icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Quase Meia Noite

Está quase a chegar a meia noite. Os copos brindam, os amigos divertem-se, a música dá o tom aos bailarinos.

Começa a crescer a esperança de que vamos ter um ano fantástico e apetece começar tudo de novo, estrear tudo.

Eu estou pronta, com as 12 passas na mão e vocês?

 

O Vestido Perfeito para o Reveillon

Não há palavras que consigam descrever a beleza, sensualidade e elegância deste vestido da Maniac.

Se com um vestido preto ninguém se comprometo, ai garanto-vos que com este vão comprometer-se e bem com a elegância, o glamour.

Para as curiosas a loja fica em Massamá e estará aberta hoje

Casaco – Zara

Sapatos – Marypaz

Clutch – Ted Baker

Fotografia – Tozé Canaveira 

Obrigada Restaurante Aura

Beijinhos e Boas Entradas

Sofia

Que Resoluções tomar para 2017

Já há uns 4 anos que deixei de fazer resoluções para o novo Ano. Para mim para fazer é fazer em qualquer dia do ano.

Começar as dietas à 2ª feira começam sempre mal, porque na 3ª já se estragou tudo e fica sempre para a 2ª feira seguinte. É o mesmo quando alguém tem muito interesse em fazer uma coisa e diz “para a semana eu depois vou, esta não dá jeito”, ninguém vai porque nunca vai dar jeito. Na realidade a pessoa só adia o que nunca vai acontecer.

Ou se faz ou não se faz. Como disse no artigo anterior 2016 foi um ano de limpeza, no meu caso pelo menos. Aprendi muito com as quedas, com os erros, as inseguranças. Acabei o ano com imensa força e cheia de vontade de continuar o caminho que me predispus a fazer. O adiar é um mal comum e porque se acha que na semana seguinte, no mês seguinte, no ano seguinte tudo vai mudar por obra e Graça do Senhor.

As mudanças têm que partir de nós e não esperar que nos caiam no colo. Pode, como é óbvio, haver factores externos que nos façam adiar uma decisão ou uma acção, mas quantas foram adias por vocês mesmos?

Se há coisa que aprendi em anos de inercia por causa da maldita depressão é “Não deixes para amanhã o que podes mesmo fazer hoje” e não deixo e por isso vocês me vêm a pintar a casa de noite, a fazer loucuras de viagens, porque aquele momento era o momento a fazer, na semana seguinte sei lá eu onde vou estar e o que me vai apetecer.

Eu não quero deixar mais o barco passar. Por ter vivido muitos anos num buraco escuro com medo de tudo e de todos libertar-me dessa caverna foi duro e tem-se vindo a arrastar há demasiados anos e chegou o momento de Fazer, Agir, Viver, seja em 2016, 2017 ou 2030.

Por isso parte da “Sorte” que se tem num ano, é construída por nós e não deve depender de mais ninguém!

Amanhã, se conseguir vou dar um grande passeio com a minha meninas no meios da natureza (Sintra por exemplo) e ai sim considero que sai em grande de 2016 e vou entrar com imensa força em 2017. Não há nada melhor que os conselhos das árvores, a sabedoria do vento, a beleza do solo, a elegância das plantas, a protecção das sombras e a força do sol para nos dar vida.

Deixo-vos estas palavras porque sei que para muitos 2016 foi ano duro e de sobrevivência. Por minha vontade teria sido perfeito, mas infelizmente não posso controlar o que vocês pretendem da vida, mas posso dar o exemplo do que faço.

Para 2017 desejo que tenham Amor, Carinho e que respeitem o próximo, valorizem as vossas acções como as os outros, voltem a encontrar os vossos valores, evitem julgar, escutem mais, dêem mais, rodeiem-se de pessoas positivas e extraordinárias, revejam as amizades e protejam aqueles que realmente vos merecem. Não sejam egoístas mas oiçam mais vezes o vosso coração. Partilhem a mesa, o riso, o sonho, as tristezas, as vitórias. Trabalhem em união e não em destruição. Sejam uma família, mesmo que estejam sozinhos. Sejam ambiciosos e lutem atrás dos vossos sonhos, sem ter que derrubar ninguém. Sejam os melhores porque dá o mesmo trabalho do que ser nada de especial. Ajudem!!!! Ajudem-se a vocês mesmos e VIVAMMMM intensamente todos os minutos do próximo ano. sem arrependimentos.

e a ultima e mais dificil….aprendam a perdoar, só assim conseguem avançar para a Felicidade

Beijinhos

Sofia

PS. A principal resolução é mudar a vossa forma de pensar e actuar, em relação ao vosso destino

 

 

 

 

A Caminho de 2017

Faltam 2 dias para a Passagem do Ano e antes de entrar em modo “Novo Ano”.

Nestes ultimas dias tenho andado a fazer uma revisão do ano que passou.

Não posso considerar o pior de todos, mas foi um ano intenso, de contrastes e de extremos.

Olho para trás e foi um ano que começou em grande emocionalmente, após um retiro que fiz em Fátima antes de o fim de 2015 e que se estragou por completo por causa de uma zanga de amigas que me deitou a baixo durante os 4 meses seguintes.

O primeiro semestre foi o caos emocional, entre tristezas agudas, a mudança de peso por ter deixado de fumar, o não poder fumar, a ausência de vontade de treinar, um pezinho sempre a tocar na depressão, um sentimento de solidão e de vazio horrível e a sentir o meu mundo profissional a desabar e não conseguir fazer nada, nem mesmo saber como começar. Foi duro, muito duro.

Felizmente graduada em depressão e tendo na bagagem 11 anos de consultas semanais de psicoterapia, fui começando a recompor-me aos poucos. Voltei a encontrar força dentro de mim, afastei-me de imensas pessoas que na realidade não contribuíam em nada para a minha felicidade, mas que alimentavam um lado mesquinha e fútil e voltei-me para mim e para aquilo que mais gosto: a minha família, os meus animais, a minha carreira e os meus amigos.

A meio do ano começou a minha jornada de retiros na natureza e aprendi que estar sozinho pode ser óptimo e nunca solitário. Conheci pessoas fantásticas que me mostraram um mundo de paz, de beleza, de amor. Viajei com os meus cães e isso foi o melhor.

Apaixonei-me e sofri, mas sem nunca desistir de encontrar aquela pessoa que irá prencher o pequeno grande vazio que há dentro de mim.

Ganhei asas e apeteceu-me voar por todo o lado, ser mais aventureira e a controlar a minha ansiedade e sem ter medo. Fui para os Açores sozinha e mudou a minha cabeça e a minha vida. Foi ali que aprendi a ser genuinamente feliz. Sentia-me a flutuar de tantas emoções. Liguei-me à terra, à natureza, ao sonho, à esperança, à vida, a Deus, às energias!!!!!

Cá continuo na luta até chegar a um 2017 com mais esperança e realizações. Não sou de acreditar que há um fim, acredito que há sempre uma oportunidade de começar de novo e de forma diferente.

2016 não o considero um ano mau nem bom, considero acima de tudo um ano de limpeza e de mudança. Vou chamá-lo de ano Detox que foi necessário para dar entrada a um ano de maior estabilidade, segurança, confiança, amor e realizações….assim esperemos.

Gostava que partilhassem o que foi para vocês o melhor e o pior de 2016 :).

Beijinhos e Boas Entradas

Sofia

The Golden Dress

Jaqueline Roxo arrasou tudo quando chegou à Quinta do Tagus com um vestido dourado de lantejoulas, até aos pés, com costas reveladas.

Ficámos todos de boca aberta e eu com uma vontade gigante de vestir e brilhar na objectiva do Tozé Canaveira.

Não consigo descrever o quanto adoro o trabalho da Jaqueline e para além das suas incríveis colecções é o amor e carinho em que ela coloca em cada peça que vão encontro do estilo de cada mulher.

Beijinhos  Boas Estradas

Sofia

Almoço de Natal

Continuei a apostar no verde para o almoço de Natal e juntei um apontamento de vermelho que foi um presente que recebi dos meus pais na véspera, ao qual não consegui resistir.

O look é bastante simples, confortável e elegante para um almoço em família por exemplo ou até para trabalhar

Colete – Guess

Camisa Primark

Calças – Benetton

Sapatos – Bershka

Mala Top Queens

Beijinhos e Boas Festas

Sofia