icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Basta que me Batas uma Vez

Para participar nesta ação bastará seguir estes passos: – tirar uma selfie e fazer upload da foto na página de Instagram – identificar (junto dos lábios) @APAV_apoio_a_vitima – adicionar a legenda: Basta que me batas uma vez. #25novembro – partilhar e convidar todos os contactos a participar.
Para participar nesta ação bastará seguir estes passos: – tirar uma selfie e fazer upload da foto na página de Instagram – identificar (junto dos lábios) @APAV_apoio_a_vitima – adicionar a legenda: Basta que me batas uma vez. #25novembro – partilhar e convidar todos os contactos a participar.

Estou aqui a lamentar-me de merdecas que me aconteceram e hoje é o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

Ao ler, ontem a reportagem do Jornal I sobre a quantidade de mulheres assassinadas por violência doméstica, desde o inicio de 2014 é chocante. A quantidade de mulheres que diariamente pedem ajuda, fazem queixa, vivem aterrorizadas com medo da violência verbal, física, emocional dos seus marido, namorados, acompanhantes, pais, irmãos, etc, vivem com medo de um homem, neste país é chocante.

Para quem nunca sentiu o peso de uma mão, de um berro, de uma humilhação, nunca irá entender o que isto é. O que é viver em pânico, numa agonia constante por tudo e principalmente pelo que não se fez. Por muito que se tente representar algo perfeito, por fazer tudo certo, por não dizer nada, não falar e às vezes nem respirar para não acordar a “besta”, nada será o suficiente para manter o monstro sossegado.

Quantas mulheres não conseguem olhar-se no espelho, porque não aguentam ver reflectido as manchas da violência, as feridas abertas, os gritos na boca, o medo nos olhos, as lágrimas de sangue, o sorriso inexistente transformado em dor.

Infelizmente, apesar da vitima sentir-se culpada por tudo, a insegurança, a falta de auto-estima, as perturbações, o medo, a agressividade natural, abuso de álcool, drogas, do agressor é a principal fonte de tudo.

Por favor, não deixem que vos façam mal, peçam ajuda, fujam e não olhem para trás. Falem com quem entende, com quem vos possa proteger – APAV – Não escondam essa realidade, não tenham vergonha, não tenham medo.

E para quem começa uma relação nova, tenham atenção aos sinais, vejam se existe um lado agressivo do vosso companheiro, um deitar a baixo natural, uma desconfiança que logo logo deixa de ser amorosa e passar a ser demasiada, sem motivo algum. Os sinais estão todos lá.

O 1º encontrão, o 1º estalo, o 1º murro será sempre o 1º de muitos intermináveis momentos de angustia, de tortura e provavelmente o principio de um final muito infeliz.

Ninguém merece este destino, ninguém merece viver esta vida. Como disse e volto a dizer corram e não olhem para trás, o que quer que seja o vosso futuro será, sempre melhor do que viver com uma pessoa assim.

Beijinhos e estou aqui para quem precisar

Sofia