icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Está quase a chegar 2016

Vou passar com as 12 passas na mão, preparadas pelo meu Pai. A cada passa colocada na boca faço um pedido, peço um desejo, que envolva a minha família, os meus animais, os meus amigos, o mundo e depois para mim. Naqueles 12 segundos, tento não excluir ninguém, por isso coloco virgulas em vez de pontos finais.

Deixo-me para o fim, porque sei que vou ficar bem. Sei que o que quer que a vida me der, será o melhor e eu estou preparada para ultrapassar tudo, vejam coisas boas ou momentos mais difíceis.

A vida ensinou-me a não pedir muito, mas a arregaçar as mangas e a fazer. A espera não trás nada, apenas horas perdidas de vida. O trabalho será sempre recompensado, assim como a audácia, a inovação, a criatividade, a liberdade.

Momentos para sorrirmos não nos faltam diariamente, mas o nosso grau de exigência é que passou a ser tanto e tão ganancioso e fútil que deixamos de apreciar o maravilhoso que a vida e o mundo nos dá. Às vezes precisamos de ter o exemplo dos outros para voltarmos à terra e a fazer o que é correcto e o coração e o instinto nos manda.

Passo mais um ano sem desejar nada em concreto, apenas que haja saúde, amor, trabalho, força e sanidade mental para continuar a luta. O resto vem por acréscimo e o principal tem que permanecer para sempre dentro de nós: Se não acreditarmos, se não nos valorizarmos, se não formos Felizes nada fará o devido sentido.

Beijinhos e que o vosso 2016 seja o melhor de todos os Anos.

Saia em toule – feita à minha medida – PP Couture

Top em lantejoulas – H&M

Pumps – Seaside

Clutch – Primark

Boneca – 

Cabelo – Mad Madmoiselle Vintage Hairstyle

Fotografia – Tozé Canaveira

Sofitel Lisbon Liberdade

Beijinhos e Boas Entradas e Feliz 2016

Sofia

Ultimo Dia em Fátima

Acordei às 8h cheia de vontade….de voltar a dormi. Mas mesmo ensonada obriguei o meu corpo a levantar-se, abrir as janelas e a pensar “lá fora está um Mundo muito melhor à tua espera”.

5 min depois já estava feliz por ter acordado tão cedo e de tão feliz que tirei uma foto rara minha ao acordar ainda com óculos. Foto que ao contrário do que sempre pensei, acabou por fazer imenso sucesso entre os rapazes que me adoraram ver de pantufas….vai-se lá entender porquê lol.

Tinha o tempo contado e queria fazer tudo o que me tinha proposto fazer: andar de bicicleta, tomar um logo pequeno almoço, ir até Fátima a pé, fazer o passeio dos Pastorinhos, voltar, tirar foto do look e regressar a Lisboa a tempo de um almoço de família, que felizmente passou para as 4 da tarde…só nós almoçamos a essas horas.

De banho tomado e mala feita parto numa bicicleta à procura sei lá do quê. Nunca tinha andado por ali, nem sabia se iria aguentar o 1º quilometro. Mas aguentei, com o vento na cara, mesmo protegendo o cabelo ainda húmido, segui a caminho das Grutas da Moeda. A pedalar com imenso entusiasmo lá fui por caminhos desconhecidos no meio da natureza e com paisagens lindas, com um sorriso no rosto como se fosse uma criança.

7 quilómetros depois cheguei a Luz Houses muito a tempo de me refastelar num merecido Pequeno Almoço. Parece que cheguei a casa da minha avo!!! Tanta coisa e com uma apresentação tão bonita como tudo o resto. Comi tanto que o que perdi a pedalar deve ter entrado a dobrar.

Mas ainda tinha mais 6 quilómetros para fazer a pé até ao caminho dos Pastorinhos. Ficam já a saber que não fui ao Santuário. A minha Fé assim como Deus está em todo o lado e sinto-me sempre mais próximo dele, isolada na natureza do que no meio da multidão. Precisava de Boas Energias e de respirar ar puro. No meio da Mata e dos Pinheiros, fui a caminho da mágica aparição conforme me tinham sugerido na Tia Alice.

Os caminho dos Pastorinhos é realmente lindo e cheio de dizeres bíblicos e históricos. Encontra-se o local onde apareceu a Nossa Senhora e o Anjo. Vale muito a pena fazer o caminho até porque está rodeado de árvores, momentos, reflexões, Fé e uma energia inexplicável.

Beijinhos e Boas Entradas

Sofia

Camisola com gorro – Woman Secrets

Reveillom Inesquecível mas com Responsabilidade

Amanhã deixamos 2015 e entramos num novo ano, mais uma vez tão desejado.

Desde que entrámos em crise que pensamos agora é que vai tudo melhorar!! E todas as passagens de ano renova-se a vontade de que tudo irá ficar bem e que finalmente iremos ser felizes em todas as áreas possíveis.

Entre passas e badaladas, pés direitos nos chão, em cima da cadeira, com dinheiro na mão, com cuecas escolhidas a propósito e taças de champanhe no ar, fazem-se pedidos que durem pelo menos 1 ano: saúde, amor, família, emprego, dinheiro, viagens,  o que for.

É uma noite de folia e agitação para alguns e de tranquilidade e de paz para outros. É uma noite que se cometem excessos nas calorias, nos volumes das músicas, nos gritos, nos brilhos das roupas e até nas bebidas.

É uma noite em que a lua brilha como toda as outras mas que marca uma diferença na hora e na vontade que tudo mude e seja diferente.

Tudo isto é possível, é desejável e deve ser celebrado com a maior intensidade sem nunca esquecer em ter o maior cuidado, na estrada, nas atitudes, nas acções que se praticam.

É uma noite que deve durar e não ser interrompida por motivo algum.

Se beberem não conduzam e tenho cuidado por vocês, por quem está convosco e pelos outros que merecem igual respeito. O celebra-se o Ano Novo para que termine como Ano Velho em 2017. Esses são os meus votos de hoje, de ontem, de amanhã e de sempre.

A diversão não deve ser interrompida, mas deve ser com ser feita com a maior das responsabilidade, principalmente numa noite como esta que deve acabar no mínimo com uma pequena ressaca, uns confetis no cabelo e para os mais sortudos com o seu amor ao seu lado.

Beijinhos

Sofia

Vestido – Lefties

Clutch – Bershka

Casaco – Primark

Pumps – Seaside

Cabelo – Edilson Soares – Unique

Fotografia – Tozé Canaveira

Tia Alice

Uma vez em Fátima era quase que obrigatório ir conhecer a Tia Alice.

Para além de todas as Aparições, os Milagres, as Fés, os Pedidos, as Romarias, as Peregrinações, qualquer caminho vai dar ao Restaurante da Tia Alice e são todos caminhos de Deus.

O Restaurante foi altamente recomendado por familiares, amigos, conhecidos, estranhos e até alguns ateus. Todos juraram ser o melhor restaurante em Fátima e os seus pratos umas verdadeiras Relíquias.

Fui para confirmar, ainda para mais sendo tão perto do Hotel e da Igreja Matriz.

Não tive dificuldades em encontrar o local, nem muito menos a estacionar, até porque fiquei à Porta. Apesar do frio que estava na rua, ao entrar dentro do espaço notava-se o conforto de um calor agradável e acolhedor.

Fui muito bem recebida, e sentaram-me na minha mesinha. Mesmo sentada de costas para todos, sentia os olhares de quem estava a tentar perceber se eu iria mesmo jantar sozinha….SIM VOUUUUU, sem dramas.

Atendimento muito simpático, eficaz, educado e discreto. O ambiente em si é muito clean e sossegado.

Enquanto me empanturrava de pão com manteiga (não consigo resistir ao pão da entrada e mal sabia eu que era feito e amassado diariamente pela Tia Alice às 5h30 da manhã),  escolhi o afamado Bacalhau gratinado que em 15 min me foi servido o que me impediu de comer o pão todo…ufa.

A meio do jantar pedi se podia conhecer e tirar uma foto com a Tia Alice e disseram-me logo que sim. Que antes de ela se recolher viria ter comigo.

A meio da minha sobremesa chamaram-me e levaram-me até à cozinha. Ao fundo vinha uma sorridente e simpática imagem que à medida que a luz lhe dava na cara iria conhecendo os seu lindo sorriso que começavam a partir dos seus transparentes olhos azuis.

Cumprimentamo-nos com um abracinho e apresentou-me as suas Filhas Odete e Filipa, igualmente encantadoras e ficámos todas à conversa durante muito muito tempo. Elogiamos tudo o que tínhamos a elogiar umas às outras, o jantar, o espaço, a coragem, a força de ainda estar a trabalhar aos 80 anos, a dedicação, o meu look, a elegância, a simpatia, energias, a união da família. Trocámos histórias, partilhamos risos, recordámos momentos e algumas mágoas e aplaudimos vitórias.

Foi uma noite deliciosa que me deixou tão cheia no coração. Adoro conhecer pessoas que me fazem repensar na vida. Que me mostram que há sempre 2 caminhos e podemos escolher entre o desistir e o da luta e continuar em frente. Que podemos baixar os braços ou mante-los sempre activos. Que o trabalho pode ser motivo de rejuvenescimento e que a felicidade está associada à união da família, às nossas crenças e na Fé em nos mesmos.

Casaco de pêlo Sintético – Zara

Biker Jacket – Newyorker

Leggings – Shop1one

Mala – Jumbo Moda

Brincos – O Guarda-Joias

Beijinhos cheios de Amor

Sofia

com a Tia Alice
com a Tia Alice

1º Look Fim-de-Ano

Este ano dediquei-me ao prata. Ando sempre de dourado e quero fechar o ano com outro brilho, para além disso decidi usar o que já tenho. Fiz um busca lá por casa e estou sempre a dar de cara com roupa que não uso há muito tempo, mas que considero muito actual e outra que farto-me de usar e nunca me canso.

Vou abrir as minhas dicas de passagem de ano com um vestido lindo que ficou no meu passado. Foi-me oferecido na ultima viagem a NY e é um simples Armani, que infelizmente foi usado apenas uma vez. O decote original não é assim, é mais subido o que me faz sentir um embrulho prateado ou uma caixa de bombons foleira.

Resolvi esse assunto colocando por dentro um top e enrolando o excesso de tecido para dentro e prendendo no top. Assim o meu pescoço e rosto respira…ufa que bom

Apesar dos pliçados ajudarem a simular um emagrecimento, não é caso deste vestido porque é metalizados, por isso quando estou mais robusta, eu pareço mais poposuda, mais boazuda e mais cheinha.

Casaco pêlo sintético – Armani

Vestido Prata – Armani Exchange

Sandalias Pump – Primark

Clutch prata – Primark

Pulseira – Swarovski

Cabelo – Edilson Soares – Unique

Fotografia – Tozé Canaveira

Beijinhos e Boas Entradas

Sofia

 

 

À Procura da Luz

Como sabem este fim-de-semana estive sozinha em Fátima, algo que não foi combinado com muito tempo, alias, digamos que foi mais o destino que me chamou.

Uma semana antes do Natal, uma empresa ligou-me a perguntar se eu tinha gasto o meu vale da App Hotel Tonight, ao que respondi que não e entrei em pânico porque o prazo eras só até ao final do ano. Comecei a pensar em que dia poderia até porque a semana era cortada pelo Natal e o Fim-do-Ano, quem haveria de levar….enfim os dramas do costume que acabam sempre de ser impeditivos de ir.

Há muito que queria conhecer o Luz Houses, um novo conceito de Boutique Hotel em Fátima. Decidi marcar, esperei até a data de 26 aparecer na app (a app é própria para marcações last minute, por isso só podemos fazer o booking no próprio dia, no dia seguinte ou uns 3 dias depois, mais que isso não dá). Estava marcado! Ufa menos uma preocupação, agora só faltava ver quem queria vir comigo. Mas ao longo do decorrer da semana uma voz interior dizia “vai sozinha, que vais muito bem”. E assim o fiz, não disse nada a ninguém e no dia 26 parti para aquilo que seria o meu primeiro fim-de-semana sozinha. Coisa que há uns tempos atrás seria motivo de depressão e cortar pulsos.

Apesar de levar no coração a preocupação sobre o estado de saúde da Blush, continuava a sentir uma força que me puxava para Fátima. Sabia que iria ser fantástico e que cada minuto, cada segundo seria importante para a minha paz, tranquilidade, auto-estima.

O Hotel é do outro mundo, os pormenores são inesquecíveis, a decoração um luxo de simplicidade e tranquilidade. Houve ali um encontro entra a natureza e a espiritualidade tão forte que se nota logo na nossa áurea. Sente-se amor e dedicação em todos os cantos, os detalhes e aromas.

No check in somos recebidos com um chá quente de frutos vermelhos e açúcar em formato coração. Todo o espírito é de confiança e de partilha. Apesar do frio na rua, as nuas paredes de cimento são quentes e charmosas.

Temos luz não só no nome, mas em tudo e principalmente encontramos a nossa Luz.

Meditei, Rezei, Enraizei junto da natura que é constante no local e à volta.

Ali perto foi onde o Anjo e a Nossa Senhora apareceram aos Pastorinhos e talvez por isso a luz do sol e da lua parecem mágicos e cheios de Fé.

Vim iluminada por dentro e por fora, desde que cheguei à partida não me senti sozinha um único momento. Amei a experiência e sinto que já estou preparada para fazer férias sozinha caso não esteja muito bem acompanhada.

Calças – Bershka

Casaco de malha – Jumbo Moda

Camisa – Jumbo Moda

Encharpe – Verde água- Zara (pura coincidência a combinação com a decoração)

Mala – xti

Beijinhos cheios de Luz

Sofia

Front Desk
Front Desk
Convivio
Convivio

 

 

Natal
Natal

 

Look de Natal

Este Ano, para contrariar a tradição, mas indo ao encontro das tendências, vesti-me de verde Natal.

Deixei o vermelho para o Pai Natal e para a véspera, no Almoço de Natal, usei um amoroso vestido verde e decorei-me com alguns acessórios alusivos à época.

Mantive o colar do lollipop e os brincos da Primark, coloquei o delicioso gancho feito pela minha querida Pin Up – Madeleine Costa, um cinto vermelho com um lacinho para me sentir um presente e a mala vermelha de verniz da Rumbanita Closet fez a sensação no almoço de familia.

Espero que gostem

Beijinhos

Sofia

Look Véspera de Natal

Nós somos uma família pequena, mas cheia de tradições, que nos acompanham desde que somos crianças.

De ano para ano pouco muda, continuamos a comer o bacalhau cozido com batatas e grao na Consoada, abrimos os presentes depois da meia noite, entramos na sala com a mesma musica de Natal e por alturas…é claro que sou a primeira a entrar!! Ficamos sempre nos mesmos lugares debaixo da arvore a todos abrimos um presente ao mesmo tempo….e depois é ir abrindo e agradecendo e experimentando, o que for.

Terminamos na noite sempre tarde, sentados novamente na mesa a comer a 2ª rodada de doces, que também estes todos os anos são sempre os mesmos: Montanha Russa, Pudim de ovos, baba de camelo, doce de amêndoa, rabanadas, bolo rei, etc, Este ano foi a tarde de brigadeiro feita pelo meu irmão.

Quando chego a casa, abro os presentes das minhas meninas e menino porque elas também têm direito.

Para alem de todas estas tradições, todos os anos desde que sou pequenina que faço uns cartões para cada membro da minha família. Este ano os embrulhos também foram feitos a pensar em casa pessoa e cheios de detalhes vintage, como o papel pardo, as fitas mates e de tecido.

Saia vermelha – Newyorker

Blusa branca – Shop1one

Unhas postiças – Primark

Mala – Primadona

Laço Vermelho – H&M

Botins em veludo canelado – MaryPaz

Beijinhos e Boas Festas

Sofia

O texto que faltava

No Ano passado decidi por esta mesma altura fazer parte da CASA – Centro de Apoio ao sem Abrigo. Passei o 1º dia a ajudar na cozinha e numa 3ª feira, por volta desta data fiz a distribuição dos alimentos pelos mesmos.

Gostava de ter escrito sobre as 2 situações, mas só consegui escrever sobre a experiência da cozinha. Tal como toda a gente que participa na distribuição diz “é difícil explicar o que se sente….é diferente”. Sim foi tão diferente que nunca consegui palavras suficientes para contar como foi.

Este ano voltei e ao contrário de todos os meus amigos que não foram capazes de me acompanhar, disseram e elogiaram-me o feito e deixo a explicar: “eu não sou grande nem o que faço é nada de especial perante o que milhares de pessoa fazem durante todo o ano. Eu venho uma vez aqui e outra sabe-se lá quando. A minha vida ocupada e as desculpas acabam sempre por estar à frente de tudo. E o que para uns parece um acto maravilhoso de coragem eu chego a ter alguma vergonha, confesso. O verdadeiro voluntário é aquele que se dedica, eu apenas sou uma porta aberta para o Mundo e quero que através dos meus olhos e das minhas palavras outras conheçam uma realidade que diariamente e facilmente viramos as costas e a cara.

Ao contrário do que seria normal, numa noite como esta, a comida quente pela CASA e todos que a apoiam (como o Pingo Doce e El Corte Inglês) está garantida, assim como a sopa, chá quente, pão fruta, bolos…o que houver. O que nós fazemos é ir distribuir por cada Sem Abrigo de diferentes zonas (Av da liberdade, Cais do Sodre, Gare do Oriente e Martim Moniz) uma refeição quente e calorosa.

Bem chega a altura em que me começo a atrapalhar-me com a informação que tenho e os sentimentos ainda demasiado vivos na minha cabeça e no meu peito. Depois de uma noite como estas é normal ficarmos baralhados e deixar de ter um fio condutor. Ninguém vai dizer que não é duro, porque é. É duro ver a miséria a que algumas pessoas chegaram, É duro ver pessoas como nós a dormir na rua, É duro ver a cumplicidade que alguns têm e a forma como se apoiam. É duro ver a forma como a sociedade virou-lhes as costas, É duro ver pessoas a viverem em zonas que passamos todos dias e que nem damos conta que estão lá. É duro não ver as mesmas caras do ano passado e começar a pensar, será que conseguiram melhorar de vida?! É duro ouvir desejar Feliz Natal e ficar sem saber o que dizer de volta, É duro ouvir histórias de pessoas que tiveram tudo, É duro sentir que há quem tenha família e a mesma não quer saber da situação em que estão, É duro saber que muitos deles tomaram caminhos errados como do álcool, do jogo, da droga e que isso acabou com tudo, É duro saber que a noite está gelada e que hoje vão lá estar todos novamente e quem sabe quem mais alguem, É duro imaginar que ninguém está livre deste infortúnio….eu, tu, ele, nós….espero mesmo que não.

Mas se há coisa que eu sou realmente abençoada é na forma como Deus coloca as pessoas no meu caminho. De tanta tralha de gente maldosa e sem valores, eu tenho tido muita sorte pelas pessoas maravilhosas e enormes que eu vou conhecendo. Pessoas essas que me ensinam tanto a ser uma pessoa melhor, como uma pessoa do Mundo. Foi o caso de um rapazito de vintes e pouco anos, com alguma atitude e muita confiança chamado De La Vega. Quem olha para ele não consegue ter noção no tamanho do seu coração. Um cantor que por mais palavras que componha e que cante não vai conseguir nunca demonstrar aquilo que ele é na realidade. Ele é enorme!!!! Simples!!!! Caloroso!!!! Único!!! Especial!!! (se comprarem as suas musicas 1€ reverte a favor da CASA)

Conhecemo-nos no ano passado quando ele ficou a liderar a minha volta. Com ele não distribuímos apenas comida, oferecemos Tempo, Abraços, Apertos de mãos, Beijos, uma palavra amiga, Sorrisos, Conversamos, Perguntamos, Ouvimos, Sabemos os Nomes, Ouvimos Histórias, Damos e Recebemos imenso!!! Aprendemos a não dar a volta, a não virar os olhos nem a cara, aprendemos a olhar nos olhos a sentarmos ao lado de quem vagueia pela rua e a sermos iguais.

No fundo somos todos iguais, apesar de uns terem mais do que outros somos todos feitos de genes, heranças, histórias, um passado, um presente, um futuro que ninguém que conhece, de medos, de receios, de ambições, de sonhos, de frio, de calor, de saudades, de fome, de desejoso e de esperança….

Nunca mais vou esquecer o Sr. Freitas com uns lindos e enormes olhos azuis atrás de uns óculos, cheio de mantas pousadas nas costas, com uma perna inchada, e a deliciar-se com o chá quente que lhe demos e a fazer-nos queixas das suas irmãs com um sorriso, enquanto brincava com o seu fiel amigo e companheiro Manuel, um homem que que deve ter sido um galã, com uma conversa gira, muito charmoso e que a vida sabe-se lá porquê o fez deixar ali. Ou a elegantíssima brasileira, de perna cruzada, com gestos delicados e tom muito educado que com olhos no chão recusou as nossas oferendas. Ou do Senhor Pastor, muito bem falante que em tempos tinha tido uma fábrica de jacuzzis na África do Sul e que nos que contava a trágica história da sua família antes de se deitar na pedra fria da Gare do Oriente.

Enfim uma noite dura, que deixa marcas boas e uma vontade enorme de repetir e de voltar a fazer tudo novamente.

Ao grupo que me acompanhou, Ana Coelho, Andreia, Mafalda, Alexandra, De La Vega, Diogo, Bento, António e Hugo só tenho que agradecer a forma como vieram de coração aberto e se dedicaram com tanto carinho a fazer a noite dos Sem Abrigo uma noite diferente. Amei ter partilhado isto convosco, assim como os risos a boa disposição, a indignação e a dor. Foi mágico para todos nós e espero que tenha sido por todos aqueles por quem passámos.

Beijinhos cheios de amor

Sofia