icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Just Keep Swimming

Hoje eu dei por mim a chorar compulsivamente enquanto limpava o chão da cozinha de mais um xixi dos meus cães. Soluçava enquanto dizia “Não aguento mais estou farta disto!”

A rotina cansa-me e mata-me e o facto de não conseguir mudar algo tão simples na minha vida enlouquece-me e a prova-me de que falhei.

Mas será que falhei apenas na educação dos meus cães ou na minha própria educação. Como lhes posso pedir rotinas quando eu vivo trocada há anos. Gabei-me de ser boémia de dormir aos bocados e por turnos. Divertia-me jantar tarde e fazer o que bem me apetecia. Enquanto os outros dormiam eu era rebelde nos meus horários. Agora ando a pagar com as noites mal dormidas a sentir a pele a envelhecer, não só pela idade mas porque a desgasto.

Fartei-me e quero ser normal. Quero jantar cedo, ver televisão cedo, deitar-me cedo e aproveitar o dia com um sorriso logo pela manhã.

E porque não consigo sorrir quando acordo? Que peso é este que sinto quando me levanto que me dá uma inercia e uma vontade de voltar a adormecer e viver alimentada pelos meus sonhos irreais e impossíveis, onde ainda me vejo como uma menina de 20 a ter todos os frutos da vida.

Será normal ter que espalhar frases por toda a casa de motivação para me sentir especial e bonita! Que partilhe fotos antigas na esperança que a dieta que finjo fazer me faça perder os kilos que ganhei com o acto heróico de ter deixado de fumar? Que tenha que recorrer a cartomantes, leitura de aura, feng shui para sentir que a minha vida vai mudar que vou conseguir alcançar o sucesso merecido, encontrar um amor e ser feliz e todas me confirmarem que sou uma pessoa especial e diferente?.

E o que é ser feliz? Que cliché tão pesado nos colocaram nas mãos nestes últimos anos. Andamos aqui todos na luta diária “Eu tenho que ser feliz, eu tenho que ser feliz” que na realidade acho que tudo de bom nos deve passar ao lado.

Não seria mais fácil apenas viver pelo simples facto de ser fantástico?! Há sempre a necessidade de provar que vamos ser os melhores, que somos geniais, que não vamos falhar que iremos cumprir o que esperam de nós e que a beleza se não for eterna…morre entre as lembranças e o passado.

Estagnei como a água parada e por muito que me movimente sinto que ando às voltas e que volto sempre ao mesmo sitio, ao mesmo sitio, ao mesmo sitio, ao mesmo sitio. Aos poucos tornei-me feia, suja, baça, cansada, monótona e que a beleza que um dia tinha em que o meu brilho reflectia a beleza dos outros, passou a ser apenas uma mera poça de lama suja.

Como saio daqui, não sei. Como volto a sentir-me forte, linda, única, imparável, amável, confiante? Como acordar feliz e cheia de garra? Coisas que normalmente acontecem quando estou fora de casa e da minha zona de conforto, faz-me sentir viva e imparável…depois volto e volta tudo ao mesmo sitio….ao mesmo sitio…ao mesmo sitio.

A grande questão é que estarei mesmo eu à quem daquilo que devia ser, ou apenas sou demasiado exigente para mim e que devia contentar-me com o que tenho? e aceitar….e aceitar-me

Na semana passada ouvi 2 coisas que mexeram comigo. Alguém que me perguntou “Porquê não te permites a ser feliz?” e que quando as coisas parecem paradas….”Just Keep Swimming” e não é o que tenho feito?!

Beijinhos

Sofia a inconformada