icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Homem Perfeito vs Mulher Sonho

Sempre que estou com um amigo meu penso “Bolas este era o homem perfeito para mim!!!”. Mas depois cada um vai à sua vidinha e acabo por esquecer esse pequeno pormenor. Sinto um enorme carinho por ele e muito respeito pela sua família, mas não deixo de sentir que se fosse uma pessoa disponível eu iria com certeza ser uma das pretendentes

Apesar de saber que não há pessoas perfeitas e preciso explicar isso antes que alguém comece a barafustar, as pessoas podem ter determinadas características que as posicionam numa posição agradável em relação a nós, por isso, digo que é perfeito independentemente dos seus defeitos que deve ter de certeza como qualquer pessoa.

Continuar a ler

Rêverie Summer

Vejam que linda que é a colecção da Rêverie.

Esta marca mudou a minha vida, porque até então eu não ligava nenhuma a lingerie, apenas procurava conforto.

Agora quero tudo, conforto, elegância, sedução. Quero tirar a roupa e continuar a sentir-me sexy apenas de lingerie.

Por isso mostro-vos mais uma vez a colecção de Verão, chamando a atenção para 1º modelo, igual ao meu, super sexy principalmente para uma noite romântica a 2.

Acho que nenhum homem resistirá a esta tentação, e vão todos fazer “Ai Ai” não fosse esta a linha suspiro da marca portuguesa

Continuar a ler

Lemon Jelly – Uma Marca Portuguesa

Lemon Jelly é uma marca tão gira como o nome indica.

Para grande surpresa é uma marca Portuguesa e com certeza absoluta que é excelente, até porque estamos a falar de sapatos e é uma área em que dominamos completamente o mercado e o mundo.

Os Lemon Jelly são novos e vão estrear-se na próxima estação com estas galochas encantadoras, completamente diferente nos acabamentos, cores e pormenores.

Continuar a ler

Dança Aérea

Estava entusiamadissima com a ideia de ir subir a um trapézio, mas quando cheguei ao Workshop de Dança Aérea na Jazzy no evento I’m a Woman o medo começou a interferir. 1º disse “já começaram! Não faz mal….”, ao que a professora Rose, uma brasileira pequenina como eu, mas muito bem tonificada disse “entra, vens a tempo” (bolas não tinha funcionado). Rose perguntou-me: Estás aquecida? (yes, não estava). Não faz mal, faz 30 abdominais ali no canto.

Enquanto tentava manter um ritmo simpático nos abdominais, via as minhas colegas a subir e a descer do trapézio entre medos e entusiasmos e muitas palmas para estimular a conquista. Comecei a ficar impaciente…afinal também queria estar ali a combater os meus medos. Ao vigésimo e dois abdominais (na esperança de terminar mais cedo disse)^: já fiz 22!!!!!! E a professora disse, boa, só te faltam 8 (lol), tramada mais uma vez, mas gosto de exigência e que puxem por mim.

Terminado os abdominais, fui para a fila do trapézio o passo agora já estava mais complexo, tínhamos que subir, sentar, e tirar as mãos da corda numa posição muito elegante. A ansiedade, o medo, o receio e a vontade tomavam conta de mim, já só queria ir lá para cima.

Na 1ª tentativa não consegui apanhar o trapézio. Nada de grave, tentava mais uma vez e se não conseguisse saia de fininho e juntava-me ao workshop de dança do Ventre da minha querida Yolanda Rebelo. Nem tudo estava perdido.

Mas na 2ª vez que me lançaram no ar, agarrei a barra e sabia que estava lá e que ia adorar. Dobrei as pernas e sentei-me no trapézio. Que sensação boa, não queria descer mais, queria ficar ali a explorar todos os cantos e possibilidades. Fiz tudo o que me foi pedido, sentei-me de lado, soltei as mãos e desci elegantemente. UAUUUUUUU, fiquei eufórica sai da aula a correr e a dar pulinhos de vitória. Liguei ao meu irmão a contar a novidade, parecia uma criança. A aula estava tão calma até eu ter chegado.

Os exercícios foram ficando mais difíceis, mas não menos estimulantes. Ficar em pe, abrir os braços. Ficar de costas em espargata de braços abertos presa pelas costas. Ficar de cabeça para baixo numa pose muito elegante. 

Nessa altura a Yolanda da dança do ventre juntara-se a nós e era mais uma mulher aos pulinhos e feliz por ter conseguido fazer o impensável e sem tirar o cinto das medalhas ainda parecia mais contente.

Estávamos rendidas ás acrobacias que até à data associávamos ao circo, mas agora entendíamos a vertente do espectáculo, da elegância, do equilíbrio e da força. A minha querida Yolanda que foi minha professora, que é minha amiga de coração partilhava comigo uma emoção forte, uma ideia, uma Vitoria.

Entendemos rapidamente que isto seria algo a continuar, por todos os motivos e pelo trabalho de corpo que acabaríamos por fazer (bem ela na realidade não precisa). A tonificação abdominal, nos ombros e no rabo 🙂 seria perfeita para qualquer praia deste pais.

Terminado trapézio, passamos para o pano vertical, que o que tem de lindo visualmente, tem de difícil. Aqui não temos o suporte da barra e das cordas, mas apenas de um pano que funciona conforme o nosso corpo manipula. É preciso muita força e jeito para subir, suspender. Os exercícios foram feitos as fotos foram tiradas, mas o corpo ficou moído e doloroso.

Agora em casa a ver se amanhã não tenho mazelas e cansadissima do dia que tive, continuo apaixonada pela ideia

de voltar ao trapézio. Vou ter que esperar para saber os horários que a Jazzy vai disponibilizar para esta disciplina e inscrever-me de imediato

Hoje foi um dia em que mais uma vez a frase “não consigo” foi substituída por “VOU TENTAR“. O não, o insucesso está sempre garantido, mas a vontade de tentar de superar dá-nos grandes surpresas na vida.

Beijinhos e tentem tudo antes de desistirem

Sofia

Mudar de Vida

Tenho andado impaciente comigo mesma. Perdi o controlo sobre imensas coisas e principalmente sobre mim. Deixei de ter horários para comer, de dormir, deixei de ter forças fisicas, sinto a cabeça dormente e ando demasiado triste para meu gosto.

Hoje deu-me para isto e estou furiosa comigo, porque me deixei completamente abandalhar. Deixei de fazer desporto porque estou fisicamente demasiado cansada, deixei de arrumar a casa, porque chego a casa e deprimo no sofá, etc. Sempre fui uma pessoa de fazer e não deixar para amanhã e esta pessoa que sou hoje em dia não a reconheço. Tenho que voltar a ser o que era.

Na realidade as coisas não têm andado fáceis e o facto de trabalhar a toda a hora não ajuda, assim como chegar a casa às tantas da noite, não ter paciência para cozinhar e “desmaiar” no sofá é o meu dia a dia. Claro que resume-se a um acordar tarde e torta e sem vontade para nada. Eu sei que quem vê de fora não percebe nada disto, mas eu sinto na pele o quando me custa muitas vezes levantar o braço, quanto mais limpar a casa, ou arrumar.

Para ajudar à festa os sonhos constantes (de uma cabeça que não pára um segundo de pensar) a rinite cronica não me dão o melhor dos sonos, mas seria sempre melhor estar na cama do que num sofá de luz ligada na cara e com a televisão a conversar a noite toda.

No entanto apesar da minha glamorosa actividade e dos bons resultados na minha vida profissional e pessoal, emocionalmente sinto-me fraca, triste, em baixo e sem brilho. Aumentei de peso e por muito que me digam que estou magra eu não me sinto bem. Gosto de usar roupa justa e sinto-me uma Kim Kardashiam e não gosto desse exagero. Estou a perder massa muscular porque estou sempre a arranjar desculpas para não ir ao Ballet, correr ou fazer exercícios em casa e acho que qualquer dia com este mau dormir vou acordar cheia de rugas e não convenço mais ninguém que tenho 20 anos lol.

Mas ontem houve mais um clic na minha vida, que mais uma vez me deixou muito triste e em baixo e claro a ter imensa pena de mim. Dormi de cabeça quente e muito aborrecida com os outros e com promessas e juras de nunca mais me envolver e de ter cuidado e das expectativas e etc, devo ter sonhado só parvoíces que felizmente nem me lembro, mas que me deixou de rastos toda a manhã. Aos poucos fui acordando para a vida graças a uns estímulos profissionais que é o que me move e que me faz sorrir hoje em dia. Então depois de fazer mais um video, de ter um almoço de negócios com um casal lindo (Mónica e Rubim) e depois de ter lamentado um pouco da minha vida….pensei “bolas” estou toda errada, ando a fazer tudo mal. Deixei de gostar de mim ao perder a força de vontade que tinha. Ando à espera de um romance para que alguém me ajude a ter regras, a comer melhor, a ter tempo a que acorde cedo e tantas outras coisas que faço mal. Ando a sofrer por não ter ninguém, porque me sinto sozinha quando me isolo de toda a gente. Sento-me à espera que me procurem, que parem o autocarro à minha frente para eu entrar. Não pode ser!!! Vou fazer pela vida, vou mudar alguns hábitos e vou voltar a ter a garra que tinha dentro de mim. Pensar, fazer e acontece é o ritmo, sem medos e sem receios porque tudo o resto está provado que consigo. Se não sou especial para ninguem que ao menos seja para mim. Se o sonho comanda a vida, eu vou fazer parte dele!!!

E ao contrário de que todos pensam que estou cansada porque trabalho demais é mentira. Cansa-me mais depressa estar sem fazer nada do que fazer o que gosto. O que me cansa e destrói esta minha cabeça e força, é as dormidas no sofá, as idas para cama a meio da noite o não conseguir adormecer, etc. Isso sim, perdi o tino e quero voltar a ser uma miúda saudável com força, desportista com bom astral que sempre fui e que não está sempre a fugir a tudo e arranjar desculpas para não fazer nada

Hoje é o dia que começo a trabalhar-me, a mimar-me e a ter tempo para mim e para as minhas coisas. É a altura em que vou mesmo decidir tirar umas férias para descansar mesmo que seja sozinha. Quero ver coisa giras e conhecer pessoas novas.

É o dia em que vou fazer um plano alimentar e tentar cumprir ao máximo.

Hoje é o dia em que vou planear arrumar a minha casa e terminar o que ficou a meio. Limpar o espaço e mudar algumas coisas.

Hoje é o dia em que partilho convosco que quero mudar e que gostaria que mais pessoas aproveitassem a minha explosão para fazerem o mesmo. Precisamos de nos organizar, estruturar, de ter força e coragem. Somos lutadores e conquistadores por natureza e por gene, não podemos deixar cair na tentação da depressão.

Eu hoje começo a mudar!! e vocês?

Beijinhos grandes

Sofia

 

 

 

 

Passatempo Diário de um Batom e Lavand

Passatempo Diário de um Batom & Lavand

Faz like nas 2 páginas: www.facebook.com/diariodeumbatom e https://www.facebook.com/panodefundo?fref=ts

Lavand é uma marca muito romântica e elegante, mesmo ao estilo do Diário de um Batom e das nossas seguidoras. Escolhi um conjunto que achei perfeito para este Verão e que pode ser teu.

Só tens que te Inscrever no link em baixo preenchendo o formulário  (só são consideradas as inscrições no link) e escrever uma frase que inclua a marca Lavand e Verão

https://docs.google.com/forms/d/1yoFoD0QIv9OhMm3bSCRJ8OQCOusQWnAPuW3g0zGYowg/edit?usp=drive_web

A partir do dia 25 de Julho será publicada a melhor frase da vencedora!!!

Atenção:

Só podem participar mulheres desde que tenha morada em Portugal

Não é permitido participar mais do que 1 vez com o mesmo perfil.

Passatempo a decorrer de 22 Julho a 29 de Julho e o resultado será partilhado a partir do dia 25 de Julho

Desejo-vos muita sorte!

Beijinhos grandes

Sofia e Lavand

 

I’m a Woman 27 e 28 de Julho

Eu sou mulher e adoro ser mulher.

Graças a esta condição, a este maravilhoso género, tudo nos é tão mais fácil. Apesar de alguns contratemos mensais somos capazes de fazer milhares de coisas aos mesmo tempo, ter forças mesmo para o que parece difícil, suportamos bem a dor e não temos medo de gritar, para além disso somos sensuais e podemos seduzir até doer.

E por isso e por tantos outros motivos, a Jazzy decidiu fazer um evento (e já vamos no 3º) só dedicado a mulheres que não têm medo de seduzir, de se defender, de voar e estar preparada para tudo, até arrasar.

O I’m a Woman é uma oportunidade de várias mulheres juntas, no mesmo espaço, sem homens presentes, partilharem de um fim-de-semana divertido, sensual, único e diferente, onde os seus limites serão ultrapassados com boa disposição.

Vejam o programa do fim-de-semana

o workshop de maquilhagem é dado por mim 🙂

 Beijinhos e até Jazzy

para mais informações enviei email para eventos@jazzy.pt ou acedam ao blog http://imawomanjds.blogspot.pt/

Meu querido Porto

Pois é hoje terminou a minha participação como professora da Pós-Graduação de Moda e Consultoria de Imagem no IPAM Porto.

Estou a deixar para trás uma cidade maravilhosa cheia de pessoas boas, simpáticas e hospitaleiras. O sol marca a hora da despedida aquecendo as boas lembranças e a musica no taxi e vista da Ponte foi a perfeita banda sonora para me deixar emocionada.

O Porto não é uma cidade qualquer para mim É um destino que me leva à minha infância em que brinquei e cresci em casa dos meus avós (de quem tenho muitas saudades) em Leça do Bailio. Fui muito feliz, rodeada de pessoas humanas e muito humildes, com contrastes marcantes e sedutores. As vozes roucas do povo são quentes e carismáticas. Deixam sempre marcas na nossa estadia pelas suas expressões e carinho. Os cheiros e as cores do Bulhão continuam a fazer parte das minhas lembranças mais pitorescas, assim como as idas à feira, o jardim e quintal da minha avó, a laranjeira carregada de laranjas, a pereira imperial, o tanque de pedra áspera a cheirar a sabão azul e branco, as couves com as gordas gotas de orvalho da manhã, as simpáticas galinhas que eu tentava domesticar, e tantas outras coisas, não menos importantes que me deslocam a uma época tão simples e feliz da minha vida.

Aproveitei esta ultima vinda para visitar os meus tios, noutra zona da cidade mais glamorosa e ostensiva. Foi emocionante carregar na campanhia do emblemático mil e nove e ouvir a voz do meu Tio, “Está sim?” É a nossa Sofióta?”. Quis subir a rampa a correr para chegar mais depressa, mas o corpo impedia-me de perder todos os pormenores da casa. Lembrei-me de tanta coisa e foi tão bommm.

Foi tão bom entrar num sitio que parece que ficou no ultimo dia em que parti. Nem mais, nem menos uma coisa, estava tudo igual ao que tinha deixado da ultima vez. Os cheiros eram os mesmos de sempre, as cores, os quadros, os tecidos. Apenas o chá passara a ter gelo e limão junto ao Earl Grey do costume. Eu querida ouvir as conversas, saber das novidades, falar de mim, mas os meus olhos percorriam por tantas lembranças que era quase difícil parecer concentrada. Ri-me ao lembrar-me das inumeras vezes que obriguei o meu irmão a casar-me com o filho de um amigo da familia ao som de um piano pesado e desafinado. O ambiente era perfeito! Eu podia não saber ainda contar, mas já sabia dizer “sim aceito” e vamos ser felizes para sempre lol. Pela tortura que fiz passar os 2 rapazes devo ter sido castigada porque agora que já sei contar até mais do que 10, não consigo dizer “I DO”.

Ri-me a lembrar-me das tolices que o meu tio inventava sobre as figuras do jogo de Xadrez. As brincadeiras com as portas de correr. Os cães que nos receberam, as araras e o Louro que nos diziam “Oláaaa” sempre que entrávamos na cozinha.

Apesar da vida continuar, todos estes momentos vão fazer parte de mim e da minha vida.

O Porto para mim, nesta altura da minha vida é uma mistura entre lembranças perfeitas, experiências e novos desafios contagiantes como dar aulas, conhecer pessoas novas, ultrapassar barreiras e algumas timidezes.

Foi um caminho feito de cá para lá e de lá para cá que me brindou com tanta coisa boa que quase me atrevo a dizer que o Porto foi a minha fuga, o meu canto, o meu destino de eleição. A obrigação às vezes tem destas coisas, torna o que parece longe numa certeza e numa vontade. Claro que não me posso esquecer das viagens no comboio Alfa a romantizar sobre o encontro perfeito, sempre acompanhas de refeições fantásticas servidas com imensa simpatia, para esquecer o destino de partir e chegar sozinha. Às vezes com sorrisos e coincidências pelo meio, histórias engraçadas para contar, mas ao fechar as portas automáticas e o barulho do comboio desaparecer por entre a linha dos carris, nada mais havia para dizer ou sonhar. Para a frente era o caminho e havia muito trabalho para fazer.

Hoje ao acompanhar o Douro por entre barcos e uma Ribeira convidativa, tive medo de dizer adeus porque não quero que o Porto seja um adeus para sempre, mas um até breve recente. Prometo contrariar a minha inercia e desculpas de que agora não dá muito jeito deixa ver para o mês que vem….Prometo não vir e chegar a correr e da próxima vez desfrutar um pouco mais da terra, do que da vista que vejo a passar das janelas dos carros e dos comboios.

Beijinhos e obrigada a todas as pessoas do norte que me fizeram sentir muito e mais especial ainda

Sofia

 

Lavand

Lavand é uma marca linda com óptimo e excelente gosto, super romântica feminina, alegre e elegante, mesmo ao nosso estilo.

Qualquer uma das peças que vos vou mostrar a seguir vai fazer com que me dêem razão,

Destina-se às mulheres com personalidade forte, carisma e estilo próprio. As peças são ricas em pormenores e apresentam sempre uma atitude boémia. Além de vestuário, a Lavand também dispõem de uma linha de acessórios como chapéus, malas, lenços e encharpes. Aqui fica o link para a página de fãs:

Esta fantástica marca espanhola pode ser encontrada em lojas multimarcas como por exemplo:

-Maria Pipa (Porto)

-Clip (Matosinhos)

-Marques Soares (Porto)

-Gardénia (Lisboa)

-Byzz (Lisboa)

-Auguri (Cascais)

 

Compras e Looks como fazê-los

Acredito que para muito gente é estranho como faço as combinações e conjugações diárias dos meus looks. Vou tentar explicar, pode ser que vos ajude a fazerem as vossas.

Tem muito a ver com a arrumação da roupa que temos em casa e depois como fazemos as compras.

A roupa deve ser arrumada pela lógica de cada um. No meu caso está tudo organizado por estilo: casacos compridos, saias, calças, casacos curtos. As saias estão penduradas aos pares por género como por exemplo: riscas com riscas, padrões, tipo de tecidos, cortes, etc. As calças tenho as de ganga juntas, depois as de tecidos, as de sair à noite, etc. Nas gavetas a mesma coisa, cada gaveta é para determinada coisa. Os top de dia estão juntos, os da dança, os de sair à noite, etc. 🙂

Faço-me explicar? Ajudei?

Continuar a ler