icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

O Apagão

Há uns atrás um namorado deu-me um murro no olho. Doeu muito, mas…

não doeu tanto como a humilhação que senti,

não doeu tanto como as discussões que tivemos,

não doeu tanto como os berros que ouvi,

não doeu tanto como auto-estima que perdi,

não doeu tanto como os maus tratos psicológicos diários,

não doeu tanto como ter que esconder a nódoa negra,

não doeu tanto como a mentira de dizer que tinha caído,

não doeu tanto como o amassado da cara,

não doeu tanto como ter que lhe pedir desculpas por ter provocado,

não doeu tanto como voltar a vê-lo no dia seguinte, e em todos os outros que se passaram,

não  doeu tanto como ouvir a sua voz todos os dias,

não doeu tanto como doeu quando me voltou a tocar com a mesma mão que me bateu,

não doeu tanto como o medo de acabar e de nunca conseguir fugir dali,

não doeu tanto como o pânico de me cruzar com ele depois de tudo ter terminado,

não doeu tanto como os anos que perdi com depressões, ataques de pânico e com medo de ser feliz,

não doeu tanto como admitir que já fui vitima,

não doeu tanto como esta recordação,

não doeu tanto como quando oiço histórias parecidas e bem piores que a minha,

não doeu tanto como doí a todas as vitimas de maus tratos,

não doeu tanto como a justiça que não funciona,

não doeu tanto como a todas as mulheres que morreram na mão destes monstros,

não doeu tanto como saber que hoje, amanhã e depois muitas mulheres vão ler este texto e se vão identificar com ele,

não doeu tanto como a impotência de saber e de não conseguir ajudar mais,

Hoje não coloco a minha foto de perfil de facebook de luto, mas tal como a Rita Mendes, mostro a cara de uma sobrevivente que um dia conseguiu fugir e libertar-se do Monstro que a quis destruir, por ser um inseguro e infeliz.

Partilho convosco o rosto que um dia esteve esmurrado, mas que hoje celebra a força e a coragem de ter escolhido a vida e a dignidade.

Eu gosto de Mim e eu Luto por Mim

Beijinhos e muita força a todas as mulheres (e alguns homens também) que sofrem da dos psicologica e fisica.

Se Há Dor Não Há Amor

Sofia