icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

À Procura do Amor

Desde ontem que não me sai da cabeça, que as pessoas que mais desejam amar e ser amadas, são as que menos têm
menos probabilidade de encontrar o amor.

Só ainda não entendi se é porque uma questão de azar “queres tanto e não tens”, se é por serem demasiado cuidadosos “Preciso ter certeza que és a pessoa ideal”, se é porque estão demasiado desesperados “Sim és tu, espera afinal não, é a outra…posso ficar com todas?!”, ou se deixam passar a oportunidade da vida por medo de serem Felizes.

Numa recente aproximação amorosa, dei por mim, a gelar, a ficar petrificada com a ideia de partilhar a minha vida com alguém. Senti a minha liberdade a correr-me pelos dedos, tive flashs de suores frios da pressão que é gostar de alguém e de essa pessoa gostar de mim. Sim, o que me fez mais confusão foi a possibilidade de alguém realmente gostar de mim! É como se não fizesse sentido sequer. Estou habituada a sofrer e não estou a preparar para ser amada, isso é de muita responsabilidade.

Foi assim que descobri que nestes últimos 4 anos de peregrinação à procura do amor eu na realidade só me afastei dele. Envolvi-me apenas com homens que à partida nunca iram querer ter nada sério comigo e porquê?! Porque me davam a garantia da falta de compromisso?! Estaria assim livre de viver um grande amor?! E o pior de tudo é que acabei por sofrer com um Karma criado por mim. Envolvi-me de forma masoquista em forma de protesto contra a minha própria vontade de Amar.

Afinal sou filha do Fado porque quero. Caminho de saltos entre pedras incertas porque tenho medo do piso seguro. A capa que me protege tornou-se uma burca, preta e dura que me revela apenas um sonho, uma fantasia de um dia ser de alguém e esse alguém ser meu.

Não falta muito tudo isto mudar, porque o processo avançou. Voltei a atrás e decidi começar novamente do inicio. Impossível que alguém goste de mim, sem antes eu gostar. Faz parte da minha validação, de me aceitar como sou e quem sou. Deixei os vícios, os tóxicos, as impurezas e alimento-me apenas do ar, respiro a vida, e vivo do riso, da esperança e da luta diária imposta por mim; cada dia ser mais Feliz e sentir-me sempre a mais bonita!

Beijinhos e sejam Felizes

Sofia

Fotografia: Tozé Canaveira at Pateo Alfacinha