icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Less Than Nothing

Hoje fizeram me sentir nada, alias menos que nada. Uma pessoa por quem tenho o maior carinho, orgulho, amizade, uma pessoa que desejo

o melhor, que estou sempre disponível para o ver bem, para o mimar, dar o mais verdadeiro de mim, nem me respondeu a um simples convite que lhe fiz.

Faz-me pensar e repensar na minha postura em relação às pessoas. Mas hoje inverti o raciocínio e continuo a achar que o mal é meu, que permito que me deixem e que me tratem assim. Na realidade não são os outros que não me valorizam, mas sou euzinha que não o faço. Se a balança numa relação, seja ela qual for….a relação, tomba mais para um lado, é porque não é uma relação equilibrada, será sempre uma relação em que alguém vai ficar em baixo enquanto o outro vive feliz em cima.

Só espero que esta visão diagonal da balança, não seja como o Balancê/ sobre e desce/ gangorra ou como queiram chamar no Parque infantil, quando o que está por baixo sai, o que está em cima acaba por cair. Calma não digo isto com maldade ou qualquer tipo de vingança, apenas porque muitas vezes damos os outros por garantidos e não damos valor ao que temos, até sentir que eles já não fazem parte de nada e acabamos por cair porque não temos sustento.

Após ter passado o meu serão a chorar e a ver filmes de amor que me fizeram sentir ainda mais infeliz com a minha realidade que finalmente parei e mudei de canal. Na vida real claro que não é assim tão fácil, porque podemos mudar de canal e até desligar a televisão, mas continuamos a pensar no filme, na história, nos actores e da forma como o filme é fantástico, mas sabemos lá no fundo que não nos vai fazer bem ou acrescentar nada na nossa vida.

Um dia alguém muito sensato, escreveu “never love anybody that treats you like your’re ordinary” eu acrescento “never love anybody that treats and makes you fell like your’re ordinary”. E assim tento terminar o meu dia, tentando sentir-me um bocadinho melhor comigo mesma e convencendo-me que chegou o momento de me dar valor e por muito que doa a ausência o recomeçar, lá terei que largar tudo e voltar a encontrar-me e acreditar que há algo melhor para mim e que não posso aceitar esmolas quando eu dou a minha fortuna.

Beijinhos

Sofia