icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Eat Pray Love

Depois de ter visto o filme “Eat Pray Love” com a Júlia Roberts, disse para mim mesma, é disto que eu preciso.

Sinto-me cada vez mais claustrofóbica em minha casa e na rua e tenho uma necessidade constante de fugir. Apetece-me largar tudo e desaparecer e procurar sítios novos, pessoas novas e encontrar principalmente a mim.

Ainda há tão pouco tempo tinha tantas certezas sobre mim e agora só me voltam as dúvidas sobre a minha existência no Mundo. Vejo os dias a passar e não muda nada, simplesmente não há evolução.

Quero limpar o que está à minha volta e continuo sem saber por onde começar e continuo rodeada de tralhas.

Neste segundo olhei à minha volta e vejo tralhas e mais tralhas e porquê e para quê?! a maior parte não voltamos a usar, não nos servem para nada, mas continuo sem conseguir libertar-me delas. Ao menos que fiquem as que me trazem recordações, mas que elimine as que não me são nada.

Bom era fugir e deixar tudo para trás. Assim alguém vai ter que tratar de tudo por mim.

Em psicologia isso deve ser explicado como fugir dos meus problemas, responsabilidades. É bem capaz, confesso,que estou numa fase em que me sinto de mãos atadas, como se chegasse numa encruzilhada, tivesse que escolher o caminho e ficasse hesitante à espera que algum deles se iluminasse. Como se quisesses escrever e tivesse os braços presos atrás das costas, ou amordaçada e não pudesse gritar. Estou parada à espera que as coisas aconteçam porque não sei como fazer. Depois prendo-me ao facto de acontecer coisas aos outros e a mim não. Mas esqueço-me que a idade é lixada e que o facto de estar cada vez mais velha, vai empurrando-me cada vez mais para o canto, coisa que não pode acontecer.

Só fiz uma sessão de coaching mas algo me diz que preciso enumerar o que me faz falta (emocionalmente) e só depois dar prioridades ao que fazer:

  • Deitar coisas fora ou dar.
  • Limpar
  • evitar…

por ai em diante.

Hoje vou começar por fazer isso, com as coisas que estou sempre à espera de vender por uns míseros tostões, vou deixar tora e quem quiser que leve ou fique com elas, eu não quero mais!!! Seja roupa ou móveis.

Hoje começa a limpeza à minha volta e em breve espero que seja na minha alma

E já agora ando a comer melhor e ainda tenho muito amor para dar e mais ainda para receber, porque me esqueço sempre que eu também preciso de receber

Beijinhos

Sofia

Ps. Eu fiz o meu isolamento hás umas semanas, mas quando voltei estava tudo igual, não basta fugir é preciso mesmo concertar o que não está bem.