icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Liberdade

Hoje é o dia que se celebra a Liberdade em Portugal.

Mas será que essa Liberdade é celebrada por todos?

Hoje dei por mim a pensar na minha Liberdade, não de uma forma politica, mas de uma forma pessoal.

A Liberdade que tenho em poder fazer as minhas escolhas, a liberdade que tenho em estar onde me apetece, com quem me apetece à hora em que me apetece, de dizer e escrever o que me passa na alma, de vestir e ser quem estava destinada a ser.

Sei que parece cliché, mas será que é assim para todos?!

Vi-me a fazer o que mais gosto e com quem mais gosto. Senti a liberdade a passar pelos meus cabelos, senti a liberdade no meu sorriso, senti a liberdade no sol que me picava no corpo. Senti a liberdade a olhar para os campos e para as vinhas, a ouvir o cucu e as rãs no lago. A liberdade de ver a blush a brincar na relva. A liberdade de ter fugido, de ter ficado e ter voltado para casa.

Fala-se de uma liberdade conquistada há 42 anos atrás, mas será que essa liberdade chega para todos? Quantas pessoas continuam a não ter a liberdade que merecem, a não conseguir dizer o que sentem, a viver as suas vidas pelo que sonharam?

Enquanto uns celebram o 25 de Abril, outros continuam escondidos, calados, no escuro, no medo, na agressividade, no pânico de celebrar o mais importante que é a vida, o sonho, a felicidade e a suas liberdades como seres humanos. Durante os 366 dias do ano.

A liberdade devia ser igual para todos e devia a cima de tudo ser reeducada. A liberdade trouxe coisas muito boas, mas também trouxe coisas muito más.

Perderam-se valores e a educação. Misturam-se conceitos e a liberdade de expressão passou a ser para alguns ataques de bullings que destroem auto-estimas e opiniões.

Perdeu-se a critica construtiva para dar lugar à destruição e a obrigação de mudar por quem nos julga.

O controle da vida alheia, a manipulação de gostos e de sentimentos e principalmente a liberdade de se ser sincero sem ter que magoar os outros ou ter que mentir porque é o mais fácil.

É muito bonito e fácil falar da palavra Liberdade, mas será que é tão fácil assim usá-la e usufruir dela no dia-a-dia?

Quantos de vocês podem gabar-se de serem Livres? Quando foi a ultima vez que sentiram que podiam e podem voar, de dizer o que querem, cantar aos berros e dançar como se não houvesse amanhã?

Espero que pensem nisso, porque na realidade a nossa sociedade camufla todos os casos de pessoas que têm direito à Liberdade mas por um motivo ou por outro não a têm.

Mais uma vez isto é um apelo a todos os ditadores que abusam da sua Liberdade para tirarem e consumirem a Liberdade dos outros. Há espaço para todos e todos merecemos e temos direito ao mesmo.

Espero que um dia muitas pessoas consigam conquistar esse lugar no Mundo e as suas Liberdades

Beijinhos

Sofia