icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Eu Era Sempre a Vitima

Sempre cresci com o síndrome da vitima. Tudo o que me acontecia era sempre por causa dos outros. Eu era a desgraçadinha de serviço, o bode expiatório a coitadinha de todos os tempos.

Recentemente li um livro que mudou toda a minha perspectiva da vida e consegui perceber que o estado de vitima está sempre associado com pessoas com auto-estima baixa e falta de segurança. Todas as outras vivem perfeitamente em comunidade e naturalmente bem consigo mesmas.

As vitimas estão sempre no centro de todos os problemas, discussões, dramas, tristezas, traições. Vêm alguma coisa em comum?! sim…nós!!!

Sei que tudo o que vou escrever a partir de  agora, para a maior parte das pessoas vai parecer estranho, mas as Vitimas atraem mais do que pensam tudo o que lhes acontece e pior é que alimentam esses acontecimentos porque vivem focadas nesses dramas e não fazem nada para mudar porque esperam que os outros tenham pena delas ou que mudem. Coisa que não vai acontecer pois ninguém gosta de coitadinhos e de tristezas…só as “vitimas”

Não quero que pensem que sou bruta ou insensível, apenas quero dar-vos algumas ferramentas para encontrarem o caminho da vossa salvação. Sim porque ao se libertarem desse lugar escuro, frio e sozinho que é ser uma vitima vão encontrar outro muito melhor dentro do vosso coração: poder, domínio, auto-controlo, segurança e atitude

o 1º passo é colocar de parte essa mentalidade de coitadinho. Não voltem a dizer que só acontece a mim, que todos me odeiam e ninguém me compreendem. Quando custar ter essa flexibilidade comparem a vossa situação a outra mais grave e usem a balança da consciência. Se calhar até podem estar a fazer uma tempestade num copo de água e parecerem fúteis.

Muitas das situações em que nos encontramos, somos nós que as mantemos, ou porque queremos, ou estamos demasiado fracos para sair delas. Mas está nas nossas mãos acabar tudo e virar costas. Saber crescer, aumentar a auto-estima e viver em função das nossas necessidades. Temos que desligar do Mundo em redor e fortalecer e garanto-vos que depois ninguém vos vai fazer mal.

Neste últimos tempos cada vez que me acontece algo negativo, pergunto-me: “Que culpa tiveste nisto?” e resolvo. Isso tem-me ajudado a ser mais humilde, a pedir desculpas e evitar que volte a acontecer.

Vou dar um exemplo. Há umas semanas atrás o meu iphone caiu ao chao e partiu-se todo. O normal na Sofia antiga seria chorar-me e dizer “isto só me acontece a mim!” “que azarada que sou!”, etc. A caminho da loja perguntei-me: que lição posso tirar disto, qual o lado positivo?

  1. o telefone tinha arranjo e não foi preciso comprar um novo (que custam cerca de 600€)
  2. eu tinha dinheiro para pagar o arranjo, creio que foi 60€
  3. o telefone só caiu porque eu deixei cair. dou como garantido ter o telefone e por isso não tenho cuidado nenhum com ele
  4. as minhas mão andam com menos força e facilmente tenho deixado cair imensas coisas.

No dia seguinte fui à Tiger e comprei umas molas para fortalecer as mãos e desde então tenho cada vez mais força e firmeza. Quanto ao telefone, desde então não voltou a cair-me pois ando com muito mais cuidado e atenção.

Espero que entendam a mensagem e que consigam virar a vossa vida para o lado certo

Beijinhos, sejam felizes e mais humanos

Sofia