icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

15 Anos Encastrado

Finalmente tenho um frigorífico Novo!! Yupiiiiiii

Os meus foram uns queridos e ofereceram-me nos anos, principalmente quando descobriram que ele deitava água. O meu pai ficou muito aflito com medo de um curto-circuito.

Vivo na minha casinha há mais de 15 anos por isso mudar um frigorífico encastrado não é nada fácil. Para além da preocupação com uma boa marca é preciso que tenha as medidas exactas das portas, dos buracos, etc, uma pequenina dor de cabeça. Então optámos por deixar o frigorífico de fora num cantinho e usar o buraco antigo como armário e ganhar uma nova arrumação. Só falta mandar fazer umas prateleiras :).

Entretanto limpar aquele buraco foi obra, 15 anos de pó e cotão. Deixo-vos aqui uma dica, para casos como o meu: Façam uma vistoria para ver se está tudo bem. O senhor que me levou o frigorífico velho disse que realmente estava muito favorável a um curto-circuito por causa dos vapores que ele andava a deitar mesmo para cima da ficha…. 🙁 …medo só de imaginar, mas são daqueles pequenos pormenores que ninguém pensa.

Agora vou aproveitar esta mudança para escolher um microondas novo, branquinho e menor que o actual (que é enorme), mudar as persianas para brancas e comprar uma bancada nova. Por enquanto está tudo às 3 pancadas à espera de decisões. Quem sabe mudar o forno que não é usado há anos e a máquina de lavar loiça (haja orçamentos para tudo lol)

Assim que tiver tudo pronto, mostro-vos o resultado final, por enquanto só tenho estas fotos que tirei hoje no entusiasmo!.

Só um pormenor, o meu frigorífico antigo queimava toda a comida do congelador, era um horror e impossivel para mim ter pão e com o tempo ficou cada vez pior. Trocámos por um Blosh que dizem ser muito bom (preço fantástico) e que é de baixo consumo, o que significa que gasta pouco (também andámos indecisos com o Siemens mas o consumo era género o dobro)

Beijinhos e sejam felizes e mais humanos

Sofia

Um Vício chamado Óleo de Coco

Minhas queridas, desde que descobri as maravilhas do óleo de coco não quero outra vida. Já tinha feito um video sobre o tema – ver aqui, mas nunca imaginei que fosse fazer tanto parte da minha rotina.

Eu costumo usar o boião que aparece nas fotos, mas durante meses usei um frasco, mas não me lembro da marca.  No Verão fica liquido e no Inverno solidifica e por isso o boião fica mais fácil de usar. Uso uma espátula e basta esfregar nas mãos que ele fica liquido de imediato.

Compra-se nos supermercados, celeiro e podem mandar vir em sites como por exemplo a prozis.

Quais os benefícios:

Cozinhar – Não é menos calórico do que o azeite, mas é mais saudável. Adoro usar para fazer omeletes de queijo, e pipocas salgadas.

Desmaquilhante – É o melhor que há, principalmente para make-up à prova de água. Esfrega-se no rosto e com um disco desmaquilhagemte remove-se o excesso. A pele fica super brilhante hidratada. Antes de fazer este procedimento costumo lavar a cara com um liquido próprio para o rosto. Evitem depois de fazer isto apanharem sol, pode manchar a pele.

Hidratar o Cabelo – Antes de lavarem o cabelo, empastem o mesmo com o óleo de coco, e deixem actuar durante umas 3 horas. Eu costumo dormir com o cabelo assim (protejo a almofada) e depois é só lavar. O cabelo fica lindo. Para quem tem raízes oleosas evite aplicar nessa zona e só nas pontas.

Modelar Cabelo – Dá um efeito molhado, ar de quem aplicou um gel mas fica o cabelo solto. Para quem tem cabelo ondulado vai deixar a ondulação perfeita

Experimente e depois digam se gostaram.

É uma forma de pouparem e evitarem estarem cheias de produtos na casa de banho 🙂

Beijinhos enormes, sejam felizes e mais humanos

Sofia

Black Friday

Ai meninas só hoje consegui partilhar convosco o resultado da minha Black Friday.

Passei mais um fim-de-semana a correr de um lado para o outro e com muito pouco descanso, mas como diz o povo “quem corre por gosto não cansa”.

A convite do Oeiras Parque, na 6ª feira, fui conhecer algumas lojas e marcas e vejam o resultado de tudo o que levei para casa.

E vocês aproveitaram para fazer muitas comprinhas e as megas promoções?

E já agora acham que devia haver mais Black Fridays? A minha primeira Black Friday foi há uns 7 anos atrás em NY ainda nem havia em Portugal. Estava super feliz a fazer compras com DJ’s a passarem música nas lojas, cheio de petiscos e bebidas e tudo com descontos. Achei o máximo  diverti-me imenso e claro que pensei “só mesmo em NY!!!”, agora já posso pensar “que bom que também chegou a Portugal!”

Beijinhos e divirtam-se

Sofia

Finalmente Chove

Estava aflita com esta falta de chuva.

Apesar de gostar de bom tempo. sol, calor, Verão este tempo já não era normal.

Infelizmente as noticias não eram as melhores e a seca começava a agravar-se em Portugal. Previa-se uma crise no arroz e isso era só o inicio. A terra estava seca, o subsolo estava sem reservas de água.

A chuva é chata porque molha, porque frisa os cabelos, dá cabo dos nossos looks, temos que andar cheios de tralha, mas é necessária para encher os rios, regar a natureza e tudo o resto que precisa dela, que nos faz a nós depender dela.

Apesar de hoje ser e espera-se um inicio de uns dias valentes de chuva, venho-vos pedir para terem mais consciência no uso da água. Deu para ter uma ideia do que seria a nossa vida se houvesse uma seca. Se o Mundo continuar a evoluir por este caminho, as Estações do Ano cada vez menos irão comportar-se como deviam.

Depois o grave é que tudo quando vem é um falta ou em excesso já não há meio termo no calor nem muito menos na chuva.

Mas pronto agora chove e agradeçam por isso. Não vale o post no facebook a dizer mal da chuva porque ela é precisa e muito :).

Beijinhos e sejam felizes e já agora aproveitem para dar uso às galochas, Trench Coats, kispos que tinham guardado para estes dias

Sofia

Este País Não tem Paciência para Velhos

Sinto-me triste quando apercebo-me que somos um pais de pessoas idosas e que ninguém tem paciência para eles

Estava na Worten e foi notório a falta de paciência da equipa perante um casal mais velho que tinha acabado de gastar 400 € das suas poupanças. O sistema estava a dar problemas e a senhora comentou para mim, timidamente, encostada a umas caixas “devia ter aceite a cadeira”. De imediato comentei com a funcionária “Onde se pode ir buscar uma cadeira para esta senhora sentar-se?” Eu e outra senhora olhávamos ao redor para tentar ver uma solução para a senhora sentar-se.

“Já lhe tínhamos oferecido a cadeira ela é que não quis!” disse a funcionária com voz de rebiteza.

A outra funcionária quando viu a cadeira a chegar disso rigorosamente o mesmo com uma voz de falta de paciência. O casal sem grande força, nem teve coragem de dizer nada. Até porque as pessoas mais velhas sentem que estão a mais, todos os dias têm a prova que ninguém tem paciência para eles, a não ser os seus e mesmo assim às vezes nem esses.

Eu disse “se calhar ela não sabia que iria demorar tanto, o sistema não está a dar problemas?”. Depois os senhores assinaram uns papeis e foram-se embora sem grandes despedidas da parte da equipa. Já estavam despachados era o que parecia. O que me custou mais foi a simpatia e prontidão que me atenderam a mim a seguir, que nem sabia o que queria e que sai da loja com as mãos a abanar.

Somos um País que não gosta dos velhos, que os abandona literalmente. Mas pensem eles um dia foram como nós. Tiveram uma vida agitada, empregos, sonhos, desejos, força, mobilidade, famílias, eventos, actividades. E as coisas mudam e o que me assusta é que eu vou ser assim e não quero sentir-me a mais, não quero pensar que irei ser um fardo para alguém e para a sociedade porque peço uma cadeira para me sentar, ou porque demoro mais tempo a atravessar a passadeira e que irei falar mais arrastado, isto se conseguir ser independente.

Respeitem aqueles que foram a nossa origem, os nossos antecessores que nos ajudaram a criar a crescer e a ter melhores condições. Em todas as sociedades evoluídas os mais velhos são vistos como anciões. Guardiões do conhecimento. Há oportunidades para eles, terem partimes, criarem negócios para se sentirem úteis e menos sozinhos. Os nossos vivem sozinhos nos jardins, ou em centros comerciais sentados na zona da restauração, ou nos centros de saúde à espera de serem atendidos, com reformar miseráveis e tristes pois o Mundo esqueceu-se deles e virou-lhes as costas.

Pensem 2 vezes antes de vos faltar a paciência para alguém mais velho. Imaginem o que seria alguém ser bruto com os vossos avós ou eles sentirem que ninguém gosta deles e que são um fardo para a sociedade?!

Até porque eles não são “velhos” por opção, infelizmente vamos passar todos por isso.

Beijinhos enormes, sejam felizes e mais humanos

Sofia

PS. Não gosto de me referir a pessoas mais velhas como “velhos”, foi só para dar alguma força ao texto. como diz o ditado “velhos são os trapos”

 

Quando Tudo Era Perfeito e depois Deixou de Ser

Amizades, relacionamentos são difíceis de manter nos dia de hoje.

Não se admirem que o que parece forte e resistente, um dia acabe sem mais nem menos. Não estou aqui a assustar ninguém, mas de certeza que já se passou convosco. Ou foram “deixados”, ou foram vocês que se afastaram.

Mas qual a razão para isto acontecer?

Há mais contrastes emocionais entre as pessoas que antigamente. O que nos aproxima é também o que nos ajuda a afastar.

Somos mais sensíveis, mais dispersos, mais egoístas, mais traumatizádos, mais contactáveis mas muito menos disponíveis, mais corajosos nas palavras mas mais cobardes nas acções. Seguramo-nos a clichés para dar explicações, falamos por entre murais de facebook e mandamos recados pelas redes sociais ao em vez de resolver olho no olho, palavra a palavra e claro que não há relação que dure por entre a indiferença.

As relações fortes aguentam tudo: a seca, a distancia, as brigas, as tempestades. São relações preparadas para se manterem e durarem. Outras são apenas passagens nas nossas vidas e temos que também entender que para um dos lados ou até para ambos, não tinha a força que aparentava ter.

Está em cada um de nós a vontade de mudar uma relação partida. Saber pedir de desculpa é o 1º passo. Todos temos culpa em algum momento, não é uma questão de nos rebaixarmos é uma questão de principio. Os valores e a educação é que vão ditar o destino de tudo. Se vocês virarem costas é normal que a coisa acabe. Se simplesmente não a “alimentarem” alguém vai passar fome. Se não lutarem por ela…simplesmente perdem.

Por isso também não se admirem nem muito menos façam de vitima, por muito errados que tenham estado, terão sempre do vosso lado “Eu tentei”.

São complexas as relações, mas também porque são tratadas de forma superficial. Há amigos e amigos, há amores e amores. Cabe a cada um de nós pesar o que sentimos e se a pessoa em causa vale a pena.

Mas da mesma forma que vos quero ajudar a salvar algo que está a morrer, também sou a 1ª pessoa a dizer para se afastarem de quem não vos merece, não respeita o que estão a sentir, ou que apenas não quer saber da vossa história.

Pensem bem antes de tomarem decisões e não sejam impulsivos, pode deitar tudo a perder. Mais vale respirarem antes, pedir um conselho a alguém em que confiem e só depois actuar.

Beijinhos enormes, sejam felizes e mais humanos

Sofia

 

 

 

Uma festa incrível

Imaginem uma noite de Outono, sem vento, o céu estrelado e o Rio Tejo calmo como se fosse um espelho, refletindo todas as luzes em seu redor.

Um barco chamado Évora, atracado no cais, ansioso para partir em rumo de muitas horas de boa disposição, dança e Felicidade.

Muito amigos e família se reuniam para partilhar comigo uma noite que foi simplesmente incrível e inesquecível.

Navegámos pelo Rio a horas tardias mas precoces na animação. Nunca pensei na minha vida ter este privilégio de estar à 1 da manhã rumo à Praça do Comércio a dançar ao ritmo do “Love Boat”

Entre petiscos, drinks e muitas gargalhadas dançamos até a música parar!

Uma coisa digo-vos nunca imaginei poder partilhares isto com quem mais gosto é ver espelhado nos rostos tanta Felicidade.

Muito obrigada de coração e principalmente a excelente equipa da Seaventy que foi incansável!!

Beijinhos sofia sejam mais felizes e mais humanos

Sofia

O Clube das Solteironas

Chamam-nos de encalhadas, mas não estamos é para merdas.

Dizem que somos exigentes, como é óbvio, porque não queremos um qualquer.

Temos a fama de ter mau feitio, porque odiamos que nos façam perder tempo.

Acham que vamos ficar para tia, preferimos isso mil vezes do que ficar para infeliz

No entanto somos românticas, sonhadoras e não desistimos de um dia termos uma historia de amor e um final de feliz.

Adoramos valores, tradições apesar de sermos muito independentes, somos demasiado fieis para aceitar traições.

Existem todas as espécies e feitios de solteironas e o que nos define é o amor próprio e não aceitar que é necessário alguém, para nos fazer feliz. O ter só por ter não faz parte do nosso vocabulário.

Hoje em dia nada nos impede, somos livres, felizes, destemidas, corajosas e independentes. Podemos fazer tudo o que nos dá na bolha e não ter que dar satisfações a ninguém.

No entanto, a maior parte das “solteironas”, quando encontra, alguém que as mereça, são dedicadas, amorosas, companheiras e muito apaixonadas. Entendem o conceito de família e cumplicidade, embora seja dificil encontrar homens que consigam ver a verdadeira essência de uma solteirona e entendam que elas não competem com eles mas tornam-se suas aliadas em qualquer momento das suas vidas.

Fazemos parte de uma sociedade machista, tanto da parte dos homens como das mulheres, em que nos consideram “estragadas” ou porque estamos sozinhas, ou porque não temos filhos, ou porque nunca casámos, ou porque somos o que queremos ser. Somos condenadas de várias formas e castradas quando tentamos falar de relacionamentos. Shiuuu…não tens como falar de relacionamentos, porque não o tens!

O facto de sabermos tanto sobre isso é que faz de nós quem somos e tomarmos as decisões que tomamos.

Gostamos de homens inspiradores, guerreiros, corajosos, com valores e com menos bla bla bla e mais acção. Fica a dica 🙂

E não tenham pena de nós, sintam orgulho da nossa decisão!

Beijinhos às solteironas lindas espalhadas por este Portugal e pelo Mundo todos e não caiam na tentação do cliché de namorar só por namorar 😉

Sejam felizes e mais humanos

Sofia

Eu e os Meus 43 Anos

Xii tantos anos, que para aqui vão. Cheguei aos 43 com a mentalidade de uma jovem inconsciente, o corpo de alguém muito estragado, o feitio de uma solteirona lol e a maturidade de uma mulher madura cheia de classe e que só grita quando é mesmo necessário (como quase sempre).

Mas estou feliz de estar aqui e ter chegado a um ponto em que finalmente me sinto em paz comigo. Ainda existem alguns ajustes a fazer no meu carácter, mas a cambalhota que dei era necessária e não podia estar mais orgulhosa.

A viagem começou quando há uns 2 anos e uns bons meses, desliguei o telefone a chorar por estar a falar com um idiota que não merecia nenhuma das minhas lágrimas. Tinha passado 7 meses a tentar ganhar o amor dele, o respeito e o carinho. A única coisa que consegui ter era uma espécie de desprezo fofinho (coisa que ninguém merece, a não ser os que se colocam a jeito…como eu).

Desliguei o telefone com imensa raiva e disse para mim “nunca mais ninguém me vai fazer mal” “Vou tirar tudo o que é tóxico da minha vida”. E isso incluía, tabaco, coca-cola em excesso, pessoas e homens…etc

Vi-me sem chão, sem saber o que fazer e para onde ir, mas muito convicta das minhas decisões. Esperava sei lá, que uma placa se atravessasse no meu caminho com as soluções de vida, ou com alguma dica que fosse, uma previsão do futuro, uma luz.

Lá ia me virando como uma barata tonta (ia para todo o lado mas não chegava a lado algum)

Sentada numa palestra, sem saber para o que ia, começou a falar um Monge Budista. As suas palavras entravam em mim como balas, furando todos os meus sentidos e mantendo-me mais acordada como nunca.

Amor Incondicional e universal,

Ama-te a ti para poderes amar o próximo.

Ilumina-te com conhecimento

Dá sem esperar nada

Confia no coração.

Era isto!!!! Era tão isto. Fui ao templo e adorei andar descalça, já me tinha esquecido o que era sentir a terra, não ter que me preocupar com quem era e com o que tinha que ser. Meditei pela primeira vez e adorei, mesmo sem ter fechado completamente os olhos e não tenha deixado de pensar nas milhares de perguntas que tinha a fazer sobre o Budismo entre outras coisas, eu estava ali numa missão: “Encontrar a Verdadeira Sofia”.

Mas calma que ainda estamos no inicio…a partir de aqui foi duro e tive momentos horríveis de dor e solidão. de comer como se não houvesse amanhã, de olhar para o meu corpo e não me reconhecer, de sorrir com os lábios e nunca com o olhar, de chorar muito, de querer um fim, de me odiar, de odiar os outros, de querer uma resposta e não ter “MAS AFINAL QUEM SOU EU?”

Mas também tive momentos bons em que me ia descobrindo aos pouquinhos e fui andando devagarinho e 1 ano depois estava a fazer a minha 1ª viagem sozinha e a amar todos os segundos e quis fazer a 2ª e a 3ª e neste momento não hesito em agarrar o carro, colocar os cães lá dentro e ir para onde for.

Decidi não estar disponível para toda a gente e cortei com imensas pessoas. Não sou serviço público e que me perdoem os mais sensíveis mas tenho mais que fazer. Adoro e respeito o carinho, mas há tanto mais no mundo a fazer do que passar a vida num chat com gajos que não sabem o que querem da vida ou que não têm mais nada para fazer.

O voluntariado entrou na minha vida e ficou “Amor Universal”: Ama os outros e não esperes um agradecimento.

Doi ver a realidade mas doí mais sentir que ninguém faz nada. A ajuda na AMIAMA tem-me feito melhor a mim do que a todos os cães que por lá passaram e estão. Porque é o meu abrigo também. Relembra-me todas as vezes em que fui abandonada, castigada por ser demasiado fiel, ajudada por pena e solta mesmo sem saber para o que ia, ansiosa, com medo mas cheia de vontade “é desta que é que é de vez”! Mas nunca foi e volto sempre a sentir-me só.

Estar lá ajuda-me a conhecer-me melhor, a entender os outros, a ser menos reactiva e mais compreensiva. Tenho aprendido valiosas lições com os animais, como eles estão preparados para perdoar quem lhes fez mal, ou dar uma nova oportunidade para serem amados e felizes.

A meio deste ano ainda sem saber o que fazer da minha vida e a colocar em causa tudo e principalmente as minhas capacidades, fiz um curso de Coach, para ser coach, mas pensei usar aquilo para mim e contra mim LOL. Fui a cobaia de todos e deixei dissecarem-me dos pés à cabeça, chorei que me fartei, mas foi bom, muito bom. Acabei uns meses depois limpa, revigorada e com uma palavra no destino: PERMITE-TE! a Amar, a Sonhar, a Realizar, a Alcançar, a Seres quem és e quem queres ser, a ser Feliz e a Gostar de ti!!!

Comecei a fazer consultas de coach e funcionava!! Eu ajudava os outros a encontrarem um caminho, a passarem a ter uma certeza “eu preciso gostar de mim e cuidar de mim””eu sou a prioridade na minha vida e só assim posso ajudar os outros”.

E estou agora aqui, com o cabelo pelos ombros, com os saltos mais baixos, com os meus defeitos e feitios mas com a certeza de que gosto de mim e quero gostar sempre. Estou mais contida em tudo e principalmente no que partilho. Deixei de usar a carta de blogger e passei a sentir-me novamente uma pessoa que adora partilhar e ensinar os outros. Continuo a sofrer e a ter dúvidas porque isso faz parte da condição do ser humano. Mas não sofro mais por antecipação, deixei de fazer filmes e adoro a sinceridade e não suporto que me façam perder tempo. Quando alguem afasta-se de mim deixo ir e não me arrendo de nada a não ser de algumas coisas do passado porque olho para trás e pergunto-me “Quem foi aquela pessoa? porquê tomou aquelas decisões e porque gostava tão pouco de si mesma?!”

Afinal de contas, não eram os outros que me faziam mal, era eu que me fazia mal em permitir que me magoassem. Não nasci para sofrer, nasci com uma missão de sorrir e fazer sorrir, de ajudar os outros pelos meus erros e de transformar vidas tristes em alegrias constantes.

Hoje é o meu primeiro dia com 43 anos e com orgulho digo “Gosto de Mim”

Beijinhos e muito obrigada pelas vossas mensagens carinho e por favor sejam mais felizes e mais humanos.

Sofia

Endireita aqui, endireita alia!

Na semana passada dei um jeito! Não é o primeira nem a última vez que faço uma contratura, mas desta vez foi a doer. Não conseguia virar a cabeça e dormir passou a ser uma tortura. Ontem quando acordei não consegui levantar-me com tantas dores que tinha em todo o corpo.

Fui deixando andar esta situação por falta de tempo, aliás como sempre fiz em toda a vida. Dar prioridade aos projectos profissionais do que à saúde.

Agora estou melhor, com algum desconforto ainda. Cheia de fitas nas costas para aliviarem a pressão depois de uma sessão de acupuntura e do Nuno Barbosa me ter estalado todos os ossitos das costas e pescoço.

O meu grave problema é a tensão que crio do corpo e por isso fico assim e afectam tantas outras coisas: como ranger os dentes,

Preciso mesmo incluir mais meditação (provavelmente várias vezes aos dia lol) mas o estado que ando só afecta o meu bem estar.

Obrigada Nuno por me salvares mais uma vez. Vemo-nos em breve

(Foi graças as agulhas do Nuno que deixei os vícios…pensem nisso)

Beijinhos e sejam felizes e mais humanos