icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

O Que Mudou em Mim?

Tenho várias pessoas a perguntarem-me o que mudou nas minhas fotos publicadas nas últimas semanas.

Que para além do novo “enquadramento”, os looks fotografados no exterior, algo mais ligado à moda que a uma foto comercial, notavam uma beleza diferente em mim.

Desde então tenho andado a pensar o que poderá ter mudado para eu estar mais “bonita”, porque na realidade tudo está igual.

Então depois de muito pensar concordo que estou diferente e que há uma paz boa dentro de mim. Como se tivesse chegado a um acordo comigo mesma. Os problemas não diminuíram, a vida não mudou, não encontrei o amor da minha vida, não deixei de me desiludir com pessoas, nem de ter os meus dissabores, mas na realidade não quero saber.

Foco-me nas coisas boas e vou passando por cima das más ou simplesmente não penso nelas.

Matei o cliché do “vamos esperar por dias melhores” porque na realidade nunca se sabe quando as coisas vão mudar, e se há coisa que aprendi nestes intensos anos da minha vida é que a esperar não se chega a lado algum, é preciso ir ao encontro do que se quer, lutar, trabalhar, cultivar, plantar, regar, colher e eu tenho feito tudo isso e muito mais, mas ao mesmo tempo comecei a entrar em paranóia porque as coisas não estavam a acontecer como queria e comecei a sentir-me frustrada, cansada, a comparar-me com outras pessoas a sentir-me pequena e sozinha.

Então PAREI de me preocupar e comecei a VIVER.

E tenho vivido comigo e para mim, tal qual o conceito Budista, acabei por me tornar mais prestável, disponível e com mais vontade de ajudar os outros (pessoas e os animais) sem pedir nada em troca, apenas a dar o que mais precisam….de Amor, companhia, compreensão, uma mão amiga e um carinho.

Convenhamos eu tenho imenso amor para dar. Fui uma mulher que nasceu para amar e ser amada e até hoje isso não aconteceu da melhor forma, nem através de amores, nem de filhos, mas lá vou tendo os meus meninos de 4 patas mas sinto sempre que falta algo. Mas não ando a pensar nisso, fechei o tema e estou feliz sem ninguém, sem dramas, sem confusões, limpa de preocupações se ele tem outra, ou se estou bem ou se somos felizes. Não há não há! SIGA!!

Aprendi a estar sozinha e adoro. Fecho os olhos e vejo-me a viajar sozinha a ter experiências incríveis e a guardar histórias que um dia farão parte do meu livro da Vida.

Quero libertar-me de tudo o que me prende a um passado que já não me diz mais nada. Que não sinto ligação e que nem me faz bem. Estou desejosa de deitar fora, dar a quem precisa e seguir em frente.

Estou prontíssima para mudanças e aventuras e quero tudo da vida e não estou disposta a dizer que não a essas oportunidades que vão surgindo. O medo condicionou-me parte da vida e não quero mais que ele me castre que me faça recuar nos meus projectos.

Não vou permitir que me façam sofrer e sinceramente evito perder o meu tempo com quem acho que não me acrescentar nada nem eu a essa pessoa. Ficar livre e disponível para o que me apetecer fazer.

Já agora esta semana decidi treinar todos os dias e voltei a sentir o sangue a correr o corpo a mexer e com isso iluminou a minha aura, a minha mente, sinto uma força dentro de mim que não sentia há muito tempo, uma boa disposição contagiante, muito mais focada, determinada e feliz.

Pronto fica um resume daquilo que sinto que não consegue sequer aproximar-se do que é a realidade.

Espero que vocês consigo encontrar essa paz e que sejam muito felizes

Sofia