icon-arrowicon-facebookicon-googleplusicon-instagramicon-pinteresticon-playicon-searchicon-twittericon-youtube

Domingo

Finalmente sento-me no sofá com tempo e cabeça para escrever.

Foi um Domingo entrecalado  com descanso, prazer e missão. Tinha prometido a mim mesma que iria limpar a casa, era a minha missão e foi cumprida das 21h00 às 24h00. Fazia questão de descansar até tarde e dormi até às 11h00 e queria muito ir à praia desfrutar do sol, do mar, de uma boa conversa entre amigos e um entusiasmante jogo de raquetes. Apesar do cansaço foi um Domingo muito agradável e sinto-me muito bem.

É claro que por vezes acontecem percalços que não estamos à espera, como por exemplo o meu carro que ficou sem bateria, mesmo quando preparava-me para ir para a praia. Confesso que fiquei triste com a hipótese não ir, mas de longe era o fim do mundo ou estava a fazer um drama. Tinha inúmeras coisas que poderia ter feito e já tinha o plano B, C e D. Mas nada era impossível.

Mas para algumas pessoas o meu desabafo de ter ficado sem carro, foi um estimulo para darem-me alternativas como se eu fosse uma tola. Como ir a pé para a praia. Estou a uns 20km de distância e não tenho preparação fisica para o fazer. Outra era ir de taxi, entre o ir e vir seria uma fortuna, mais as portagens, enfim ia-se o dinheiro que poupei na empregada de limpeza. Transportes públicos na minha zona não são constantes e nem saberia quais apanhar porque seriam muitos. Mas o importante foi julgarem a minha decisão de ficar em casa, sem antes tentarem saber porquê da minha decisão…dahhhh (como disse simpáticamente uma pessoa)

Faz-me lembrar da história em que um homem me queria bater porque achava que os meus cães tinha feito as necessidades em frente à casa dele. A maior parte das pessoas ensinaram-me a usar um saquinho, porque partiram do principio que eu não usaria, mesmo tendo escrito que o homem estava a acusar-me injustamente pelos erros dos outros. Mas é mais fácil julgar-me do que entender o que realmente se passou ou reler o post.

Mas voltando à minha praia. Chamei a assistência em viagem e o carro ficou com a bateria carregada. Corri para a praia, mas apanhei imenso transito e depois demorei 30 min. para estaciona, era Domingo e estava tudo cheio, já estava a acreditar que o meu destino era mesmo ter ficado em casa. Quando estava mesmo quase a desistir, vi que um jipe ia sair, aproximei-me e perguntei “vai sair?”. Estavam 4 homens super interessantes (fisicamente) por volta dos seus 40 a arrumar as coisas no carro. Um deles aproximou-se com uma sorriso muito maroto e disse: “vamos sair sim, mas vamos demorar um bocadinho, estamos com crianças sabem como é?”. Fiquei logo animadinha, encontrar um homem charmoso hoje em dia é raro e aquele era de certeza. Enquanto aguardava eles avisaram-me que o carro ao meu lado ia sair e fizeram-me sinal e aconselharam-me a avançar e a estacionar antes nesse lugar, para me despachar e assim o fiz. Quando partilhei no face mais uma vez partiram do principio que eu não sabia estacionar, só porque comentei que me tinham ajudado a estacionar o carro e vieram as piadas, mesmo depois de ter explicado melhor o sucedido

Pode ser que eu esteja sensível, ou que não ande a escrever o que é o mais correcto, mas fiquei muito triste com os julgamentos sobre os meus post.

Mas é um erro muito comum, hoje em dia, as pessoas julgarem as outras sem antes saberem o que realmente se passou. É algo com que me tenho debatido algumas vezes aqui, aproveitando a minha posição de blogger, porque não é só nos posts ou no facebook que se julgam as pessoas, mas na vida real, entre colegas, conhecidos, amigos e até familiares. Antes de contar a historia toda os julgamentos e as criticas saem da boca fora e pode até ser ofensivo transformando uma coisa simples num problema.

Ouvir é raro, mas é essencial em qualquer relação. Mas infelizmente as pessoas estão mais interessadas em se ouvirem do que ouvirem e entenderem quem precisa.

Beijinhos e muito obrigada por me lerem 🙂

Sofia

 

 

Olhos coloridos

Hoje finalmente experimentei as minhas lentes de contactos coloridas, verdes, azuis e cinzentas.

Para ser sincera só notei diferença com as cinzentas, apesar de em todas ficar com os olhos maiores e brilhantes.

Desde pequenina que queria ter os olhos verdes como a minha mãe ou azuis com o meu irmão, mas calhou-me o castanho do meu pai. Com o tempo os olhos começaram a ficar mais claros e hoje quase que posso dizer que são castanho esverdeados.

Por isso estava bastante animada com a ideia de ver-me com os olhos de outra cor, porque nunca o fiz. Com o cabelo é fácil basta colocar uma peruca e fico morena, platinada, ruiva, etc. Mas os olhos é mais complicado principalmente porque ja uso lentes para a minha miopia. Estou a usar um teste em cima das minhas próprias lentes só para fazer a experiência, será “cor” de pouca dura lol.

Como disse em cima, só com as lentes cinzentas notei diferença e sinceramente não gostei de me vez, chego à feliz conclusão que gosto mais de me ver com a minha cor natural.

Deus fez-nos assim por algum motivo, mais vale apreciarmos o que temos de bom e deixar-nos de tolices.

Hoje sou uma mulher realizada com os meus olhos castanhos esverdeados. Espero que vocês também sejam com os vossos atributos naturais

Beijinhos

Sofia

 

 

Tempos Livres com Pouco Dinheiro

Apesar do desejo constante de férias, feriados e fins-de-semana hoje em dia é preciso contar os tostões e evitar gastar muito. Há que poupar mediante as necessidades e por isso fica tudo um pouco mais limitado. Ficar em casa não é solução muito menos com bom tempo. Pediram-me para dar umas ideias do que fazer no fim-de-semana, feriados e dias livres. Aqui fica que mais gosto de fazer.

Continuar a ler

Tirem-me esta Rinite!!!!

Ontem fui ver alto concerto do B.leza. The Black Mamba. Foi a loucura total.

Eu adoro assistir a concertos, têm um impacto sobre mim fortíssimo, fico excitada (tipo eufórica), eléctrica, imparável, e não consigo parar de dançar e de tentar interagir com a banda.

E ao contrário do que se pensa que não se pode fazer nada durante a semana, sabe tão bem terminar a noite em beleza (lá estou eu com o trocadilho), seja num concerto, num jantar, num café, etc. Mais uma vez descobrir o que nos faz feliz e com pessoas que nos façam bem. O concerto acabou à 1 da manhã e deitei-me às 2h, não que seja impossível para acordar no dia seguinte. Quando se está demasiado cansado na manhã seguinte um Gurosan (mesmo para quem não bebe como eu) faz milagres.

Mas para mim o que me custa nem é o dormir pouco, é esta maldita rinite, alergia, sinusite…ou o que raio isto é. A Primvera é muito bonita, mas deixa-nos num lindo estado, olhos e cara inchada, sensibilidade à luz, narizes pesados, alguns ranhosos e outros fanhosos…uma chatice.

Tenho estado nesta ultima semana a tentar descrever o que sinto e finalmente descobri que tenho uma esponja dentro do cérebro que me absove a minha energia, a beleza, a maquilhagem, a paciência, a boa disposição, a inteligência, a vontade, o querer, a força, as ideias, etc. Semanas como esta que passou, ficam completamente perdidas porque a minha produtividade é 20% ou até menos, só penso em dormir o dia todos e fico com aquele olhar ganzado a olhar para lado nenhum, sempre com a cabeça dormente…nem pareço eu.

No outro dia estava a escorregar na cadeira do escritório e a dar cabeçadas no ar, rebolava os olhos e fingia que estava a trabalhar, mas é impossível neste momento conseguir fazer-se alguma coisa, ou que alguém acredite que estamos a fazer alguma coisa…é como se estivéssemos drogados. Mas ninguém entende estes ataques e acham que dormimos pouco ou que me deito tarde. Mesmo dormindo 12 horas por dia, nas ditas crises parece sempre que dormimos 1 ou nenhuma.

Eu acordo género zombie e como ainda sofro de perda de equilíbrio dos ouvidos, sou zombie em desequilíbrio e a chocar com tudo e com os animais lá em casa, o meu corpo tem vontade própria, Já tomei banho inclinada para a direita…entrar na banheira foi hilariante. Se o Michael Jackson fosse vivo, iria querer fazer uma nova versão do teledisco Thriller comigo. Medo, acordar ao meu lado mete medo lol e é tudo menos sexy, mas esse pormenor deixo para outro artigo, não têm que saber tudo sobre mim de uma vez.

Em relação à cura, já me falaram de acumpultura e estou muito curiosa, mas alguém que o faça fora de horas não existe lol. Já fui operada ao desvio de septo e limpei as minhas fossas (mas já está tudo na mesma) e sou acompanhada pelo melhor que é o Dr. Mota André, que para além de excelente pneumologista é um médico fora do normal por ser tão humano.

Partilhei este final porque sei que me vão dar imensas dicas. Eu trato-me, mas as plantinhas andam no ar e fazem estes estragos em mim e em cada vez mais pessoas. E cada um tem à sua maneira, há quem passe o dia a assoar-se, a minha por exemplo é demasiado interna e causa-me asma que foi algo que nunca tive.

As melhoras para todos e que este tempo passe depressa para este mal estar parar

Beijinhos grandes e Bom Fim-de-Semana

Sofia

 

 

 

Dia da Espiga

Hoje é o Dia da Espiga tradição de há muitos anos, que aos pouco se está a tentar recuperar, assim como outros pormenores vintages que eram comuns na época dos nossos avós e bisavós.

Algumas destas tradições andavam-se a perder, mas graças as tendências revivalistas e nostálgicas está tudo a voltar. Bem de certa forma a crise ajudo, se não há dinheiro para comprar a espiga…vai-se apanha-la ao campo. E não é muito mas giro combinar com alguns amigos e levar as crianças para fazerem molhinhos de espiga, com papoilas e malmequeres? Quem me dera ter tempo, até porque o campo está mesmo aqui ao meu lado. Deve ser bem mais giro ir em grupo quase romaria.

Só têm que ter cuidado porque as papoilas deitam um leite (que é usado para fazer opium) que faz nódoa e que não sai nem por nada…e também dá sono (antigamente usava-se para adormecer os bebes)…vá digam lá, as coisas que eu sei lol!!!!. Cultura geral de trivial e porque em criança sujei uma camisa e nunca mais me esqueci disso. Na realidade não gostava da camisa,tinha um corte muito masculino (o meu irmão tinha uma igual), tinha risquinhas azuis e brancas (cadé o cor-de-rosa) e mesmo ficando com pena, porque não gosto de desperdiçar nada deixei de a usar…olha que grande chatice lol.

Aqui fica mais uma sugestão e um motivo para saírem de casa, um pouco tardia eu sei, mas que podem sempre fazê-la amanhã ou no fim-de-semana. A intenção é que saiam de casa, arejem a cabeça, partilhem com os vossos filhos e amigos essas tradições.

O molho da Espiga deve ter pendurado atrás de uma porta para dar sorte. Não se esqueçam de a prender com um lacinho bonito 🙂

Beijinhos e aproveitem o Campo e os momentos bons da Vida

Sofia

Gala Met

A Gala do Metropolitan Musen em NY é das galas mais aguardas e emocionantes do ano.

A nata artística  desde músicos, cantores, actores, modelos, estilistas está toda presente a desfilar os seus maravilhosos vestidos pela passadeira vermelha. Para mim é sempre um luxo poder espreitar tal acontecimento através das fotos que circulam pela net e já várias vezes partilhei o encanto dos looks aqui no Diário de um Batom.

Mas este ano graças ao tema “Punk: From Chaos to Couture” parece que as nossas estrelas enlouqueceram. Se não soubesse que era Maio ia jurar que estávamos no Halloween e que algumas até tinham sido vestidas pela nossa Paula Bobone. Ora vejamos por grupo:

1ª as ir-reconhecíveis – se não lesse nas legendas não ia nunca saber quem eram. Conseguem advinhar?

Depois vieram as Guerreiras do Sol para bronzear os convidados. O vestido da Beyonce sem as botas, o cinto e as luvas até podia ser engraçado, mas como está é medonho de piroso

Como isto tudo se passa em NY a Estátua da Liberdade também esteve presente. Não é que o vestido seja feio, mas a pose e o cabelo espetado é demasiado.

E as Fadas, as bonecas de trapos, as princesas e as amuadas estava lá para rodopiar no baile

Assim como as punk, góticas :), vestidas a rigor. Relembro que o dress code era “Punk: From Chaos to Couture” ou to Torture?!

Depois alguns casos que não eram carne nem peixe e estavam apenas mal vestidas e parece que esqueceram de algumas regras

Eu não sou muitas destas coisas mas achei graça ao acontecimento e porque nesta fase do ano ninguém já pensa em máscaras de Carnaval e Halloween, esta Gala sem dúvida fez-me lembrar alguns filmes de terror fora de época.

Beijinhos e divirtam-se

Sofia

O que elas gostam mais neles

Deram-me este desafio dificil de escrever sobre o que uma mulher procura num homem. Na realidade não sei bem o que escrever nem devo ser a pessoa mais indicada para o fazer, estou sozinha, não procuro ninguém e acho que ninguém me encontrou ainda.

Mas mesmo assim e porque não sou mulher para dizer que não a certos desafios, acho que consigo escrever alguma coisa sobre o assunto.

Em vez de pensarmos nos gostos das mulheres no geral, até porque não posso falar por casa uma, vamos ver o que nós procuram nas diferentes idades.

Quando eu era mais nova entre os 15 e os 20 anos queria rapazes com olhos verdes, morenos, mais velhos que tivessem dentes e mãos bonitas e que fossem porreiros e divertidos.

Depois dos 25 queria alguém que me desse algum conforto, que gostasse de casar e de ter filhos, um casal de preferência, que a minha família gostasse muito e que fosse tudo muito divertido. Se ele tivesse mais de 30 era o máximo porque de certeza que já teria a vida organizada e já era considerado um homem.

Agora na casa dos 38, depois de algumas relações falhadissimas, com pessoas erradíssimas, que bateram completamente ao lado dos meus desejos e sonhos (continuo à espera do moreno com olhos verdes lol) já só peço alguém que me respeite, que me trate bem, que goste de mim, seja meu amigo e que me faça rir (pode ser rico que não me importo lol) e que não me chateie e que goste muito de animais.

Mas independentemente dos meus ideia utópicos, acho muita graça a barbudos, carecas, rapazes na casa dos 30 (ou menos) e que estejam muito bem tratados de ginásio sem entrar em exageros e que não se depilem totalmente e que tenham um sorriso lindo. Os antipáticos são um desafio para mim e acho o máximo o mau rapaz que no final afinal é um querido. ahh também tenho queda para miúdos com jeito para o desporto e que sejam melhores com os seus amigos. Se forem cavalheiros entusiasma-me mas se disserem tudo com bues e buedas já não é para mim. Homens vaidosos e que se cuidem é o máximo, mas se demorarem mais tempo do que eu a arranjarem-se, se forem mais vaidosos do que eu e se algum dia pedirem-me roupa emprestada….acabou tudo entre nós e passamos apenas a ir às compras juntos.

Afinal de contas, após umas valentes patadas na minha história afectiva , aos 38, depois de achar que o amor verdadeira é só para alguns e eu definitivamente não estou incluída, voltei aos adjectivos básicos dos meus 15 anos, em que escolho o rapaz pelos seus atributos e não por aquilo que na realidade ele é? Bem que gostaria que fosse assim, porque de certeza sofreria bem menos e mesmo estando nesta fase dormente em que não sinto rigorosamente nada por ninguém, não consigo estar com alguém só por estar e mais me vale estar sozinha a fazer o que goste do que estar com alguém e passar um frete.

Antes de procurar o rapaz ideal e dos meus sonhos, procuro pessoas interessantes que saibam intelectualmente dar-me espasmos de alegria e que me ensinem coisas novas e que me mostrem que eu posso fazer muito melhor. Preciso de pessoas que me inspirem e que me façam sentir viva.

Mas na realidade o que é isto de queremos e procurarmos alguém com determinadas características. É realmente tão linear esses atributos com que nos sentimos atraídos ou é um conjunto que faz o pacote? Vale a pena preocuparmo-nos em como devemos ser para agradar alguém, ou que gostem de nós pelo que somos?

Na minha pouca experiência sobre relações, mas vasta em decepções, acredito que a autenticidade é o que nos faz apaixonar pela outra pessoa, não me serve de nada as farsas e os jogos, os géneros as mentirinhas, se isto depois com o tempo vai acabar por se revelar e depois acabamos por descobrir que afinal estávamos com outra pessoa completamente diferente daquela por quem nos tinhamos apaixonado lol.

O importante é que cada um se sinta bem na sua pele, na sua pessoa. Se acha que é hora de mudar, de começar a preocupar-se com determinados assuntos, como por exemplo com a aparência, é com cada um e faça-no por si e nunca por ninguém  Garanto que tanto as mulheres como os homens ficam muito mais atraente genuínos e autênticos.

Beijinhos e sejam felizes

Sofia

 

Cuidado Anti-Idade

Convites

Para mim é uma honra que as pessoas me queiram conhecer pessoalmente (principalmente alguns senhores). Mas têm que entender que se calhar não tenho as mesmas intenções e que conhecer alguém pela net num jantar ou algo mais intimo é algo estranho.

Só não entendo porque perdem as oportunidades todas de me conhecerem nos meus eventos, abertos aos publico e a historia de que são muito tímidos e preferem algo mais privado não é um bom argumento e não me deixa muito à vontade.

Depois a parte do amuo após a recusa também não é positivo, isto faz-me lembrar uma sensação que tinha mais nova em que os homens escolhiam as mulheres, as mulheres tinham era mais que aceitar o seu destino. Era um bocadinho animalesco e sem direito à dança do acasalamento nem às penas vistosas.

Eu também gostava de conhecer imensas pessoas, mas não posso ou então faço por isso mas de uma forma saudável e que não pareça uma “stocker”. Há momentos para tudo.

Sou mulher e gosto de me proteger e penso que está no meu direito privar com quem quero, assim como a minha família  amigos ou até só comigo.

Infelizmente o facebook tem me pregado alguns sustos, como pessoas que conheço muito bem com perfis falsos, a fazerem-se passar por tudo e mais alguma coisa, como homens traidores com propostas muito estranhadas. Como já fui ameaçada de ser espancada por um rapaz, como já me fizeram surpresas no escritório sem qualquer tipo de convite, enfim. Coisas estranhas que tendo ultrapassar com um sorriso nos lábios e com muito mais cuidado.

A privacidade é muito bonita e está no direito de todos, apesar da minha exposição ou mesmo de outras pessoas há que entender a nossa vontade e que o que queremos é mesmo x e não y, há momentos em que não se está mesmo a fazer género. não é não.

Agradeço com todo o carinho e muito, todos os convites, para os jantares, os lanches, os chás, as viagens, mas eu prefiro que as coisas fiquem como estão e quem sabe um dia a vida se encarregar-se-a de nos cruzar ;), mas isso só Deus sabe

Beijinhos 🙂

Sofia

Acessório é que manda

Hoje inverti as coisas e em vez de me vestir e colocar um acessório. O acessório foi o ponto de partida para todo o look.

É claro que isso pode acontecer, estamos numa fase em que as tendências são as jóias ostensivas, grandes, valiosas, pesadas, mesmo que seja falso, parece que somos todas milionárias (em sapatos do chinês lol).

Mas apaixonada como estou pelo colar da Bijulandia ele foi a primeira peça a colocar de manha (mesmo antes da lingerie, porque essa combino com a roupa) e graças às cores fui escolhendo a camisa, a saia os sapatos e os restantes acessórios (na realidade dois deles passaram a fazer parte dos meus looks que é o anel da Globe e a pulseira da Bijuteria com Significado

 

O resto foi uma questão de cores, camisa verde petróleo, saia nude, sapatos coral e acessórios dourados, tudo com as cores do colar.

E para vocês entenderem como é fácil, fiz o mesmo com outro colar, não tão vistoso, mas mais “pró” étnico e o resultado foi igualmente giro, só mudei os sapatos 🙂

Hoje quem mandou foram os colares, amanhã quem saber será um anel, um cinto ou até uns brincos.

Assim ajuda a fazer looks naqueles dias em que achamos que não temos nada para vestir ;).

Acham que estou preparada para ir conhecer a Barbara Guimarães? 🙂

Beijinhos grandes e obrigada por tudo