icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Trinta Mil depois

Ena finalmente chegámos aos 30.000. Bolas que luta tem sido, este número parecia um Oasis num deserto…via-se a fundo mas nunca mais se chegava perto. E foi sempre a sofrer até o ultimo minuto, mas assim também dá mais gosto e luta.

Bem nem posso continuar sem antes agradecer a todos o vocês o carinho que têm por mim e pelo projecto.

A todas as pessoas que me ajudaram a chegar até aqui. E que me apoiaram, que me empurraram que acreditaram em mim e no que faço. Gosto também sempre de agradecer às pessoas que tentaram fazer-me cair, graças a elas, cai, levantei-me, sacudi-me olhei para a frente e andei com muito mais segurança do que antes, sempre de saltos, sempre segura, tal qual Leonor quando ia à fonte.

Gostava mesmo de mencionar todas as pessoas que me ajudaram mas é difícil e porque vou ter que sair, mas prometo em breve fazê-lo porque não quero no stress esquecer-me de alguém e já tenho uma lista extensa.

Mas enquanto vou escrevendo um nome aqui e outro ali deixo-vos a oportunidade de ganharem um mimo do Diário de um Batom. Como sabem a Fotosport tem uma linha minha linda de morrer que é o meu orgulho, www.fotosport.pt e escolhi 2 peças para sortear – 1 bolsinha de maquilhagem que é fantástica em todos os aspectos e 1 caneca. Aproveitei para criar 3 blocos com as diferentes imagens do Diário de um Batom, assim 5 pessoas poderão ganhar mimos do Diário de um Batom.

No sorteio que farei por video digo o prémio e depois lanço os números pelo sistema Radom e assim vamos escolhendo os vencedores.

Fica em baixo o link que poderão participar desde agora, até domingo dia 1 de Setembro às 23h59. Desta vez os meninos também entram, até porque sei que me seguem e seria injusto coloca-los de fora. A única coisa que peço é que os seguires tenham destinos em Portugal (mesmo que estejam no estrangeiro participem peço só que dêem uma morada de cá)

https://docs.google.com/forms/d/1jWJh_6v3SN4121UQpZwXKC_iz9uI2mLqSq6l6a0aakU/edit?usp=drive_web

Beijinhos e boa sorte e mais uma vez obrigada por tudo

PS. Despachem-se a participar porque depois na 2ª feira temos o passatempo da www.escapeshoes.com

Relógio Biológico adormecido

Desde muito cedo que sonho com casamentos e filhos.

Aos 18 tinha tanta vontade de ser mãe, que chegava a ser doloroso. Cada vez que tinha uma criança no colo tinha que ir a um espelho ver como é que eu ficava e se combinava comigo.

Adorava crianças e estar rodeada delas. Ainda gosto, calma…mas hoje em dia confesso que me afastei desse apelo pela maternidade e há miúdos tão malcriados que prefiro distância apesar de nesses casos até ter um truque, não lhes ligo nenhuma e deixo-os fazer a gestão da nossa relação. Acabam sempre por se aproximar de mim e serem bastante calmos e carinhosos. Já vi pais surpreendidos das crianças estarem quietos a brincar comigo. 🙂

Voltando aos filhos, porque para mim continua a ser um problema e um assunto muito sensível, porque sempre desejei ter uma criança, mas depois de ter estado 7 anos com uma pessoa que não queria ter filhos, que me tentou influenciar ao máximo a não querer ter, e acabei por abdicar desse sonho, desejo, vontade, pela nossa relação, hoje em dia vejo-me numa situação ainda mais complicada que é de estar solteira. Para ter um filhos é preciso ser 2 lol, não é?

Acredito que as pessoas olhem para mim e acham que ser mãe está longe dos meus planos, mas na realidade está bem mais perto do que pensam. Só que eu estou com 38 e não sei quando vou conseguir ter as condições perfeitas para ter um filho. Para mim é importante o conceito de família, de união entre 2 pessoas que se amam. Não conseguiria ser mãe solteira, duvido ter a estabilidade emocional de aguentar uma gravidez sozinha….no mínimo a criança iria nascer paranóica e stressada lol. Hipocondríaca como sou?! teria uma azia e acharia que estava a morrer lol. Para isso prefiro esperar mais um tempo e quem sabe quando chegar ao meu limite ou penso em alternativas aos pai ou adopto uma criança.

Mas por todos estes factores não estarem a meu favor e há muito tempo que começo a acreditar que ter um filho não está destinado para mim que me afastei das grávidas, mães recentes e conversas de filhos é que na realidade as pessoas não sabem o quanto isto me custa. Obviamente que não é inveja de quem tem, porque fico mesmo muito contente, mas é uma dor uma incerteza de que eu provavelmente não terei essa felicidade de amar um filho de o ver crescer e de ter uma família.

Sou uma mulher de armas mas que usa imensas protecções, longe da vista, longe do coração. O que doí e magoa não se vê. Neste momento o meu coração é uma armadura que não deixa passar muitas emoções em relação às crianças. Tento não me apegar, não quero aprender, fico com medo de lhes tocar, etc. depois faço as tristes figuras que não consigo pegar num recém nascido, sento-me no sofá como uma criança, ponho os braços em posição e peço para baixarem a criança até eles e depois fico imóvel e quieta a olhar lol. No mínimo ridículo, prefiro ser assim do que me emocionar, ir abaixo e começar a lamentar-me do que nem sei se vai acontecer ou não.

E pronto foi este o meu desabafo em relação a filhos. Mas já agora fiquem sabendo que as crianças adoram-me e tenho acontecimentos estranhos com crianças de desconhecidos que ficam vidrados a olhar para mim, ou que vêm ter comigo do nada. Há uns anos um miudinho viu-me na praia e ficou sentado a tarde toda do meu lado, os pais disseram que não entendiam porque ele era muito tímido e não era comportamento normal. Há quem diga que os miúdos assim como os animais conseguem sentir as pessoas puras, vamos acreditar que sou uma delas.

Beijinhos a todos e principalmente a todas as mães, pais e famílias que têm a sorte de ter filhos. Uma força muito grande para as mães solteiras que passaram por tudo completamente sozinhas.

Sofia

Be Happy

No outro dia um rapaz perguntou-me: Nasceste a Sorrir? Ao que respondi claro que sim. E na realidade não é muito longe da verdade fui uma criança muito feliz e bem disposta e precoce também, aprendi cedo a falar, dançar a fazer teatros e a minha vida era sempre uma brincadeira e um palco. Fui realmente muito feliz. Até aos meus vintes e muitos acordava a cantar e era sempre a primeira, Arranjava-me toda e já estava a fazer qualquer coisa. A pintar, a dançar, a passear. Era e sempre fui sempre activa e bem disposta, fazia justiça ao apelido Miss Energia.

O engraçado é que hoje tento ao máximo manter esse padrão de felicidade, apesar de o dia a dia nem sempre ser favorável, mas se nos rodearmos de pessoas animadas bem dispostas, se fizemos coisas que gostamos o bom humor volta e com mais força do que foi. E ainda este fim-de-semana outra pessoa perguntou-me: “Mas tu estás sempre bem disposta?” ao que respondi que sim, mas obviamente sei que não.

Para quem não me conhece sou comediante e artista e por isso os ataques de tristeza são uma constante, alias como vocês podem ver muitas vezes. Mas há duas coisas que nunca me faltam quando estou doente, preocupada, exausta….é o apetite e o bom humor. Haja gargalhadas, piadas e sentido de humor para mudar o rumo dos nossos dias e claro que uma boa refeição.

Mas esta minha força nem sempre foi assim. Talvez por isso hoje em dia seja diferente, tento relativizar o que é mau para não me deixar ir tão abaixo, não minha idade uma mulher já não pode perder o sorriso, as rugas de expressão já não são desculpa lol. Parte da minha vida tive medo de ser feliz. Achava que merecia sofrer e que tudo de bom acontecesse de seguida viria algo mau que poderia até ser pior (chamava a lei da compensação) e apesar de ainda ter um bocadinho dessa superstição estou muito melhorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr. Depois veio uma maldita de uma depressão aos 28 anos (10 anos atrás) e só me apetecia dormir, chorar, não acordar e morrer. É horrível, medonho. Passamos de uma alma livre para uma alma negra e sombria. Devo ter envelhecido anos de vida esses anos. Lembro-me de andar curvada e sempre de cabeça baixa. Sorrir era uma obrigação e um luxo dos resolvidos. Eu era um problema, um sufoco, uma urtiga no meu próprio destino. Queria lá saber dos problemas do mundo e das pessoas com histórias graves. Fechamo-nos numa redoma de culpa, de egoísmo sofrido que a única coisa que importa é a nossa dor que deixa de ser de um problema de um pormenor e passa a ser um problema com tudo. Tudo é mau, tudo é grave tudo é motivo para pensarmos….vou matar-me. Seja a colher fora do sitio, não termos roupa interior lavada (fica-se inútil também), o amigo não ligar..o amigo ligar, o telefone ficar sem bateria, etc e mais exemplos pequeninos que passam de inúteis e a drásticos).

Então talvez por isto e por outras coisas e o facto de ter aprendido a querer, a gostar e fazer de tudo para ser feliz, eu o seja. Até porque hoje acredito mesmo que mereço e viver sem essa condição não é tão bom.

Por isso hoje vou continuar a sorrir e a fazer de tudo para continuar a atrair coisas boas e bons momentos e pessoas maravilhosas e deixo aqui um beijinho enorme e um sorriso de esperança para todas as pessoas que ainda estão a lutar para sair da depressão

Beijinhos enormes  e sorriam muito e sempre

Sofia

PS. Lutem mesmo, porque a depressão é género carraça, ficar, agarra-se, dá febre e pode matar por dentro qualquer pessoa

 

Sexo a Cidade e um outros egos Mais

Eu sei meninas desculpem….eu sei que falo muito neste tema e nesta série, mas com o regresso à televisão é impossível que não comente. Até porque há 10 anos atrás quando começou, começo a entender que afinal não entendi metade do “belo” que a série tem.

Quando olhamos no geral, ou quando se fala em Sexo e a Cidade o que nos vem à cabeça é as roupas, os sapatos e a amizade entre 4 amigas. As mulheres começaram a ser mais desinibidas com as relações com as suas amigas, mais extrovertidos e tentavam sempre relacionar-se com uma das personagens da série. Os homens entraram em pânico, lol porque entenderam que afinal as mulheres falavam mais da vida intima e pessoal que eles alguma vez o fizeram.

Mas o que mais me tem prendido à serie, apesar da roupa e dos looks não estarem nada desactualizados e continuarem a ser uma inspiração para mim, principalmente a Carrie Bradshaw, são sem duvida os textos e os conteúdos tão fantásticos que poderiam ser tirados da minha vida neste momento. Há dias que parece que estou num episódio e outros em que escreveram sobre mim.

(aqui faço um parêntesis à actualidade da serie em relação à depilação. Já viram o quanto evoluímos desde essa altura. Será que que quando vimos a serie pela 1ª vez as nossas depilações era menos evasivas? menos intensas? menos desbastadas? Até para a Samanta que de todas, ninguém tem dúvidas que é a mais desinibida, ficava ofendida quando sugeriam que fizesse um pouco de depilação nas virilhas. Pelo menos em Portugal, passados 10 anos tanto as mulheres como os homens voltaram a estar como vieram aos mundo….sem pelinhos “pudicos”, ou com uns pompons, ou brilhantes, ou tatoos etc. Bem dita a depilação e bem dita o Sexo e a Cidade!!! 3 Vivas!!!! Viva….Viva….Viva)

Talvez por ter agora a mesma idade que as personagens, sinto-me ainda mais próxima com as mesmas duvidas, amores, desamores, valores, medos, receios, disparates, inseguranças e claro que com a mesma paixão pela moda…uma moda mais acessível, felizmente.

Mas ontem estava a olhar para as 4 amigas a conversarem no café e comecei a rever-me na Charlotte, na Miranda e na Samanta e comecei a pensar até que ponto os egos, as personalidades, as ambições, as esperanças, as fantasias, etc daquelas mulheres um bocadinho de todas nós. Que ao invés de nos revermos numa única personagem, tenhamos um pouco de todas dentro de nós?!

A inocência da Carrie, o romantismo da Charlotte, a insegurança da Miranda e a loucura da Samanta? Pensem nisso, vejam hoje um bocadinho e tentem-se desprender das semelhanças físicas, sociais das personagens e olhem para o conteúdo….façam isso por favor….porque se não chegarem à mesma conclusão que eu quer dizer que tenho que procurar um psiquiatra porque tenho não dupla, não tripla, mas excesso de personalidades lol, quem sabe hoje ainda descubro um Big e um Aiden dentro de mim (nunca mais pinto moveis, nem fumo charutos lol)

Bem beijinhos, acho que se está a ficar mau tempo e ainda quero ir correr, quem sabe ainda estreio a minha mini gabardine nova. Very Ny Style.

Beijinhos enormes e malucos

Sofia

Truque para os dias Nhos Nhos

Hoje vou ensinar-vos um truque para animar os vossos dias, mesmo nos mais difíceis.

Custa apenas um movimento, um toque, um play. Não precisam nada de muito elaborado porque felizmente graças à internet temos acesso a tua e a maior parte das vezes é de graça.

Ontem depois de escrever a dedicatória da minha menina fui-me muito a baixo e hoje ainda sinto a tristeza do que escrevi. Apesar de achar que os lutos são importantes e andar para a frente é essencial para apoiarmos quem fica. Neste momento na minha vida tenho muita gente que conta comigo (quase 30.000, que responsabilidade!!!!). E como dizem os brasileiros é Bola para a Frente e aqui vou eu jogando a minha da melhor maneira que posso.

Por isso hoje preciso de tudo, de mimos, atenção, que me digam que estou bonita, de não me sentir sozinha, que as minhas amigas se lembrem que eu existo, de me sentir mulher, de seduzir, que me agarrem, enfim, etc. Preciso de me sentir viva. Mas como as minhas carências não têm botão que aparece tudo o que preciso ou que quero, lá vou eu ter que fazer por mim, assim como vocês devem fazer o mesmo. Todos juntos “SE EU NÃO GOSTAR DE MIM….NINGUÉM GOSTARÁ! 🙂

Nestes dias mais nho nhos temos que ter na manga ou nos bolsos alguns truques para nos poderem bem disposto e apesar de amanhã ser um novo dia, nunca deixo para amanhã o que posso fazer hoje e o antes tarde do que nunca é um ditado que já morreu.

Uma das coisas que mais gosto é de dançar. A minha ligação à musica é muito grande, tanto a nível vocal como, físico e emocional. Por isso, façam agora mesmo uma lista das vossas musicas musicas favoritas. Aquelas que vos fazem saltar, dançar, gritar, sorrir, e cantar muito alto, estejam em casa, no chuveiro, no escritório (como estou eu agora a rodopiar a minha cadeira) e no carro (adoro….figura de louca).

E oiçam agora, amanhã, quando precisarem e sempre vezes e vezes sem conta até se sentirem bem dispostos, poderosos, felizes, sensuais e desejados.

Este é um dos meus truques o outro é fazerem outra que vos faça mesmo, mesmo felizes e que não precisem de mais ninguém para vos acompanhar. Eu adoro estar na natureza, na praia, no campo, com os meus animais a dançar :). Por isso é so escolherem o que é melhor para vocês desde que sejam felizes pode ser qualquer coisa.

Beijinhos e divirtam-se com a minha lista de musicas levanta astral!!!! Com esta escolha toda o que eu já dancei, cantei e abanei a cabeça, o post acabou por me fazer bem 🙂

1 –

2 –

3 –

4 –

5 –

6 –

7 –

8 –

9 –

10 –

11 –

12 –

13 – 

14 – 

15 – 

16 – 

17 – 

18 – 

19 – 

20 – 

e muitas mais que agora nem me lembro 🙂 e obrigada ontem pelas dicas

Minha querida DM

Tenho andado a evitar escrever sobre ti, mas como podes calcular é impensável não faze-lo.

Hoje coloquei de parte as desculpas e talvez por ser o dia de ir buscar o pouco que resta de ti à Fundação São Francisco de Assis, achei que tinha mesmo que ser.

Estou muito emocionada apesar de continuar estranha, sem sofrer e sem grande choros. Para ser sincera não penso muito que te foste, penso que estás no vet, ou que estás noutra divisão a dormir. Mas sei que o teu respirar pesado de um ressonar amoroso não está mais em casa….sei, porque fui eu que ouvi o penúltimo e o ultimo suspiro. Não havia mais nada a fazer e deixar-te a sofrer era impensável. Foi das coisas mais difíceis que fiz, porque desta vez, ao contrário da minha cobardia com todos os meninos que tive que decidir pelo adeus, contigo decidir ficar até ao fim. Ainda tenho na memoria aquele ultimo momento em que deixei de te ouvir e olhei para a veterinário que com um lever baixar de olhos deu-me a entender que já tinhas partido. Entre um choro descontrolado gritei para dentro de mim:”Não!!!!!!! volta para trás….não tenho certeza….não quero que vá”, mas no fundo sabia que não havia mais nada a fazer….desculpa minha querida, desculpa, mas foi Deus que me colocou nesta posição, era incapaz de fazer alguma coisa para te magoar

Há 16 anos entraste nas nossas vidas de uma forma peculiar e original. Foste a primeira cadelinha que tive na vida. Tanto que já tinha pedido aos meus pais por um cão, mas só naquele final de dia em que tropecei em ti a dormir no tapete é que o meu desejo se realizou. Deus escreve direito por linhas tortas e tinha chegado o momento de fazer aquilo que me estava destino, ajudar tantos outros animais, cães, gatos, pássaros e pessoas (muito dos animais com que não fiquei fizeram felizes muitas famílias), e tudo num só abrir de porta. Eu abri-te a minha porta e tu abriste a porta a todos os outros.

Ainda me lembro do que chorei em casa da minha querida Rita Ribeiro, dona da Moya (tinha que falar na tua grande amiga que hoje deve estar contigo a brincar) quando decidi ficar contigo….foi de baba e ranho mesmo. Tinha medo de falhar, de não ser responsável, de me fartar e no entanto foram 16 anos de companheirinhos, amizade, carinho, dedicação que demos uma à outra.

Para além de tudo, graças a ti tivemos a Taxinha, que foi praticamente uma filha para mim e um exemplo de força que nunca pensei ver na vida. Uma menina perfeita por fora e tão rara por dentro. Com um Mega Esófago que nenhum medico sabia tratar e com uma prazo de vida tão curto e que acabou por surpreender a todos quando chegou aos 10 anos de vida. Como disse um grande especialista inglês em clínica geral quando viu o Raio X, “é impossível este cão estar vivo”…..estava vivo e era um milagre da natureza. Mas outro dia falo da Taxinha até porque nunca escrevi nada sobre ela e passados 3 anos ainda tenho as coisinhas dela espalhadas pela casa.

Mas tu foste a minha grande companheira, dos encontros com os amigos, das viagens, dos passeios de patins, das idas à praia, às  compras ao Oeiras Parque, em que eras conhecida em todas as lojas e as meninas ficavam contigo enquanto eu comprava roupa. A minha companheira de Algarve, de férias de trabalho, de caminhas em Sintra. A minha amiga mais próxima quando chorava, ainda há pouco tempo quando eu chorava pela perda da Maria Cão, tu sentias e vinhas ter comigo e ficavas encostada a mim até eu parar. Sempre estiveste lá para tudo, nos bons, nos maus momentos.

Eras uma menina prognata que toda a gente achava que ias morder, era tão engraçado ver o teu ar pacifico vs o ar de pânico das pessoas….”cuidado ela está a mostrar os dentes” lol….Às vezes nem explicava e iamos embora a rir.

Conheceste as minhas várias facetas e crescemos juntas. Foste o meu apoio durante a minha maior fase de fraqueza e de tristeza. Nunca me falhaste em nada. Foste o mimo dos Clientes e de todos os Correios de Portugal. Foste o cão com o nume mais tolo de Portugal que nenhuma criança conseguia prenunciar e era impossível explicar o que significava DM.

Já agora explico: Um dia ao chegar ao escritório, reparo que o carteiro tinha um cãozinho dentro do carro. Por ser uma apaixonada pelo o “Pet o Carteiro” achei amoroso. O dia passou-se como qualquer outro, mas no final quando estava de saida tropecei em algo que ganiu. Fiquei tão contente, era uma cadelinha linda, muito suja, muito magrinha, brincámos imenso, mas tive que ir embora. No dia seguinte, que era sábado, o meu pai ligou-me “ela está aqui!!! ainda não foi embora”. Acho que nunca me levantei e arranjei tão depressa e fui comprar tudo, estão tão perto de realizar o sonho de ter um cão. Com os tempos foi ficando e fomos levando para casa e foi a princesa da família, No Natal jantava connosco bacalhau, dormia comigo na cama, com o meu pai no sofá. Andava mesmo para todo o lado., Todos os Clientes da empresa conheciam-na e muitos enviavam presentes, por ser sempre a funcionário do mês. Dm é uma abreviatura para Direct Mail uma sigla dos CTT. Somos uma empresa de markting directo chamada Directimedia…a DM fugiu do Carteiro e anos mais tarde veio a ter um caso com o cão do motorista dos Correios que nasceu a Taxa…de taxa paga.

Éramos jovens e não pensávamos no futuro. Tadinha ficou sempre associado a um nome tão pouco feminino, mas ao menos era único e original

O bom da Historia é que a DM fugiu de um homem muito mau que a tratava muito mal e os carteiros que sabiam da sua nova residência e nunca a denunciaram porque sabiam que ela era feliz connosco e nós com ela. E assim foi durante 16 anos. Linda, amiga, tudo o que um dono pode querer. Tenho milhares de histórias engraçadas na minha cabeça e memorias boas. Assim como ser uma cadelinha que conseguia sentir a Via Verde de longe a kilometros de distancia e nem a Via Verde conseguia entender o que se passava, mas ela lá sabia porque ficava possuída, descontrolada dentro do carro.

Mas acho que já me estou a perder nas recordações e nem sei bem ao certo se disse o que realmente importava. Hoje recebi a tua caixinha minha querida e voltas novamente para junto de mim e de todas as outras caixinhas do que já partiram. A Pantera, o Pirata, a Taxinha a Tisha e a Maria Cão estão todos à tua espera para correrem muito e continuarem a tomar conta de mim.

Talvez não chore tanto como devia porque não te senti partir, porque sei que sofreste pouco e que tiveste uma vida cheia de amor que foste salva a tempo de nos dares tudo o que nos deste. Tambem para ser sincera não estava espera que fosses tão cedo, tinha planos para mais 1 ano de vida.

A Maggie sente muita a tua falta e procura-te muitas vezes. Da-lhe um beijinho durante o sono para ela se sentir mais protegida

Obrigada meu anjo minha estrela e até sempre

Sofia e familia Novais de Paula, Pipa, Maggie, Magoo, Spyder, Bibi e Francisca

Beijinhos

 

Os pés do Seara

Hoje ao passar pelo Cartaz do Seara o mesmo deixou-me a pensar.

Ele deu com os pés à Judite de Sousa e agora quer levá-los para Lisboa. Será justo, podemos confiar nesta nova aposta? Os pés sujos pela traição, as mentiras, as mensagens desonestas (segundo a traída), são os pés que devemos confiar e votar?

Mas o que realmente me deixou a pensar, até porque não voto em Lisboa e com o mal da Judite Sousa posso eu bem, foi mais uma vez nas relações. De certeza quando o Seara a conheceu achou-a o máximo e tudo era perfeito e mulher era fantástica, etc, mas à medida que as pessoas se vão revelando e conhecendo vão passando de bestiais a banais.

O mais estranho dessa probabilidade é que deveria ser ao contrário. Mas o ser humano é um ser estranho e nos dias que correm é muito exigente e à medida que a relação avança, as qualidades passam a defeitos, o orgulho passa à rotina e vários bla, bla, blás, depois estão as traições e os desejos pelas outras mulheres e homens.

Mas se nem a Judite Sousa que se achar óptima jornalista (apesar de muito recentemente ter provado o contrário e que provou que mesmo o melhor profissional quando se sente traído é f….lixado), está a salvo imaginem nós que nem temos um programa importante na TVI?!

Valerá a pena tudo isto pela intimidade com a pessoa que amamos? Não valerá mais a pena termos relações, namoros, e casamentos com estranhos, sem nunca passarmos do entusiasmo dos primeiros encontros, assim mesmo que não dê certo ninguém nos viu nos momentos mais vulneráveis, sensíveis, íntimos e inimagináveis como algumas das necessidades naturais e físicas.

Será que para haver amor eterno e que um casamento dure para sempre, mais vale que as pessoas nunca cheguem a ser íntimos ou a partilharem os seus momentos, sonhos, dúvidas inseguranças? Mais vale então nem viverem juntos se isso irá custar os seus votos e promessas.

Agora consigo entender o que uma amiga minha querida dizer, há muitos anos atrás: Sofia, não partilhes tudo no primeiro encontro, não contes os teus problemas, diverte-te. Hoje em dia não gosto de falar de mim e aos poucos vou revelando quem sou e quando o faço fico sempre arrependida, porque deixo de ser especial e diferente para ser humana e descobrirem que por trás dos saltos altos confiantes, eu também já levei com os pés e que doeu e que ainda hoje sofro com isso. A minha sorte é ser uma mulher sensível, inteligente e nunca ir descarregar no primeiro Lorenzo que me passa pela frente. Posso ser sofrida mas não sou f….lixada.

Beijinhos minhas amigas e meus amigos, votem bem….desculpem durmam bem e de preferência sem ser com os pés de fora

Sofia

 

 

 

Mulheres Celtas

Hoje a minha mãe enviou-me um email com um Power Point sobre Mulheres Celtas e ela escreveu-me a seguinte mensagem: “Espero que seja assim :)”

Como não consigo partilhar o PP transcrevo o que recebi porque tal como a minha mãe, espero que se vocês não forem assim, que pensem em ser. No amor não precisam ser submissas, quem vos pede isso é porque não vos ama….bem mas vou deixar que as mensagens em baixo para que tirem as vossas próprias conclusões 🙂

Continuar a ler

Marrocos nos nossos Cabelos

Bom Dia Minha gente!!!!

Volto a estar muito contente com o meu cabelo e amanhã mostro-vos os produtos responsáveis por isso
Por agora partilho convosco uma novidade da Primark que tem feito as minhas delicias. Um óleo de Argan vindo de Marrocos para lubrificar os nossos cabelos.

Basta um bocadinho e fica lindo e não o deixa gorduroso. É claro que quem tiver cabelos oleosos não deve colocar na raiz, apenas nas pontas. Fica um cheirinho incrível a Marrocos e especiarias nos cabelos.

Custa 2,5 € e estão ao pé das caixas.
Beijinhos e Bom Dia
Sofia

Malas a bagagens

   Quando era miúda adorava fazer malas. Bastava saber que ia de férias que começava com 1 mes de antecedência a colocar tudo de parte. Chegava a fazer lista da roupa, dos sapatos acessórios que levava era o caos total. O meu quarto tranformava-se na própria mala lol. Depois na vespera de tudo muito organizado e fechado o meu pai entrava no quarto e dizia-me….não está a pensar levar isso tudo?! lol…metade. às vezes chegava ao cumulo de me revistar as malas para tirar o que tinha excesso.

Sou escorpião e o lema de uma viagem “É melhor a mais que de menos :)”, nunca se sabe.

Felizmente há medida que fui crescendo fui conseguindo ser mais prática e eliminar algumas coisas, infelizmente nunca é o suficiente.

Continuar a ler