. Ao deslocar-me para as caixas reparei num novo sistema de pagamento, versão Primark. Uma fila única e quando chega a nossa vez somos chamados para um número de uma caixa. Até aqui tudo perfeito e justo, só teria corrido melhor se houvessem caixas abertas, caso contrário 2 caixas não suportam 1 supermercado inteiro a querer pagar às 14h00.

Mas felizmente uma Cliente decidiu reclamar e o óbvio foi feito, novas caixas abriram e a longa fila foi bastante rápida a ser atendida.

Chegou a minha vez e desloquei-me para a caixa que me chamara, que correspondia mesmo ao final da fila de espera. Sou uma mulher super atenta a tudo o que se passa à minha volta e tenho um bocadinho a mania de me meter onde não sou chamada, principalmente se for para ajudar o próximo.

Assim foi, uma senhora de muita idade, com dificuldade de locomoção pediu à ultima senhora da fila, se lhe podia passar à frente. E ela deixou, mas perguntou-lhe porquê não vai para a caixa dos prioritários? Assim não tem que pedir a toda a gente para passar na frente e é atendida de imediato. Ao mesmo tempo passava um funcionário novinho e eu disse-lhe “por favor pode levar esta senhora até à caixa dos prioritários?! e o rapaz começou a explicar à senhora, que mal ouvia, o número da caixa e onde ficava, bla, bla. Eu insistia…”mas não a pode levar?”

O rapaz sem paciência ou jeito pediu à chefe para o ajudar. A chefe explicou-nos (sem olhar nunca para mim, nem me responder às minhas questões) que a senhora não tinha perfil para “prioritário”, era necessário estar grávida, que não estava; ter uma criança ao colo, que não tinha; ou ter alguma deficiência. Eu expliquei que a senhora andava com dificuldade e se era necessário um atestado médico para entender que era prioritário?! que era ridículo estava nova avaliação de prioritário?!

Quando se viu uma pessoa de idade não ter prioridade?! Os idosos também deixam de ter esse privilégio nos transportes públicos? Na vida, no respeito que devemos ter por eles?! Irrita-me solenemente este abandono que a sociedade faz pelas pessoas mais velhas, é de uma ingratidão absoluta. Esquecemos de onde vimos. É uma quebra com o passado e quem plantou a semente, quem trabalho pelo nosso conforto. Parece um género de castigo…”agora vais sofrer sozinho por todos os erros que cometeste!!”. Queres ajuda? safa-te, faz-te à vida!!”.

Sempre me ensinaram a ter respeito pelos mais velhos, os nossos avós, pais, amigos, vizinhos, cidadãos. Em inúmeras sociedades os mais velhos são vistos como Mestres, Curandeiros, Conselheiros, Deuses, Reis!! Noutras tentam ser incluídos em trabalho comunitário, em funções mais leves. Só aqui em Portugal, há um abandono completo por essa faixa etária. É triste, muito triste.

Com esta cena toda, até me apeteceu chorar. A senhora era tão doce e como ela e o seu marido (que estava junto, mas de uma forma muito silenciosa, como se fosse uma pessoa ausente), outros devem enfrentar diariamente inúmeras dificuldades.

No meio desta confusão, eu e o senhor da caixa ao lado oferecemos para que nos passasse à frente, sem ter que andar a pedir a todas as pessoas da fila para o fazerem, já que o Continente não consegue distinguir quais dos seus Clientes têm prioridade.

Fartei-me de fazer perguntas à dita chefe que nunca olhou para mim, ou respondeu-me ao que fosse. Ignorou-me por completo o que me deixou mais louca ainda.

Tirei uma foto ao casal de costas, de forma a que não fossem reconhecidos, mas queria que vocês vissem bem que eu não estava a exagerar. Lamento muito te-lo feito e sabem que não tenho por habito andar a publicar fotos de pessoas sem lhes pedir autorização, mas neste caso seria impossível explicar-lhes o uso da foto e na realidade é na tentativa de melhorar um sistema que está

Deixo-vos aqui um texto para pensarem e até reverem as vossas acções em relação aos mais velhos!

Beijinhos

Sofia

 

 

 

Estou apaixonada pelo Américo!!

É verdade confirmo publicamente que estou apaixonada pelo Américo e por tudo o que ele faz.

Américo é um cãozinho, resgatado pela União Zoófila e adoptado, uns tempos mais tarde pela sua madrinha que não imaginava a sua vida sem ele.

O Américo passou a ter uma vida boa e feliz. Fazia parte uma família, tinha um emprego (ia para o trabalho com a sua dona). Todos o elogiavam, era livre e feliz.

Mas lá no fundo Américo guardava as saudades dos seus cãopanheiros de luta e de sobrevivência. Sabia que tinha deixado para trás os seus fieis amigos e que nem todos teriam a mesma sorte que ele. Alguns nunca irão ser escolhidos por uma família. Outros vão mesmo chegar a passar fome, frio, medo, abandono, ausência de carinho e de confiança.

A consciência de Américo não vivia em paz, sentia que tinha que fazer algo e decidiu Cãodidatar-se à presidência e fazer uma Cãopanha para ajudar os seus amigos!!!

“Foi preciso ter Lata!!” mas com a ajuda certa, Américo começou a espalhar magia pelas redes sociais, pelos media, tv e junto das figuras Publicas. Américo com muita graça e usando todo o seu charme foi espalhando a sua magia pelas redes sociais, tv, rádio, etc.

O que o Américo promete é que ao ajudarmos vamos fazer muitos cães felizes. Ate 30 de Junho pede-se que doem 3€ por animal para se tentar ajudar mais de 600 cães e gatos (sim o Américo não esqueceu os gatinhos). Podem saber tudo em baixo no link e acãopanhar as novidades do Américo na sua página de facebook.

http://ppl.com.pt/pt/causas/americo-caodidato

https://www.facebook.com/caodidato?fref=ts

Beijinhos e lambidelas para todos

Sofia e Américo

Less Than Nothing

Hoje fizeram me sentir nada, alias menos que nada. Uma pessoa por quem tenho o maior carinho, orgulho, amizade, uma pessoa que desejo

o melhor, que estou sempre disponível para o ver bem, para o mimar, dar o mais verdadeiro de mim, nem me respondeu a um simples convite que lhe fiz.

Faz-me pensar e repensar na minha postura em relação às pessoas. Mas hoje inverti o raciocínio e continuo a achar que o mal é meu, que permito que me deixem e que me tratem assim. Na realidade não são os outros que não me valorizam, mas sou euzinha que não o faço. Se a balança numa relação, seja ela qual for….a relação, tomba mais para um lado, é porque não é uma relação equilibrada, será sempre uma relação em que alguém vai ficar em baixo enquanto o outro vive feliz em cima.

Só espero que esta visão diagonal da balança, não seja como o Balancê/ sobre e desce/ gangorra ou como queiram chamar no Parque infantil, quando o que está por baixo sai, o que está em cima acaba por cair. Calma não digo isto com maldade ou qualquer tipo de vingança, apenas porque muitas vezes damos os outros por garantidos e não damos valor ao que temos, até sentir que eles já não fazem parte de nada e acabamos por cair porque não temos sustento.

Após ter passado o meu serão a chorar e a ver filmes de amor que me fizeram sentir ainda mais infeliz com a minha realidade que finalmente parei e mudei de canal. Na vida real claro que não é assim tão fácil, porque podemos mudar de canal e até desligar a televisão, mas continuamos a pensar no filme, na história, nos actores e da forma como o filme é fantástico, mas sabemos lá no fundo que não nos vai fazer bem ou acrescentar nada na nossa vida.

Um dia alguém muito sensato, escreveu “never love anybody that treats you like your’re ordinary” eu acrescento “never love anybody that treats and makes you fell like your’re ordinary”. E assim tento terminar o meu dia, tentando sentir-me um bocadinho melhor comigo mesma e convencendo-me que chegou o momento de me dar valor e por muito que doa a ausência o recomeçar, lá terei que largar tudo e voltar a encontrar-me e acreditar que há algo melhor para mim e que não posso aceitar esmolas quando eu dou a minha fortuna.

Beijinhos

Sofia

 

 

 

 

 

 

Basta que me Batas uma Vez

Para participar nesta ação bastará seguir estes passos: – tirar uma selfie e fazer upload da foto na página de Instagram – identificar (junto dos lábios) @APAV_apoio_a_vitima – adicionar a legenda: Basta que me batas uma vez. #25novembro – partilhar e convidar todos os contactos a participar.
Para participar nesta ação bastará seguir estes passos: – tirar uma selfie e fazer upload da foto na página de Instagram – identificar (junto dos lábios) @APAV_apoio_a_vitima – adicionar a legenda: Basta que me batas uma vez. #25novembro – partilhar e convidar todos os contactos a participar.

Estou aqui a lamentar-me de merdecas que me aconteceram e hoje é o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

Ao ler, ontem a reportagem do Jornal I sobre a quantidade de mulheres assassinadas por violência doméstica, desde o inicio de 2014 é chocante. A quantidade de mulheres que diariamente pedem ajuda, fazem queixa, vivem aterrorizadas com medo da violência verbal, física, emocional dos seus marido, namorados, acompanhantes, pais, irmãos, etc, vivem com medo de um homem, neste país é chocante.

Para quem nunca sentiu o peso de uma mão, de um berro, de uma humilhação, nunca irá entender o que isto é. O que é viver em pânico, numa agonia constante por tudo e principalmente pelo que não se fez. Por muito que se tente representar algo perfeito, por fazer tudo certo, por não dizer nada, não falar e às vezes nem respirar para não acordar a “besta”, nada será o suficiente para manter o monstro sossegado.

Quantas mulheres não conseguem olhar-se no espelho, porque não aguentam ver reflectido as manchas da violência, as feridas abertas, os gritos na boca, o medo nos olhos, as lágrimas de sangue, o sorriso inexistente transformado em dor.

Infelizmente, apesar da vitima sentir-se culpada por tudo, a insegurança, a falta de auto-estima, as perturbações, o medo, a agressividade natural, abuso de álcool, drogas, do agressor é a principal fonte de tudo.

Por favor, não deixem que vos façam mal, peçam ajuda, fujam e não olhem para trás. Falem com quem entende, com quem vos possa proteger – APAV – Não escondam essa realidade, não tenham vergonha, não tenham medo.

E para quem começa uma relação nova, tenham atenção aos sinais, vejam se existe um lado agressivo do vosso companheiro, um deitar a baixo natural, uma desconfiança que logo logo deixa de ser amorosa e passar a ser demasiada, sem motivo algum. Os sinais estão todos lá.

O 1º encontrão, o 1º estalo, o 1º murro será sempre o 1º de muitos intermináveis momentos de angustia, de tortura e provavelmente o principio de um final muito infeliz.

Ninguém merece este destino, ninguém merece viver esta vida. Como disse e volto a dizer corram e não olhem para trás, o que quer que seja o vosso futuro será, sempre melhor do que viver com uma pessoa assim.

Beijinhos e estou aqui para quem precisar

Sofia

 

Presentes Animalife

A mim não me falta nada, graças a Deus!

Todos os anos no meu aniversário converto os meus presentes, em bens para os outros. Nos últimos 2 anos ajudei a Cat de Tercena. Um centro de acolhimento temporário, que recebe crianças e jovens que estão para adopção ou que os pais não têm como ficar com eles.

Felizmente tenho um bocadinho de tudo e em algumas coisas até tenho um bocadinho a mais. Por isso nos meus anos, como sabia que a casa ia estar cheia, pedi que os meus presentes, convertessem para os Animais.

Havia uma lista de produtos que poderiam ser entregues na festa e eu faria chegar à Animalife, uma associação sem fins-lucrativos que ajuda familias carenciadas a terem forma de manter os seus animais. Distribui também pelas associações com mais dificuldade parte desses donativos.

Como podem ver é uma forma de fazer tanto os animais como as pessoas felizes. Para quem tem um cão, um gato ou o que for, a ajuda e companhia deles é essencial nos momentos mais difíceis e apertados.

Obrigada a todos que levaram um bocadinho e com muito amor e carinho e aos que fizeram transferências directamente para a conta.

Quem quiser saber mais e acompanhar esta causa, deixo-vos o link http://www.animalife.pt/associados/

 

Beijinhos muito grandes e ajudem e protejam os animais

Sofia

 

Ajudar a Genny e a Gui

Hoje ao passar pelo facebook deparei-me com a história angustiante de um casal Português que foi tentar uma vida melhor para o Dubai e filha deles, a Gui nasceu apenas com 25 semanas saibam mais aqui

Já me tinha pedido ajuda, mas com a falta de tempo e o já leio….fui atirando para trás esta minha publicação.

A Gui luta pela vida e apesar dos seus sucessos, no aumento de penso, continua a estar em perigo de vida, para além de tudo os gatos hospitalares são gigantes, cerca de 1000€ por dia, o que podem ver é uma questão complicada de um casal comum manter.

A história tem rodado o mundo e inclusive Cristiano Ronaldo já partilhou o pedido de ajuda.

Agora fica o meu. Irei fazer o meu donativo dentro em breve.

Infelizmente a vida quis que eu não tivesse filhos, mesmo tendo sido um sonho desde nova. Ao ter que viver com a dor de não os ter, acabei por me afastar emocionalmente da ideia de ser mãe e partilho esse meu lado maternal com os meus animais e com eventualmente os meus namorados (inexistentes lol). Mas acabo por não me envolver com temas mais “infantis”, não toco muito em crianças, nunca pego nos filhos dos meus amigos e sou sempre a tia das brincadeiras loucas e das histórias “Nonsence”, mas que vai-se embora até um dia.

Colocando de parte este meu pequeno egoísmo, feito para a minha protecção pessoal, peço a atenção e ajuda para este caso que podia acontecer a qualquer pessoa e ninguém se livra de uma história dessas.

Beijinhos e a toda a familia que corra tudo muito bem

Sofia

 

 

Weekly Top Fans

Acabei de instalar uma aplicação no Diário de um Batom em que me dá uma estatística, semanal das minhas seguidoras mais activas na página do facebook. Não se assustem porque não há nada de mal, nem vou controlar ninguém, mas pensei em premiar seguidora ou seguir mais activo.

Já contactei algumas marcas que estão a fim de entrar e o procedimento vai ser o seguinte. No inicio da semana indico o prémio, fazem like na pagina da marca e 1 semana depois quando o relatório estiver online, a vencedora…ou vencedor ganhará aquele produto. E voltamos a tentar na semana seguinte.

Alinham?

Isto é tudo um processo mecânico, por isso eu não controlo as vencedoras, por isso não quero guerras, discussões, motins, ameaças….é uma brincadeira e uma forma de dar presentes.

Alinham?

Beijinhos e Boa Sorte

Sofia

 

Lost

Ninguém gosta de andar perdido e eu não sou excepção, mas admito que graças a isso conheço inúmeros caminhos e alternativas graças a todas as vezes que me perdi por Lisboa e arredores.

Não é à toa que todos os caminhos vão dar a Roma, é porque vão mesmo. E mesmo que não encontrem um caminho alternativo, antes de entrarem em pânico voltem para trás. Ou encostem, ou telefonem para alguém calmo, com bom sentido de orientação que vos posso guiar. Mas o importante é manterem a calma e a cabeça fria, porque senão os ouvidos não ouvem e os olhos não vêem.

Eu tenho a sorte de ter um GPS dentro de mim e tenho muito bom sentido de orientação (mas por exemplo, não me oriento com o google maps….nem tudo é perfeito) e memória visual. Consigo lembrar de caminhos que fiz há anos, inclusive no estrangeiro. Mesmo quando não sei o nome da rua, através de pontos de referência chego lá.

Quando me ensaiam um caminho novo, consigo completamente fazer a trajectória na minha cabeça. Normalmente aponto os pontos principais apenas para ter como referência.

Mas calma, perco-me várias vezes, porque tenho uma coisa contra mim “insegurança” que agrava, caso tenha alguém no pendura. Sinto que estou no exame novamente e que me vão reprovar, então é mais do que normal que me perca ou fique menos confiança….e sempre na dúvida até a ir para casa lol.

Mas escrevo isto hoje, porque à hora do almoço perdi-me…em Benfica e dei por mim estava no ZOO, e ao lado das Twins Towers….e nem sabia que isto tudo era mesmo ao lado. Como estou habituada a fazer sempre o mesmo caminho, nunca explorei outros e hoje descobri que é muito mais perto de minha casa e de tudo o resto.

Para quem é de Lisboa e da zona vai achar este texto parvo, mas quem não é talvez me entenda :P.

Perder de carro pode trazer muitas vantagens no futuro. Hoje já ganhei o dia! A minha mensagem de hoje é arrisquem, sem o fazerem dificilmente irão evoluir, crescer e sentir o sabor da vitória

Beijinhos

Sofia