icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

No Silêncio

Este fim-de-semana estive sozinha nos 3 dias de NOS Alive
Sozinha, tive tempo para observar as pessoas.

De entender quem se estava realmente a divertir, apaixonado, quem estava farto da companhia do outro, os falsos que se fazem de amigo só porque dá jeito, dos que um dia dizem uma coisa pela frente mas nas costas a música é outra, etc

São nestes momentos sozinha, rodeada de milhares de pessoas que me apercebo que cada vez menos me enquadro, sinto que não faço parte e talvez porque não queira fazer parte.


Nestes últimos anos, escolhi ter uma vida simples, rodeada pela minha família, por aqueles que me querem bem e que gostam realmente de mim e dos meus adoráveis animais (e animais no canil)
que me fazem bem e feliz, Fartei-me de pessoas superficiais, dos sorrisos amarelos, dos brilhantes falsos, das marcas boas nas mãos das pessoas sem valores, das injustiças do Mundo, dos maus que têm sucesso e dos bons que se matam a trabalhar e dos arrogantes a que todos se vergam.


Sozinha senti quem me queria bem e por perto. Quem me recebeu com carinho, quem me procurou companhia, quem quis estar comigo, mesmo sem termos alguma combinação. Quem conversou comigo porque realmente queria saber se estava bem e queria ouvir o que tinha para dizer.


O silencio tem uma voz que não se esquece.


Beijinhos e Boa tarde

Sofia

PS. Não pensem por 1 segundo que sou triste ou estou triste quando estou sozinha. Eu felizmente tenho imensos amigos, uma família linda, os meus animais e em vários momentos estou rodeada de pessoas, seja nos meus trabalhos, na dança, na natação, nas minhas festas e eventos.

Hoje em dia não me custa estar sozinha até porque as redes sociais fazem-nos alguma companhia. Mas realmente quando estamos sós temos mais tempo para pensar, para ouvir, para sentir, para dar e receber.