icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Provavelmente a 1ª e última aula de Pole Dance

Ontem fui fazer a minha 1ª aula de pole dance. Após a experiência da semana passada decidi ter aulas particulares.

(eu não vou falar em nomes, empresas, marcas, apenas vou contar o que se passou para que eventualmente um professor de qualquer área ler este texto evitar fazer isto a um aluno e tentar entender ao ponto que alguém pode ficar frustrado e magoado com as vossas acções)

Pedi para levar uma amiga para eventualmente virmos a ter aulas juntas. A minha amiga é linda e uma excelente bailarina. Não seria novidade para mim que o grau dela seria muitoooooo superior ao meu, mas também não iria sentir-me menos por isso….achava eu.

Entrámos no espaço e reparámos que ainda estavam meninas no varão da aula anterior com a prof, que praticamente não nos passou cartão. Ficámos num canto a trocar de roupa e à espera de algum sinal para começar a minha aula particular. Olhou finalmente para nós e disse…olha não sabes aquecer? faz ai o aquecimento para as 2…e a minha amiga com cara de surpresa lá nos fez o aquecimento perguntando que género de aquecimento, para que zonas…enfim a tentar ser profissional….a minha convidada!

Lá começámos a aula com 2 das alunas presentes que iam partilhando o espaço, dando opiniões, corrigindo, etc. Nem sabíamos quem elas eram, nem elas nós. Mas a coisa começou, foi divertido íamos fazendo umas poses, umas acrobacias até que o grau começou a aumentar e eu rapidamente comecei a notar que não tinha força, nem ginástica, nem corpo para acompanhar e fui ficando parada à espera que voltássemos ao meu nível, ou que me dessem uns  exercícios para fazer ou que me corrigissem…… Fiquei de lado, agarrada a um varão à espera enquanto todas davam passos e poses e acrobacias para a minha amiga fazer. Ninguém olhou mais para mim e estive uns 10 min assim…até que comecei a encher a passar-me já muita coisa pela cabeça e a tentar controlar a minha raiva e frustração. Acabei por me sentar e a pensar em formas para não ser malcriada, para não sair a correr para controlar a raiva.

Uns 15 minutos depois a minha amiga olhou-me envergonhada porque estava a sentir-se mal com tudo aquilo e disse-me “não vens fazer Sofs?!” Ui….não deu para aguentar…juro que tentei. Entre uma voz  a tremer de vontade  de chorar de raiva da fúria da frustração que estava a sentir no momento. E disse “fazer?! ninguém se dignou a olhar para mim, sou completamente invisível”. A prof disse “pensei que estivesses a descansar!” UIIIIII que ia morrendo ou matando alguém. Comecei a desbobinar e começou a tudo a desculpar-se a dizer que não tinham reparado que eu não estava a fazer os pinos, as cambalhotas e a girar de cabeça para baixo….como se mesmo que isso acontecesse fosse normal que ninguém me corrigisse….bem para não criar um desconforto entre mim e a minha amiga, que adoro de paixão e que não teve culpa alguma da falta de profissionalismo lá aceitei fazer a coreografia final que todas frisaram ser para o meu nível inicial (como se eu fosse uma anormal e não tivesse 11 anos de dança em cima). Deram-me a escolher o varão o do meio para ver melhor e fizeram-me desde então uma bajulação que me causou mais vómitos que os meus problemas do ouvido interno. Era “Sofia que bem, estás a fazer direitinho, vês tu tens imenso jeito, tu danças muito bem”. Juro que não sei como não aguentei até ao final.

A minha vontade era fugir dali e não via a hora de sair, gritar, espernear e resolver a situação com a minha amiga que estava atrapalhada com tudo e não teve culpa alguma.

Agora não sei se volto porque para além de toda a azia, a técnica, o método de ensino, a falta de gestão, organização e a segurança foi completamente posta em causa.

O pior de tudo é que este episódio fez-me lembrar porquê desisti do ballet em pequena. A minha professora (hoje em dia uma actriz que todos adoram….menos eu) fazia isso…colocava de parte as aulas iniciadas e com menos jeito para se dedicar às aulas preferidas. Com isso as outras meninas que queriam igualmente dançar e fazer coisas bonitas como as outras, ficavam de lado como se estivessem de castigo por não serem boas, a sentirem-se feias e infelizes.

As pessoas até podem ser tratadas de formas diferentes consoante o seu nível, mas ninguém deve ser colocado de parte porque faz pior ou tem mais dificuldades. Isso pode causar desconforto, frustração e atingir de uma forma gigante a sua auto-estima. Para se ser um bom professor tem que se saber respeitar as necessidades e os graus de aprendizagem

Hoje acordei de rastos a sentir-me tudo o que já senti no passado e tenho estado mentalmente a pensar para mim: és fantástica para as tuas capacidades e para o teu nível não te deixes sentir menos por isso, não vás desistir mesmo que não consigas fazer o pino, a roda, etc.

Beijinhos e protejam-se do que vos tentam destruir e rebaixar, ninguém tem esse direito.

Sofia

PS. A foto tirei da net, nem sei que é a menina, mas achei linda

Sexy pole dancer leg up, grey empty space
Sexy pole dancer leg up, grey empty space